conecte-se conosco



Várzea Grande

Prefeitura conclui serviços de intervenções e de sinalização na Avenida da FEB

Publicado

em

A Prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana visando à implantação de políticas de infraestrutura e mobilidade urbana está promovendo nas principais Avenidas e bairros ação de melhoria na acessibilidade e mobilidade urbana da cidade e ainda a execução do Plano Sustentável para Mobilidade Urbana que integra o projeto de Revitalização e Modernização do Sistema Viário e de Sinalização.

As principais Avenidas e Ruas contempladas com esta etapa da ação foram: Castelo Branco; Alzira Santana; Couto Magalhães; Feb;  Vereador Jorge Witzak; Gonçalo Botelho de Campos; Ary Paes Barreto e Estrada da Guarita.

Na Avenida da FEB, segundo o secretário de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana Breno Gomes,  é importante destacar que as interferências são provisórias e se fazem necessárias para minimizar os transtornos que a obra do VLT já causou a população. Enquanto não há uma definição jurídica sobre a retomada dos serviços, a população não pode ficar desassistida, assim como também os comerciantes.

“Na FEB foi necessário fazer a operação de tapa-buraco,e a sinalização de pintura do asfalto, para que os carros possam trafegar com mais segurança, visto que nesta avenida, não existe espaço para estacionamento, ou margem de segurança entre a faixa permitida para trafegar até o canteiro de obras. A velocidade permitida nesta via é de 60 km/h.Tivemos que organizar a sinalização e recolocar e pintar o gelo baiano, além de fazer aterramento entre a pista e o canteiro dos trilhos. Os serviços foram executados iniciando próximo ao Aeroporto Marechal Rondon até a ponte Júlio Muller,dos dois lados da pista”, disse o secretário.

“Atualmente a Avenida da FEB conta com poucos desvios  para os motoristas, o que tem dificultado o tráfego na região.Estudos estão sendo realizados para melhorar ainda mais o fluxo de carros nesta via tão importante que liga Várzea Grande a Cuiabá, como também intervenções paisagísticas. Porém sabemos que é uma obra de total responsabilidade do Governo do Estado, e dentro da ordem e da Lei, a prefeitura vai avançando nas intervenções necessárias”, concluiu o secretário.

Por: Da Redação – Secom/VG

1 comentário
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Milla
Milla
2 anos atrás

Engraçado depois de obterem o valor desejado para a implantação do BIT o que o governo do Estado de Mato Grosso fez cruzou os braços… pouca vergonha milhões jogado fora com os supostos trilho e um vagão jogado nos fundos do aeroporto!
Isso já estava previsto pq o povo brasileiro nao sabem reivindicar aquilo que esta errado!
Veja várzea Grande tem vários hospitais da rede publica, mais não tem recursos para mantemos é falta de materiais, de profissionais é uma vergonha!
O metropolitano desde quando inaugurou é matéria discutida em todos os jornais… eai melhorou em alguma coisa? Não há muitas pessoas que necessitam do atendimento e acabam morrendo por não haver uma estrutura….

Várzea Grande

Jayme e Wellington destinam R$ 16 milhões em emendas para VG

Publicado

em

 

Demonstrando relação institucional com todos os parlamentares federais, sejam senadores ou deputados federais, o prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat, recebeu em audiência os senadores Wellington Fagundes e Jayme Campos para traçar uma série de estratégias de atuação visando obras e ações para fomentar o desenvolvimento local e preparar a segunda maior cidade de Mato Grosso para um novo momento proporcionado pelo crescimento econômico decorrentes do agronegócio.
Várzea Grande foi contemplado com outros R$ 16 milhões em emendas parlamentares, sendo R$ 11 milhões já depositados para a área de saúde de autoria do senador Jayme Campos e outros R$ 5 milhões do senador Wellington Fagundes para obras de pavimentação e drenagem com galerias pluviais.
“É sempre importante ter uma boa relação com todos os parlamentares, sejam senadores, deputados federais e estaduais, além do governador do Estado, para que os benefícios sejam carreados para Várzea Grande, contemplando as necessidades por obras e medidas de impacto que permitam aquecer a economia local, gerando emprego e renda”, disse o prefeito Kalil Baracat.
Os senadores Jayme Campos e Wellington Fagundes sinalizaram como importante ao prefeito Kalil Baracat colocar em prática projetos que assegurem a Várzea Grande atender as demandas decorrentes do crescimento económicos com formação de mão de obra técnica e profissional além de receber empresas e indústrias decorrentes do Parque Tecnológico que tem que se tornar realidade.
“Acredito em projetos como ampliação e melhoria da Orla da Alameda, novos corredores comerciais e inclusive com a cobrança da Rota Oeste para a duplicação, os trevos e três viadutos que cortam a Rodovia dos Imigrantes”, disse o senador Wellington Fagundes.
Já para Jayme Campos, as obras estruturantes como um anel viário permitindo a integração da Rodovia dos Imigrantes, Rodovia Mário Andreazza, Avenida Júlio Campos, com as saídas para o Norte e Sul de Mato Grosso e do Brasil, permitirá a instalação de um novo Distrito Industrial, mais moderno, eficiente e principalmente volta para as necessidades de Várzea Grande e do agronegócio e as empresas e indústrias que se instalaram por aqui.
Enquanto gestor municipal, Kalil Baracat, relatou que está focado em duas questões prioritárias, mas sem descuidar das demais, que são a questão da água e a necessidade de ampliar o leque de obras que já tem em andamento as obras de uma nova Estação de Tratamento e Abastecimento (ETA) de 26 milhões de litros de água por dia que se somará com outros duas ETAs de mesma capacidade e outra de 2.592 milhões, o que soma 80 milhões de litros dia ou quase 30 bilhões de litros de água por ano.
Segundo o secretário de Assuntos Estratégicos, Gonçalo Barros, “este montante atende cada um dos quase 300 mil cidadãos de Várzea Grande com mais de 400 litros de água por dia, quando a necessidade segundo a OMS – Organização Mundial de Saúde seria de 100 até 150 litros dias, dependendo da região do mundo quando a sua temperatura, portanto, além de resolvermos o problema da água, temos que encontrar solução para a perda que oscila entre 50% até 68% de tudo que é produzido, então iremos enfrentar o problema da água com hidrometração, para medir consumo de todos os consumidores, novas redes de captação e distribuição e a inadimplência de consumidores que mesmo com medições não pagam suas contas”, disse o secretário.
Segundo ele e o prefeito, a ideia é resolver os problemas em definitivo e não mais paliativos, mas a população tem que ajudar e cumprir sua parte, pois o desvio prejudica a rede toda e dos demais consumidores e a inadimplência inviabiliza a empresa por completo que não consegue então fazer os investimentos necessários e de rotina para melhorar o atendimento para a própria população.

 

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana