conecte-se conosco



Polícia

Polícia Civil cumpre 50 ordens judiciais em operação sobre desvio milionário de cooperativa

Publicado

em

A Polícia Judiciária Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira (23.08) a 3ª fase da operação “Etanol”, para cumprimento de 50 ordens judiciais (46 mandados de busca e apreensão e 4 mandados de prisão) nos Estados de Mato Grosso, Goiás, Rondônia, Minas Gerais, Paraná e São Paulo.
Mais de 160 policiais (delegados, escrivães e investigadores) foram mobilizados para o cumprimento das ordens judiciais nos seis estados da federação.
A investigação, conduzida pela Delegacia da Polícia Civil do município de Campo Novo dos Parecis (396 km a Noroeste), apura desvios de cerca de R$ 28 milhões da cooperativa de produtores de álcool e cana-de-açúcar, a Coprodia. A cooperativa tem 46 cooperados, divididos em 19 famílias, quase todas moradoras de Campo Novo do Parecis, e constitui importante fonte de renda e emprego da cidade.
Na fase atual da operação, 3 ex-funcionários da cooperativa e a pessoa responsável pela abertura de empresas de fachadas para lavar o dinheiro estão com ordens de prisão decretadas.  Alguns têm mais de um domicílio e serão notificados nas cidades ou estados que forem encontrados. Outros endereços (residências e empresas fantasma) serão alvos de busca e apreensão de materiais comprobatórios à investigação.
O delegado que preside a investigação, Adil Pinheiro de Paula, informou que o objetivo da nova fase da operação é arrecadar elementos e apreender documentos fiscais e contábeis, que comprovem a movimentação financeira já detectada e investigada pela Polícia Civil, em parceria com o Ministério Público.
“Esses mandados irão ajudar a comprovar que muitas das empresas que forneceram notas fiscais a cooperativa, na verdade não existem, eram empresas fantasmas”, disse.
Em Mato Grosso são cumpridos  mandados de prisão e buscas nas cidades de Cuiabá (12), Várzea Grande (1), Araputanga (3), Campo Novo dos Parecis (7), Tangará da Serra (5), Santo Antônio do Leverger(1), Sapezal (2), Sinop (1), Porto Espiridião (2) Primavera do Leste (3) e Jaciara (1).
No Estado de Goiás, dois mandados de busca e apreensão são cumpridos em Goiânia. No Paraná serão realizadas buscas nas cidades de Ponta Grossa (2) e Tibagi (1). Em São Paulo os endereços estão localizados nas cidades de Marília (1), Ribeirão Preto (1), Mogi Mirim (1)  e São Paulo (6). Em Minas Gerais serão duas buscas nas cidades de Itauiutuba (1) e Juiz de Fora (1). No Estado de Rondônia será cumprido um mandado de busca na cidade de Cacoal.
A operação conta com apoio das delegacias da Diretoria de Atividades Especiais (DRE, GCCO, GOE, DEFAZ), delegacias da Diretoria de Interior, Diretoria de Inteligência e das Polícias Civis dos Estados de Goiás, Rondônia, Minas Gerais, Paraná e São Paulo. O efetivo empregado é de 166 policiais civis, entre delegados, escrivães e investigadores.
Fases 1  e 2
A 1ª fase da operação foi deflagrada em julho de 2017, em cumprimento de decisão judicial da 2ª Vara da Comarca de Campo Novo do Parecis, com parecer positivo do Ministério Público, para bloqueio dos bens de Nivaldo Francisco Rodrigues, apontado como um dos chefes do esquema criminoso. Foram bloqueados 15 imóveis em Campo Novo dos Parecis, 7 bens localizados em Juína, Cuiabá e Paraná, além de recursos financeiros, automóveis e gado, demonstrando o enriquecimento ilícito do suspeito.
O ex-diretor financeiro da cooperativa foi preso na 2ª fase (12/06/2018), após a Polícia Civil descobrir, que mesmo sendo monitorado por tornozeleira eletrônica, ele continuou movimentando dinheiro da cooperativa. Entre o final de 2017 e começo de 2018 foram cerca de R$ 1 milhão – ato que estava expressamente proibido por determinação judicial.
Segundo a investigação, Nivaldo é o chefe da organização criminosa, sendo o elo entre as empresas (fantasmas) que forneciam as notas falsas de prestação de serviço e o dinheiro da cooperativa. Ele também ficava com a maior parte do dinheiro desviado.
“Muitas vezes Nivaldo agiu sozinho, contando apenas com a colaboração de outros criminosos de fora da empresa. Outras vezes, contou com a participação de outros funcionários da Coprodia”, detalhou o delegado.
Durante buscas realizadas no dia 12 de julho de 2017, a Polícia Civil apreendeu farta documentação que prova o enriquecimento ilícito de Nivaldo Francisco, nos últimos anos.  “Encontramos provas da movimentação de milhões de reais em curto espaço de tempo. Aquisição de muitos imóveis, rurais e urbanos, além de automóveis, contratos de aluguel, anotações sobre a construção e imóveis com gastos na casa de centenas de milhares de reais”, disse Adil Pinheiro.

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Polícia

Cinco ocorrências eleitorais são registradas em Cuiabá neste segundo turno

Publicado

em

Cuiabá registrou cinco ocorrências criminais relacionadas ao segundo turno das Eleições 2020. Os dados são do boletim do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) e do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) referente às primeiras cinco horas de votação. Ao todo, foram registados três casos de boca de urna, um de transporte de eleitores e um de tumulto eleitoral.

A votação para escolher o próximo prefeito da capital de Mato Grosso é realizada neste domingo (29.11) e segue até às 17h. Após este período, é iniciada a apuração dos votos. O GGI é composto por membros da Secretaria, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) e da Polícia Federal (PF). Um dos pontos de monitoramento é no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Sesp.

Nesta manhã, os representantes das forças de segurança e do Tribunal Regional Eleitoral se reuniram, na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), para acompanhar o início das votações nas 158 zonas eleitorais.

“A Sesp, em conjunto com o TRE, prevê uma eleição bem tranquila. A estrutura montada para o segundo turno aqui na capital é semelhante a estrutura do primeiro turno, com um diferencial que há bem menos locais de votação. O primeiro turno foi em todo o estado, então foi muito maior. Como hoje se limita apenas a Cuiabá, o planejamento do policiamento nos locais de votação é basicamente o do primeiro turno. Manteremos as atividades do gabinete até o encerramento das eleições”, enfatizou o secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp, Victor Fortes.

Desde a primeira hora de abertura dos locais de votação, 143 viaturas e 520 profissionais Polícia Militar (PM), Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e Politec estão atuando nas regiões centrais e periféricas do município.

O juiz auxiliar da Presidência do TRE, Lídio Modesto da Silva Filho, elogiou a parceria junto à Sesp no objetivo de garantir uma eleição segura.

“Mais uma vez agora no segundo turno estamos trabalhando em conjunto, de forma multi- institucional aqui no Gabinete de Gestão Integrada, um trabalho centralizado hoje, tanto na Sesp quanto na sede do TRE e, mais uma vez, temos certeza que todo o trabalho que foi desenvolvido de forma prévia será executado a contento e nós temos certeza que a eleição ocorrerá de forma tranquila, transparente e com total segurança em razão desta união que foi feita entre a Justiça Eleitoral e as forças de segurança”, declarou.

Cuiabá tem pouco mais de 378 mil eleitores aptos a votar. Assim como no primeiro turno, a apuração dos votos será realizada na Casa da Democracia, com número reduzido de pessoas visando a não aglomeração de eleitores e candidatos.

 

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana