conecte-se conosco



Eventos

Projeto Ribeirinho Cidadão estimula ações ambientais em comunidades pantaneiras

Publicado

em

O Projeto Ribeirinho Cidadão realizado pelo Tribunal de Justiça de Mato e pela Defensoria Pública Estadual também realiza ações de conscientização ambiental. A ação Criança Ribeirinha trabalha para que moradores das comunidades pantaneiras auxiliem na limpeza dos rios. Os participantes recebem cobertores e brinquedos, que são trocados pelo lixo coletado.
Os materiais ofertados são arrecadados pela Justiça Comunitária e qualquer pessoa pode ajudar nesta ação. Duas caixas coletoras serão instaladas, uma no restaurante do Tribunal de Justiça e outra na Defensoria Pública Estadual. Desde que projeto teve inicio em 2016 mais de 30 toneladas de lixo já foram recolhidas do pantanal de Mato Grosso.
Para doar a única exigência é que os brinquedos estejam em boas condições de uso ou que sejam novos, já os cobertores serão fornecidos pela Receita Federal e os sacos de lixo de 100 litros, pelo SESC. Eles serão entregues pela Marinha às comunidades uma semana antes do início do Ribeirinho Cidadão. A contra partida é que os moradores terão que entregar os sacos com o lixo recolhido dos rios e margens. Mais de 40 comunidades estão cadastradas.
O coordenador do projeto, Juiz José Antônio Bezerra Filho disse que o objetivo é agregar valor às ações do projeto. “A ação foi idealizada pela Mariana Viana (atual diretora de Imprensa e Novas Mídias da Coordenadoria de Comunicação) em 2016. Conclamamos servidores e demais pessoas. Queremos que somem esforços conosco no sentido de fazer a diferença na vida destas pessoas. A demanda é grande, o muito é pouco. Precisamos de auxílio”. Ponderou o magistrado.
A assessora da Justiça Comunitária, Tatiane Guerra, revelou que a maioria dos participantes da ação é composta por crianças. “Durante nossas reuniões com as lideranças locais os pescadores que são nossos parceiros nos alertaram que quem participa mais são as crianças. Então são as crianças que pretendemos agraciar mais”, destacou.
O Ribeirinho Cidadão atua em 4 eixos. Consciência Ambiental: além de limpar os rios, ações lúdicas como o jogo Rebojando, que trabalha o desenvolvimento da consciência ambiental; palestras, distribuição de cartilhas, doação de mudas, atuação da PM na fiscalização, ações do Juvam e Sema.
Acesso à Cidadania: elaboração de títulos de eleitor, 2ª via de Registro de Nascimento, Carteira de Identidade e 2ª via, Aposentadoria, CPF e inscrição nos Programas Bolsa Família e Bolsa Escola.
Acesso à Saúde: consultas odontológicas, oftalmológicas (entrega de óculos), clínico geral (entrega de medicamentos para tratamento), entre outros.
Acesso à Justiça: com atuação de juízes, defensores, promotores, notários e registradores das comarcas, além de mediadores e conciliadores, a equipe pretende atender ações voltadas ao Direito de Família, além de resolver conflitos sociais e ações civis públicas. Registros tardios, de nascimento, casamento e óbito também devem ser realizados.
Ações dos parceiros: acolhimento, logística, embarcações, fornecimento de colchões e cobertores, água, rádios, geradores. Emissão de documentos, corte de cabelo, oficinas pedagógicas, de cinema, biblioteca itinerante, palestras, disponibilização de vacinas, apoio institucional, entre outros.
O Projeto Ribeirinho Cidadão: distribui cidadania a populações ribeirinhas levando serviços essenciais. Ele foi lançado em março de 2006 e atende comunidades isoladas de Santo Antônio de Leverger, Poconé, Barão de Melgaço e Juscimeira. É realizado pelo Poder Judiciário de Mato Grosso e Defensoria Pública, além de parceiros.
Para a 12ª Edição as parcerias confirmadas são: Governo do Estado, Ministério Público, Defesa Civil, Marinha, Receita Federal, prefeituras de Santo Antônio de Leverger, Barão de Melgaço, Juscimeira e Poconé, cartorários, Centro Universitário de Várzea Grande (Univag), Tribunal de Contas do Estado, Tribunal Regional do Trabalho, Tribunal Regional Eleitoral, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso, Sesc Pantanal e Galvan Escola de Cabelereiros.
A etapa fluvial ocorrerá entre 4 e 14 de fevereiro e a terrestre entre 17 a 25 do mesmo mês.

Eventos

População aprova instalação de Escola Militar Tiradentes em Várzea Grande

Publicado

em

Em audiência pública realizada na noite desta quinta-feira (21.01) pais, alunos, comunitárias e moradores aprovaram a transformação da Escola Estadual Nadir de Oliveira, localizada no Bairro Jardim Glória, em Várzea Grande, em Escola Estadual Militar Tiradentes.

Reunidos na quadra esportiva da unidade escolar por mais de três horas, a comunidade conheceu e debateu sobre o modelo de ensino, regulamento, resultados, entre outros detalhamentos do ensino militar, um modelo que já é aplicado em outras sete cidades mato-grossenses. Também foi apresentado e detalhado o ensino e as atividades atuais desenvolvidas na Escola Nadir de Oliveira.

A população compareceu, se cadastrou para votar e teve direito a voz. Dois representantes de cada segmento, professores, pais, alunos, comunidade, lideranças, entre outros tiveram espaço para se posicionarem contra e a favor. Ao final ocorreu votação que aprovou a mudança.

Essa será a primeira escola militar de Várzea Grande e a segunda da região metropolitana. Em Cuiabá está instalada a mais antiga unidade de ensino público militar. A Escola Tiradentes cuiabana existe há 35 anos e atualmente tem cerca de 1.200 alunos matriculados.

O coordenador de ensino na Diretoria de Ensino, Instrução e Pesquisa (Deip) da Polícia Militar, tenente-coronel André William Dorileo, que fez a apresentação da escola militar, explicou que na nova escola será ofertado ensino a partir do 5º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio.

Dorileo também disse que, assim como as demais unidades militares, essa será uma escola pública da rede estadual de acesso gratuito e administração em parceria com a Secretaria Estadual de Educação. O tenente-coronel Dorileo também assegurou que os alunos que estão matriculados na escola terão garantia de vaga, exceto os que recusarem o ensino militar.

Também presente na audiência pública, o diretor da Deip-PMMT, coronel André Avelino Neto, avaliou a aprovação como uma grande vitória e oportunidade para comunidade várzea-grandense.

A partir de agora, informou Cel Neto, a Polícia Militar, por meio de sua Diretoria de Ensino e em parceria com a Seduc, dará início ao processo de transição para o ensino militar.

Atualmente, o Estado conta com sete unidades de Escolas Tiradentes que atendem cerca de 3.500 estudantes. Estão sediadas nas cidades de Cuiabá, Confresa, Rondonópolis, Juara, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum e Sorriso.

As escolas militares mato-grossenses são destaque nos exames do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). As notas referentes a 2019, apresentadas em 2020, superam a média da rede estadual.

Os alunos da Escola Tiradentes Cabo PM Israel Wesley Prado de Almeida, da cidade de Juara e a Escola Tiradentes Soldado PM Adriano Moraes Ramos, em Lucas do Rio Verde conquistaram as notas mais altas (7,1) das séries finais do ensino fundamental na avaliação do Ideb. Em Cuiabá, a Escola Tiradentes obteve o índice do Ideb de 6,4, o maior das escolas estaduais da baixada cuiabana.

 

 

Da Redação

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana