conecte-se conosco



Cuiabá

Três pontos com erosões já foram reconstruídos pela Prefeitura

Publicado

em

Colocado em prática pela Prefeitura de Cuiabá no início de setembro deste ano, o plano de contenção de erosões e revitalização de passeios públicos já tem apresentado resultados positivos. O trabalho, que visa sanar os problemas estruturais em calçadas e pistas de rolamento em dezenas de pontos identificados pela Secretaria Municipal de Obras Públicas, fechou os primeiros 30 dias de atividade com pelo menos três locais com as demandas completamente finalizadas.

O primeiro lugar a receber o reparo está situado no trecho entre a Avenida Miguel Sutil e o acesso ao Centro de Eventos do Pantanal, onde o serviço foi finalizado há cerca de duas semanas. Na última semana, outras duas áreas também foram concluídas, sendo uma na via de ligação do bairro Rodoviária Parque com a Miguel Sutil e outro na Avenida Tancredo Neves, nas proximidades da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) – Morada do Ouro. A partir de agora, a equipe deve seguir para outro trecho da Avenida Miguel Sutil, no bairro Coophamil.

“Esse é um trabalho preventivo, que estamos fazendo em vários locais com erosão. Como estamos começando a entrar no período chuvoso, é importante intervimos para que essas ruas e avenidas não fiquem interditadas. Estamos buscando a melhor forma de resolver esses problemas. Efetuamos o alongamento da tubulação – para aumentar a vazão de água, concretamos novamente a calçada e recuperamos o meio-fio e o asfalto deteriorados. As obras estão seguindo conforme o programado e, de imediato, vamos avançar para outros lugares”, explica o secretário Vanderlúcio Rodrigues.

Conforme estabelecido em contrato, a empresa responsável em dar andamento nas obras possui 120 dias como prazo de execução. Nesse período, o trabalho deve ser realizado nas quatro regiões da Capital, tendo os seguintes locais como pontos já mapeados: Travessa Delgado Santana com a Rua Paranaíba, no bairro José Pinto; Córrego do Bufante, no Despraiado; Rua Osvaldo da Silva Corrêa com a Budapeste, também no Despraiado; Avenida José Feliciano Figueiredo, Porto; Rua Brilhante, no bairro Alvorada; e Avenida Miguel Sutil (Viaduto da Av. Historiador Rubens de Mendonça), no Araés.

O contrato firmado pela Prefeitura institui algumas exigências mínimas para a execução do serviço. Para evitar riscos de acidentes aos usuários dos locais e os operários, por exemplo, a empresa deve sempre sinalizar os espaços de atuação com placas, fitas ou tapumes. Também está estabelecido que os serviços prejudiquem o mínimo possível o fluxo de pedestres e veículos. Em relação à garantia das obras, está determinado o uso de material normatizado e de boa qualidade. Engenheiros fiscais também são designados para acompanhar cada etapa do trabalho.

“Em todos esses locais, a nossa exigência é que seja entregue uma obra de qualidade, em que a população não precisará mais ter esse tipo de preocupação. Além disso, são vias com grande movimentação de veículos e pedestres e isso também faz com que esse cuidado seja redobrado. Por isso, no próprio contrato que firmamos com a empreiteira, buscamos nos resguardar e estabelecer cláusulas que garantam as boas condições no serviço prestado”, destaca Rodrigues.

Clique para comentar
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Cuiabá

Vacina Covid-19: Saiba quem pode e quando buscar os serviços para se imunizar

Publicado

em

Prefeitura de Cuiabá deu início a vacinação contra a Covid-19 na última quarta-feira (19). Para a força-tarefa, a Capital destinou um polo único no Centro de Eventos do Pantanal (para evitar aglomerações) e está seguindo a deliberação e critérios técnicos em quatro grupos designados pelo Ministério da Saúde (MS).

São eles:  1ª  Trabalhadores da Área da Saúde, população acima de 60 anos institucionalizados, indígenas aldeados, população de 75 a 79 anos.  2ª população de 70 a 74 anos, de 65 a 69 anos, 60 a 64 anos. 3ª população com comorbidades, diabetes, melitus, hipertensão, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, cardiovasculares e cerebrovasculares. Indivíduos transplantados de órgão sólido e anemia falciforme. 4ª Trabalhadores da educação ensino básico, ensino superior, trabalhadores do sistema de privação de liberdade, forças de segurança e salvamento e forças armadas.

O secretário adjunto de Assistência em Saúde, Luiz Gustavo Raboni e a Coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Flávia Oliveira respondem as principais perguntas que norteiam o tema. Acompanhe e veja quem e quando poderá se imunizar.

Mesmo com as quatro fases, não vacinando todos da saúde, qual o critério de seleção? 

Luiz Gustavo: Como só recebemos cerca de oito mil doses do Governo Federal, precisamos priorizar a prioridade. Dentro do grupo da Saúde primeiro estamos imunizando os que estão atuando em linha de frente Covid. Ou seja, primeiro os que estão atuando direto no atendimento aos pacientes acometidos pela doença.

Quando serão chamados os demais profissionais da Saúde? 

Na medida em que forem chegando mais doses, iremos chamando as demais categorias da Saúde e abrindo para os demais grupos.

Qual a idade mínima para se imunizar contra a Covid-19 e como foi definido o público alvo?

Luiz Gustavo: O Ministério da Saúde definiu o público alvo com base na faixa etária que mais foi acometida pela doença e os que mais evoluíram para óbito. Por conta disso, só poderão se vacinar pessoas acima de 18 anos, respeitando sempre as fases definidas pelo ministério da Saúde.

Grávidas e lactantes podem vacinar? 

Não. Esse público não foi testado pelos fabricantes da vacina. Sendo assim não há indicações de imunização de Covid -19 para grávidas e lactantes sob riscos de efeitos colaterais desconhecidos.

Quem fez bariátrica e ou, não tem 18 anos mas possui algumas das doenças descritas como comorbidade, pode ser vacinado? 

Luiz Gustavo: Neste momento não há prioridade para a pessoa que fez bariátrica. Mas se ele se enquadrar nos demais públicos ele se vacinará em sua devida fase ou vc quando for população geral.

Quanto ao menor, mesmo com comorbidade, não serão vacinados menores de 18 anos – por não haver indicação do Ministério.

Sou da Saúde. Como fazer para me cadastrar? 

Valéria Oliveira: Primeiro você precisa estar com o cartão do SUS em dia. Para atualizá-lo, só acessar o Conecte SUS. Feito isso, é necessário se cadastrar no Vacina Cuiabá. Com local e horário em mãos, se você estiver enquadrado na lista de aptos encaminhado pela unidade hospitalar ao qual trabalha, receberá a imunização.

Fui pra vacinar, mas meu nome não estava na lista, posso comprovar com crachá e vacinar? 

Valéria Oliveira: Não. Os únicos aptos a vacinarem são os constantes nas listas encaminhados pelas unidades hospitalares.

Caso os hospitais mandem listas com nomes que não estão aptos e ou, um servidor não apto vacine. O que acontecerá?

Valéria Oliveira: Todas as listas dos hospitais serão auditadas e encaminhadas aos órgãos de controle. Caso hajam inconsistências serão punidos no rigor da lei. Quanto aos servidores serão demitidos e responderão processos.

Vacinei e tive que esperar 30 minutos, por qual razão? 

Valéria Oliveira: O fabricante da vacina prevê que a pessoa permaneça no local por até 30 minutos para caso de haver reações adversas. Passado o período a pessoa poderá ir embora do local.

Se eu não tomar a segunda dose fico imunizado do mesmo jeito?

Valéria Oliveira: Não. Os resultados comprobatórios de imunidade da doença só acontecem após a segunda dose concluída.

Idosos serão vacinados nesta primeira fase?

Valéria Oliveira: Idosos fazem parte da primeira fase de vacinação, porém, compõem o grupo 2. O grupo 1 é composto dos profissionais de saúde, cuja população está estimada em 21 mil pessoas, em Cuiabá. Como, até o momento, a capital recebeu somente 8.027 doses da vacina CoronaVac, referente à primeira etapa da imunização, somente trabalhadores da saúde que estão no contato direto com pacientes comCovid-19 serão contemplados.

Além do Centro de Eventos do Pantanal, tem mais algum ponto da Prefeitura de Cuiabá disponível para vacinação?

Valéria Oliveira: No momento, não. Conforme a quantidade de doses enviadas aumente, podem ser abertos pontos de vacinação divididos em polos regionais e, posteriormente, serem abertos postos de vacinação nas unidades básicas de saúde

 

Tem que continuar usando máscara mesmo quem foi imunizado?

Valéria Oliveira: Sim, é importante manter os cuidados porque a vacina foi liberada pela Anvisa para uso emergencial, uma vez que os estudos clínicos do imunizante ainda não foram concluídos.

 

Da Redação

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana