conecte-se conosco



Galeria de Fotos

Prefeitura divulga lista de beneficiários incompatíveis do Programa Minha Casa Minha Vida e dá prazo para regularização de documentação

Publicado

em

A Prefeitura de Várzea Grande divulgou, por meio do Diário Oficial dos Municípios que circulou na última sexta-feira, 17 de abril, a relação dos candidatos ao Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal – para o Residencial Colinas Douradas – 1ª e 2ª fases, localizado no bairro Novo Mundo.

Os candidatos foram submetidos à análise do Sistema de Tratamento Habitacional da Caixa Econômica Federal (SITAH), sendo 760 considerados compatíveis, e 453 incompatíveis.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Econômico e Turismo, convoca os candidatos considerados incompatíveis, para se dirigirem a Superintendência de Políticas Habitacionais, localizada na Avenida da FEB, nº 2138, bairro da Manga, ao lado da Ariel Veículos/VG, para legalização documental, entre os dias 22 de abril á 30 de abril, portanto 7 dias úteis, para resolverem as pendências e possivelmente retomarem a possibilidade de serem contemplados com uma unidade residencial.

Os atendimentos terão que seguir as regras estabelecidas, nesta época de pandemia de coronavírus (COVID 19), e para não gerar filas e tumultos. A secretaria vai atender dentro do cronograma planejado e será direcionado em ordem alfabética pelo nome do beneficiário, considerado pelo agente financiador como incompatível.

Dias de Atendimento:

Dia 22/04 – (Quarta-feira) os atendimentos serão os nomes iniciados pelas letras de A, B, C;

Dia 23/04 – (Quinta-feira) os nomes iniciados pelas letras D, E, F;

Dia 24/04 – (Sexta-feira) G, H, I, J;

Dia 27/04 – (Segunda-feira) K, L;

Dia 28/04 – (Terça-feira) M, N;

Dia 29/04 – (Quarta –feira) O, P, R, S;

Dia 30/04 – (Quinta-feira) T, V, W, Z;

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Econômico e Turismo, José Roberto Amaral de Castro Pinto, alerta os beneficiários que foram considerados incompatíveis, que somente serão atendidos aqueles agendados para a respectiva data publicada em Diário Oficial dos Municípios.

Ele frisou ainda que essa mesma publicação se encontra na página oficial do municípios pelo endereção www.varzeagrande.mt.gov.br, no ícone VGHABITA ou no link http://habitacao.varzeagrande.mt.gov.br/ que remete para a publicação dos nomes e principalmente o porque deles terem sido considerados incompatíveis e se tem ou não a possibilidade dos mesmos reverterem essa situação.

“Um telefone celular (65 98428-2851) foi colocado a disposição para eventuais informações e para aqueles considerados incompatíveis se informem para comparecer já munidos dos documentos necessários a regularização de sua situação. Outra possibilidade é o encaminhamento de email para o endereço eletrônico [email protected] para orientações de como proceder”, disse o secretário.

Ele alertou ainda que é necessário e fundamental que as pessoas evitem aglomerações e já cheguem munidos dos documentos necessários para facilitar o atendimento necessário. “O interesse da administração da prefeita Lucimar Sacre de Campos é facilitar ao máximo para atender as pessoas, mas em tempos de pandemia se faz necessário que haja regras, boas condutas e que as pessoas compareçam sozinhas e com máscaras.

“Alguns exemplos de pendências consideradas sanáveis e que levaram a condição de beneficiários incompatíveis são a não atualização do NIS – Número de Inscrição Social; renda mínima familiar de R$ 1.800,00 (Hum mil e oitocentos reais) exigida para se tornar beneficiário; falta de documentos como certidão de casamento; documentos ilegíveis. Mas aquele que já foi beneficiário do Programa do Governo Federal, Minha Casa, Minha Vida, e que tentou novamente, este já está definitivamente eliminado. O Governo Federal só permite a entrada no programa uma vez. Para este cidadão a pendência vai aparecer como Histórico Habitacional, sendo que neste caso nem precisa ir à Superintendência, já está excluído automaticamente”, explicou o secretário.

Outro alerta é quanto a ausência de comparecimento nas datas estabelecidas no prazo fixado de 22/04 a 30/04, o candidato será excluído do processo de seleção.

José Roberto afiança ainda que os critérios para aceitação e não aceitação, é do Agente Financiador – Caixa Econômica Federal, cabendo a prefeitura cumprir o rito legal, que dispõe a Constituição Federal, no seu artigo 37, com vistas a garantir os princípios da legalidade, transparência, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência que regem a Administração Pública.

“A Prefeitura de Várzea Grande auxilia, o Governo Federal e a instituição financeira é que definem as regras e analisam as inscrições e dos documentos dos beneficiários. Tudo que foi feito até agora, é fiscalizado e acompanhado pela Controladoria Geral da União – CGU, Ministério Público Federal e Estadual – MPF e MPE e órgãos federais. Cabe a nós atender a demanda e ajudar a população moradora de Várzea Grande a ter acesso ao benefício”, disse o secretário lembrando que desde 2015 a prefeita Lucimar Sacre de Campos se dedica para resgatar obras residenciais que estavam paralisadas por uma série de irregularidades com as construtoras que entraram em recuperação judicial.

Fonte: Secom-VG

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Galeria de Fotos

Obras da Orla da Alameda avançam em ritmo acelerado

Publicado

em

 

“A manutenção dos investimentos públicos e a ampliação de esforços para aplicação de recursos, serão essenciais para retomada da economia e
conservação de empregos”, disse a prefeita Lucimar Sacre de Campos, durante visita técnica às obras de construção e revitalização da Orla da
Alameda Júlio Müller, em Várzea Grande.
A revitalização da Orla tem previsão para ser concluída no segundo semestre deste ano e vai receber o maior investimento em recursos
próprios da atual gestão: R$ 17 milhões.
Apesar da nova rotina imposta pela pandemia do novo coronavírus, as obras do projeto – que vai dar à cidade um novo cartão postal – seguem
em ritmo acelerado e deverão estar com sua primeira fase concluída em setembro, mês em que a cidade celebra 72 anos de emancipação política e
administrativa, 23 de setembro de 1948. “Temos os recursos garantidos, projeto aprovado e licenças outorgadas. Essa obra vai dar a esta região
uma valorização imobiliária sem precedentes, vai se tornar um atrativo para toda a cidade e para quem passa por Várzea Grande. Até a obra
pronta, empregos estarão sendo gerados e muitas famílias terão sua renda assegurada por meio dessa iniciativa”, completou a prefeita Lucimar
Sacre de Campos.
Estima-se que a obra da Orla em Várzea Grande gere entre 1.800 até 3 mil empregos diretos e indiretos, o que é significativo neste momento de
dificuldades e desaceleração econômica.
Considerando as novas normas sanitárias determinadas por autoridades em Saúde Pública, o canteiro de obras está sendo mais otimizado, sem a
necessidade de aglomeração. Técnicos do Município, que acompanharam a prefeita na visita, destacam que os Equipamentos de Proteção Individual
(EPIs) têm sido utilizados de forma correta. “O setor da construção civil e construção pesada tem como praxe o cuidado adicional com a saúde. Algumas adaptações em relação ao distanciamento foram aplicadas, orientações reforçadas, e assim, o trabalho pôde seguir, sem paralisações”, explica o assessor de gestão da Secretaria Municipal de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, Enodes Soares Ferreira.
Na vistoria, a prefeita e sua equipe constaram in loco os avanços dos trabalhos.

O acesso, Avenida Júlio Müller acaba ficando prejudicado por causa das obras. Nesse momento, as obras estão focadas no muro de gabião, intervenção necessária para conter a erosão da margem do rio Cuiabá, que faz limite com a via. Esse tipo de edificação, o muro de gabião, é produzido com malha de fios de aço doce recozido e galvanizado, em dupla torção, amarradas nas extremidades e vértices por fios de diâmetro maior. São preenchidos com seixos ou pedras britadas.
Essa parte do trabalho é tida como ‘pesada’ e emprega muito maquinário, o que contribui para aplicação das normas de higienização e de distanciamento entre os trabalhadores. Para esta etapa foi necessária ainda o bloqueio total da avenida, ação que se seguirá até setembro.
“Nossa intenção é entregar o projeto o mais rápido possível para o várzea-grandense. No entanto, não abrimos mão da qualidade e da
segurança dos trabalhadores, técnicos e engenheiros que passam e passarão pela obra”.
FASE ATUAL – A Avenida Júlio Müller estará sob interdição total no trecho entre a Avenida da FEB, ponte Júlio Müller até o acesso à rua
Sebastião dos Anjos. Nos primeiros meses das obras, a pista estava liberada em meia faixa, permitindo acesso no sentido FEB ao bairro, mas
desde a primeira quinzena desse mês ficou bloqueada.
As orientações repassadas pela Guarda Municipal, pelos técnicos responsáveis e por agentes da secretaria de Mobilidade Urbana, para quem
trafegar pelo local são as seguintes: veículos de passeio e comerciais leves podem optar pela rua Vereador Abelardo e em seguida entrar na rua
Sebastião dos Anjos para acessar a ponte Sérgio Motta e outros trechos da Avenida Júlio Müller. A Travessa Independência, paralela a Avenida
Júlio Müller, não está obstruída e dá acesso à Avenida da FEB, tanto para quem vai para Cuiabá, como também, precisa retornar para o Centro
de Várzea Grande.
Quem vier pela ponte Sérgio Motta sentido ponte Júlio Müller, vai transitar pela Avenida Júlio Müller até chegar à rua Sebastião dos Anjos, que passa a ser desvio obrigatório.
Já os veículos pesados e de carga o trajeto indicado é seguir pela Avenida da FEB, em Várzea  Grande, em direção à Avenida Beira Rio, em Cuiabá e então retornar pela ponte Sérgio Motta e assim, acessar novamente a Avenida Júlio Müller. Essa orientação é necessária porque a
rua Sebastião dos Anjos, que corta os bairros Alameda e Construmat, possui muita movimentação de pedestres, ciclistas e carros de passeio.
A OBRA – “O projeto finalizado será o mais novo cartão postal da cidade.
O empenho na transformação do local tem dois grandes objetivos: resolver a erosão, um problema ambiental que a região enfrenta e que já vem
tomando conta de uma extensão considerável da margem várzea-grandense do rio Cuiabá. Por outro lado, o poder público municipal cria mais um
espaço de convivência e de referência para as famílias, na principal porta de entrada à cidade, via ponte Júlio Müller, que liga Várzea Grande ao tradicional e histórico bairro do Porto, em Cuiabá”, pontuou a prefeita.
Conforme o projeto, serão reurbanizados, revitalizados e recuperados 700 metros de extensão às margens do rio Cuiabá. O projeto da ‘Orla da Alameda Júlio Müller’ tem início na Avenida da FEB, junto à ponte Júlio Müller e se estende até a rua Sebastião dos Anjos, uma das principais
vias do bairro Alameda.
O complexo abrigará lanchonetes, pergolados, escadas, rampas de acesso, parque infantil, pista de caminhada, mirante, centro cultural,
auditórios, sanitários, bancos e calçadões por toda sua extensão.

O projeto arquitetônico sustentável está distribuído em dois níveis, um mais próximo ao rio e outro no nível da rua, com espaços voltados à contemplação do rio e da natureza ao redor.

Fonte: Secom-VG

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana