conecte-se conosco



Cultura

Série de comemorações de Dia das Crianças garante alegria da garotada

Publicado

em

A melhor forma de comemorar o Dia das Crianças é com crianças brincando e felizes, não é mesmo? E tem que ter brinquedo, pipoca, cachorro-quente, refrigerante, balinha… Quem sabe, palhaços, pula-pula, balão? E como é o 12 de Outubro das crianças mais pobres?

A Sala da Mulher, a partir da arrecadação pelo ingresso social do Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros e doação da presidente de honra da unidade, Sônia Meira Botelho, repassou 370 brinquedos para comemorações do Dia das Crianças de seis comunidades periféricas de Cuiabá e Várzea Grande cadastradas pelo braço social da Assembleia Legislativa.

Os brinquedos compuseram as festinhas no bairro Ipase, em Várzea Grande; da comunidade do Pascoal Ramos, da Associação do Bairro Centro América, do bairro Silvanópolis, do Sopão do Jardim Novo Milênio, todos em Cuiabá; e contribuindo nas atividades desenvolvidas pelos “sopões” coordenados pela Associação de Mulheres Solidárias Joana D’Arc, na Grande Cuiabá.

Às ‘Mulheres Solidárias’, foram entregues 50 brinquedos, que somaram a outros 900 arrecadados pela associação, que recebeu contribuição também de servidores da ALMT. A entidade filantrópica desenvolve o projeto de distribuição de sopa uma vez por semana em 24 bairros carentes.

No dia 12 de outubro, comemoraram com as crianças dos bairros Alto da Glória e Altos da Serra, ambos na região da Grande CPA. Ainda seguem em atividades e a última comunidade a comemorar será a do bairro Pedra 90, hoje (18). “Em cada ‘sopão’, as mãezinhas levam as crianças e elas ficam muito felizes. Foi maravilhoso!”, exclama a presidente da associação, Pedrina Maria de Santana.

O presidente da Associação do Bairro Centro América, Fernando Luís Nazário, o Flecha, recebeu 100 brinquedos para distribuir. Separou 50 para as suas crianças e repassou 50 para o bairro Silvanópolis, comunidade em situação de grande vulnerabilidade. “Eu tinha firmado um compromisso com eles, nós precisamos, mas eles também precisam”, explicou. Para atender o incontável número de crianças na associação, no dia 12, Flecha entreteve os pequenos com pula-pula. “Eles ficaram brincando até as 10 da noite”. E teve cachorro-quente, refrigerante e muita bagunça. “Nós já estamos planejando, junto com o pastor da Casa da Benção [na região], uma grande festa de Natal, vamos fechar a rua”, antecipou, empolgado.

A festinha no bairro Ipase, na casa de Natália Fátima Cerqueira Doerl, foi um misto de surpresas. A criançada brincou com o palhaço na residência, vieram para o Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros assistir ao desfile Tchás Creança (com show de Nico e Lau) – em ônibus reservado pela Sala da Mulher, na volta comeram pipoca, cachorro-quente, balas, chuparam picolé e tomaram refrigerante, e ainda ganharam os 50 brinquedos e lembrancinhas elaboradas pela anfitriã. “Pelo sorriso delas, a gente via que se divertiram muito. E nós também! Porque a alegria delas nos faz muito bem”, contou dona Natália.

Ainda receberam brinquedos a comunidade do Pascoal Ramos (120) e a do Novo Milênio (50). Além do repasse das arrecadações, a Sala da Mulher contribuiu com locações de pula-pula, de carrinho de algodão-doce e de carrinho de pipoca, com doações de caixas de leite longa vida e com outras demandas de infraestrutura.

“Nós, que acompanhamos essas comunidades o ano todo e conhecemos de perto as mamães e as crianças, nos emocionamos muito nestas datas comemorativas. A criançada se diverte muito e brincar é essencial para o desenvolvimento dos pequeninos. Nosso objetivo é seguir apoiando iniciativas como essas para um mundo mais alegre e bondoso, como são os corações mirins”, exalta a diretora do Teatro Zulmira e da Sala da Mulher, Daniella Paula Oliveira.

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Cultura

Projetos contemplados em edital de Literatura oferecem ações de fomento à leitura

Publicado

em

Projetos contemplados no edital de Literatura Estevão de Mendonça já começaram a ser executados, ajudando a fomentar a leitura e a democratizar conhecimentos. Ações de contação de histórias, formação de mediadores, mediação de leitura e de oficina literária têm proporcionado o acesso a capacitações e conteúdos que divulgam livros e a cultura popular mato-grossenses.

Realizada pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), a seleção pública premiou 13 projetos de fomento à leitura e mais 17 obras de literatura com valores de R$ 10 mil e R$ 20 mil. Após o recebimento do recurso financeiro, que foi pago em parcela única a partir de setembro, os autores e proponentes premiados têm até 90 dias para executar as ações.

Confira os projetos já executados ou em andamento.

Mediador da literatura indígena

Denilson Baniwa

Naine Terena – Foto por: Denilson Baniwa

De 16 e 26 de novembro, a oficina Mediação de Leitura e a Lei 11.645/08 oferece aprendizado  sobre a história da literatura indígena no Brasil, incluindo escritores e algumas obras, a profissionais de diferentes áreas de atuação. O projeto premiado na categoria ‘Mediador de Leitura’ pretende ainda envolver os educadores para o cumprimento da Lei 11.645/08, que articula a presença da história e cultura indígena nas escolas do país.

De acordo com a realizadora da oficina, a doutora em Educação Naine Terena de Jesus, a repercussão da iniciativa foi tão grande que as vagas se esgotaram logo no início da divulgação sendo necessária a abertura de uma segunda turma.

“Foram abertas 40 vagas e tivemos cerca de 120 inscritos. Diante da grande procura, conseguimos abrir uma segunda turma e ampliar a prática da mediação das autorias indígenas. A ideia é aproximar o público dessa literatura, e dessa forma, incentivar e auxiliar na compreensão e leitura pública das obras”, explica Naine.

Oficina de dramaturgia pessoal

Divulgação

Nesta segunda (23.11), tiveram início as aulas da segunda turma da oficina de dramaturgia pessoal com a atriz e diretora teatral Juliana Capilé. Direcionada a maiores de 60 anos, a capacitação técnica de escrita incentiva a utilização de elementos da própria experiência de vida para o desenvolvimento de dramaturgia textual de teatro ou roteiro de cinema.

O projeto foi contemplado na categoria ‘Oficina Literária’ e ofertou vagas para duas turmas, ambas online. A primeira edição ocorreu de 16 a 20 de novembro e a segunda segue até a próxima sexta-feira (27.11).

“É uma oficina de escrita dramatúrgica para quem tem o que contar. Voltada exclusivamente para participantes acima dos 60 anos, a oficina investe em uma fase da vida na qual muitas histórias já se acumularam, alegres e tristes, que precisam ser registradas e transformadas em teatro ou cinema”, destaca Juliana.

Mitos e lendas do Rio Cuiabá ao Pantanal

Divulgação

Em outubro, a atriz Alicce Oliveira realizou quatro apresentações do espetáculo de contação de histórias ‘Mitos e Lendas do Rio Cuiabá ao Pantanal’ em suas redes sociais. O projeto foi contemplado na categoria contação de histórias.

As apresentações contaram com canções inspiradas nas manifestações folclóricas regionais, dentre outros artifícios que levarão o público a reconhecer as belezas desta região.

“Há muito tempo ouve-se falar nas histórias, mitos e lendas que povoam a memória dos povos ribeirinhos e de várias comunidades de Cuiabá em Mato Grosso. A presença de monstro em forma de serpente, seres fantásticos e história de pescador são condutores das narrativas apresentadas ao público através deste projeto” expõe Alicce.

Montagem de acervo e disponibilização da literatura de Ricardo Dicke

O projeto integra as edições do evento ‘Literatura e Cultura em Mato Grosso’ que acontece pela internet como curso a alunos do ensino médio de escolas públicas. Contemplado na categoria de formação de mediadores, a ação teve como proponente a professora doutora Madalena Machado, da Unemat de Pontes e Lacerda.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana