conecte-se conosco



Várzea Grande

Prefeitura acata requerimento e concede mais 90 dias para vendedores de lanches deixarem a Arthur Bernardes

Publicado

em

A Prefeitura de Várzea Grande acatou requerimento do vereador Rogerio França Martins, o Rogerinho da Dakar (PV), que solicita prazo de  mais 90 dias de prazo para que os  donos de trailers de lanches da Avenida Arthur Bernardes deixem a calçada, na região do bairro Jardim Aeroporto.

O  secretário de Comunicação, Marcos Lemos, explicou que o prazo foi estendido para que os comerciantes ambulantes tenham tempo de se organizar e encontrar um novo espaço.

Em novembro, os comerciantes foram notificados a deixarem o local até o dia 31 de dezembro.

Para garantir a permanência, eles recorreram aos vereadores e Rogerinho que decidiu interceder e pedir a dilação de prazo.

Conforme a prefeitura, eles precisam sair da Arthur Bernardes por causa da obra de duplicação da Avenida, logo após o período chuvoso.

A prefeitura aponta que os carrinhos impedem a passagem de pedestres,  com utilização de mesas e cadeiras que ficam expostas nas calçadas.

 

Ainda há problemas sanitários, pois, os carrinhos de lanches acumulam lixo orgânico, como restos de comida.

Para instalação definitiva, a administração municipal  propôs um novo local aos comerciantes , um terreno na Estrada da Guarita  ou uma área na Rodovia Mário Andreazza, porém, a sugestão não foi aceita.

“Estava preocupado com esta situação e diante do que foi colocado pelos comerciantes, pedi ao Executivo um prazo de 90 dias, para juntos  encontremos um novo espaço”, declarou.

 

Várzea Grande

Governo apresenta diretrizes do BRT a VG

Publicado

em

A equipe técnica da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) apresentou, durante a reunião nesta sexta-feira (22.01), à equipe técnica da Prefeitura de Várzea Grande as diretrizes do plano funcional da rede integrada do transporte coletivo para a  implantação do Ônibus de Trânsito Rápido (BRT), movido à eletricidade.

Na ocasião, já foi discutida a ampliação do modal na cidade, que teria apenas um eixo do transporte em caso de manutenção das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), entre o Aeroporto Marechal Rondon em direção à região do CPA, em Cuiabá. Com o BRT, será possível integrar outras grandes regiões de Várzea Grande, como a do Cristo Rei, até o centro da cidade, e contribuir para o desenvolvimento do município.

Durante a reunião, o engenheiro Arlindo Fernandes mostrou que o sistema do BRT prevê a operação de linhas expressas que podem fazer percurso saindo da calha viária planejada para o VLT, nos eixos de Várzea Grande sentido CPA e sentido Coxipó, em Cuiabá. Desse modo, proporcionará maior alcance social, uma vez que vai atingir as regiões mais populosas e também mais distantes do eixo estrutural do VLT.

No caso de Várzea Grande, essas linhas podem levar os passageiros da região do aeroporto até o centro de Cuiabá sem nenhuma parada, com maior rapidez e redução do tempo de viagem. Além disso, é possível a instalação de outros terminais para além dos já previstos no plano do VLT, como o do aeroporto, atendendo a várias outras regiões da cidade que não seriam beneficiadas caso não houvesse a  implantação do BRT.

“O BRT traz uma possibilidade de ajustes no projeto. O VLT, por ser uma metodologia ferroviária, tem uma rigidez. O BRT tem toda uma flexibilidade e não precisaria operar somente do Aeroporto até a Prainha, como estava previsto o VLT. Como também poderia operar com uma linha expressa prevendo a não parada. A demanda do BRT é capaz de atender muito mais eixos e mais passageiros”, disse.

Representando a prefeitura de Várzea Grande, Claudio José da Silva pontuou que a cidade tem o interesse de inserir um novo contexto no BRT, a fim de que a população do município tenha acesso com maior facilidade ao centro de Várzea Grande. O objetivo é que, com a implantação do BRT, a cidade possa construir um sistema de integração do transporte coletivo de todos os bairros em uma única região, no centro.

“Aquele terminal do aeroporto, que é o ponto de repouso da frota do VLT, está a 800 metros para frente da rotatória. Não temos interesse de manter esse traçado. Nos não temos interesse no momento de continuar ativado o terminal André Maggi.  Queremos o prolongamento na área central, na Avenida Couto Magalhães com um binário na avenida Filinto Mulller, e que ia até uma rua que chamamos de Dito peixe, na Coronel Norberto”, disse.

Também representando a prefeitura de Várzea Grande, Enodes Soares explicou que o terminal do aeroporto, como estava previsto no VLT, não tem grande utilidade para o transporte do município, visto que o interesse é interligar as duas principais avenidas de Várzea Grande às regiões do Grande Cristo Rei, Chapéu do Sol e Parque do Lago e unificar a cidade.

“A ideia que estamos discutindo é construir um arco de integração dentro do centro, com a construção de algum terminal mais próximo dessa localidade, para que possamos redesenhar as linhas de ônibus para chegar até esse arco central, que é onde atende de fato a nossa população. A população de Várzea Grande não tem o interesse de chegar até o terminal do aeroporto. A nossa vontade é de trazer essa integração para o centro da cidade, interligar as duas principais avenidas de Várzea Grande, inclusive possibilitando a integração com a região do Cristo Rei que o aeroporto acaba separando”, afirmou.

 

 

Da Redação

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana