conecte-se conosco



Artigos

“O cidadão já não é mais bobo”

Publicado

em

Pouco a pouco começam as movimentações para o pleito eleitoral de 2020.

Os partidos começam a se organizar, atrair lideranças e os possíveis nomes que possam vir a pleitear os cargos de vereador e prefeito dos munícipios.

As reuniões às portas fechadas se iniciam. Os cafezinhos, as conversas daqui e dali se tornam cada vez mais frequentes.

O assédio por parte dos dirigentes partidários se torna insuportável.

São promessas, acordos e negociações realmente atrativas e que brilham os olhos daqueles que estão dispostos a enfrentar as urnas no ano que vem.

Mas, calma! Não se deixe levar pela emoção.

A situação aqui é clara: é matemática básica! E o cidadão passa a ser visto pelo número de votos que já obteve ou que possa oferecer, dadas as situações separadas.

Tudo isso porque, com o fim das coligações nas eleições proporcionais, um dos maiores desafios dos partidos nesse momento se tornou um só: conseguir aglutinar o maior número de lideranças de qualidade, que possam formar uma chapa equânime e que consiga eleger o maior número de vereadores possíveis.

No entanto, na contramão dessas corriqueiras práticas comuns nesse período, duas situações nos chama bastante atenção.

A Escola do Legislativo em parceria com o Instituto Memória e demais setores do Poder Legislativo Estadual, reavivou e trouxe para campo, com todo gás, o Projeto Educação Legislativa em movimento.

O projeto, que estava paralisado desde o ano passado, devido ao início ao processo eleitoral, retornou e com um único objetivo: descobrir novas lideranças e formar cada vez mais “Jovens Líderes” por todo o nosso Estado.

Um grande incentivo para jovens que irão votar pela primeira vez e querem participar do processo eleitoral, mas que não sabem como começar.

Seguindo nessa pegada, o vereador por Cuiabá, Felipe Wellaton (PV), inova com o lançamento do primeiro curso de formação para possíveis pré-candidatos, o PROTAGONIZE.

O curso além de ser totalmente apartidário, busca apresentar e desvendar aos pretensos pré-candidatos um pouco dos maiores desafios a serem enfrentados, além dos medos a serem superados, e principalmente da necessidade do surgimento de novas lideranças em nosso contexto político-social.

A ideia, em síntese, traduz-se no seguinte: fazer com que o cidadão saia do comodismo, deixe de ser coadjuvante e se torne um verdadeiro protagonista dos caminhos que trilham as políticas públicas em sua região.

É bonito de se ver pessoas querendo buscar o bem da sua cidade, se interessando pela política, se preparando para o processo eleitoral e deixando de lado essas costumeiras práticas desse momento.

É claro que quem está disposto a enfrentar ás urnas não pode se iludir.

O jogo é duro, e nem sempre honesto. O poder financeiro, infelizmente ainda possui força.

Mas, tenha algo em sua mente: dinheiro não é tudo!

Para ser bem sincero, o cidadão já não é mais bobo, e a leve sensação que fica é uma só.

Àqueles que não apresentarem uma ideia sólida e de futuro para o seu eleitor, e focar apenas no poder financeiro e no ato abominável de se “pendurar” na máquina pública para galgar o poder, terão uma verdadeira decepção nas urnas.

Adesivos, placas, milhares de carros plotados e as demais benécias provenientes do poder aquisitivo, podem até chamar atenção nas ruas da cidade.

Mas, a verdade é uma só: na hora do voto, será apenas você (eleitor) e a urna eletrônica. E, ali, é você quem decide!

Por fim, o que mais se espera é que se renove. Mas, que essa renovação não seja apenas de nomes, mas sim de princípios e valores.

E, que também, não vençam apenas os melhores, mas sim àqueles que realmente estejam dispostos, a abrir mão de seus objetivos pessoais e colocar os coletivos sempre em primeiro lugar.

Gabriel Guilherme é suplente de vereador por Cuiabá e estudante de Direito da Universidade de Cuiabá.

[email protected]

 

 

 

 

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Artigos

Novos tempos, novas comemorações e o novo Dia das Mães

Publicado

em

O Dia das Mães certamente ganha outro significado em tempo de pandemia, assim como todo contexto social mundo afora. As comemorações serão atípicas, nada da reunião familiar, do calor humano entre os filhos e mães, pois a priori a saúde pública vem em primeiro lugar.

Os beijos e abraços apertados não poderão ser frequentes e parte dos presentes, pois precisamos ainda cumprir as determinações das instituições para o bem estar social. Muitas mães fazem parte do grupo de risco e a real que precisaremos reinventar formas de estarmos juntos, ainda que separados.

No Reino Unido, por exemplo, houve campanhas para reforçar a necessidade de mães e filhos preservarem o distanciamento social com relação ao Dia das Mães, comemorado em março, principalmente as do grupo de risco. Então a pergunta é: como podemos não deixar essa data passar em branco?

Precisamos nos conscientizar que o isolamento social não é um isolamento emocional e, se tem algo que temos aprendido com essa situação toda do coronavírus é valorizar os laços familiares e emocionais. As opções não são muitas, mesmo com a tecnologia ao nosso favor. Podemos fazer uma videochamada em família, ter um contato visual-virtual, conversar e tentar minimizar esse afastamento com afeto e carinho de uma forma diferente, dado a necessidade momentânea.

Os presentes poderão ser adquiridos, o comércio, em partes está aberto, porém as vendas online (delivery) são a melhor opção, ainda que em tempo. Pesquisas apontam que mais de 60% dos brasileiros comprarão o presente de Dia das Mães por lojas online.

Diante dessa nova realidade, o fato é que precisamos ressignificar a data. Não teremos os shoppings e lojas movimentadas, os restaurantes e demais locais com a aglomeração, nem o tradicional almoço de domingo em família. Nesses novos tempos,   devemos celebrar o amor e a gratidão demonstrando que o Dia das Mães pode, será e é maior que os nossos desejos momentâneos.

Essa nova comemoração nos traz a oportunidade de perceber que a impossibilidade de abraçar, beijar e tocar nos faça enxergar o valor verdadeiro desses gestos. Ao falarmos ao telefone ou nos comunicarmos pela internet, escrever palavras em cartões e nas mensagens, talvez tudo isso não poderá agora dizer mais do que jamais puderam. Talvez, quem sabe, paradoxalmente, nesse Dia das Mãe atípico, passaremos a valorizar mais do que nunca as relações familiares, afetivas e emocional, em seu verdade e real sentido. Feliz Dia das Mães.

 Márcia Pinheiro é atual primeira-dama de Cuiabá, empresária e pós-graduada em Gestão Pública.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana