conecte-se conosco



Variedades

Mutirão para mamografias tem início no Hospital Geral e Maternidade de Cuiabá

Publicado

em

Começou nesta segunda-feira (22), no Hospital Geral e Maternidade de Cuiabá uma força tarefa para ampliação da oferta de exames de mamografias para as usuárias do Sistema Único de Saúde. Devido ao número elevado de pacientes que esperam por este serviço, a prefeitura de Cuiabá firmou uma parceria com o HG para tentar diminuir ou zerar a fila de espera.

A parceria foi firmada na última sexta-feira(19), pela presidente do HG, Flávia Silvestre e pela primeira-dama, Márcia Pinheiro para realizarem a campanha do “Outubro Rosa”.

Serão disponibilizadas 30 vagas por dia para o exame, sendo 150 por semana e 600/mês. O paciente será encaminhado pela Central de Regulação de Vagas do SUS e os atendimentos são efetuados de segunda a sexta-feira, das 8 h as 18 h. Os resultados são entregues em até 10 dias após a realização do exame, e a recomendação é que a paciente retorne ao médico solicitante para avaliação do laudo.

Para ter acesso ao procedimento, basta que as interessadas procurem um dos  postos de saúde da rede municipal, munidas do documento de identificação com foto e o cartão SUS.

De acordo com dados divulgados pela Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA), apenas no Brasil, 30 mulheres morrem por dia em decorrência da doença. No mundo, uma mulher morre a cada 68 segundos por conta desta neoplasia.

Tem que se tocar

O auto-exame é um mecanismo de acompanhamento das mamas, de extrema importância,  realizado pela própria mulher, que apalpando a região pode verificar qualquer alteração ou nódulo. Toda mulher acima de 40 anos deve submeter-se à mamografia a cada 1 ou 2 anos, por isso a importância e a necessidade de consultas anuais ao ginecologista.

Soraya Medeiros

Assessora de imprensa

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Variedades

MDB, PSDB e DEM vão governar a metade das capitais brasileiras

Publicado

em

Três partidos vão comandar a metade das capitais brasileiras a partir de 2021. O MDB venceu em cinco das sete que disputou neste domingo, no segundo turno das eleições municipais. PSDB e DEM comandarão quatro cada, já somadas as vitórias no primeiro turno.

O MDB reelegeu neste domingo o prefeito de Cuiabá (MT), Emanuel Pinheiro. Já o vice-prefeito Arthur Henrique, em Boa Vista (RR), levou a legenda ao recorde de votos válidos neste segundo turno em uma capital, ao conquistar o apoio de mais de 85% dos eleitores.

Em Goiânia (GO), o MDB venceu com o ex-governador Maguito Vilela, internado há mais de um mês em São Paulo com Covid-19. O partido ganhou ainda em Porto Alegre (RS), com o deputado estadual Sebastião Melo, e em Teresina (PI), com ex-deputado estadual Dr. Pessoa.

O PSDB, que já havia reelegido dois prefeitos, manteve o comando dos municípios de São Paulo (SP), com Bruno Covas, e de Porto Velho (RO), com Hildon Chaves. O DEM, com três vitórias no primeiro turno, agora ganhou no Rio de Janeiro (RJ), com o ex-prefeito Eduardo Paes.

O PDT reelegeu o prefeito de Aracaju (SE), Evaldo Nogueira, e ganhou em Fortaleza (CE). Também governarão duas capitais o PSB, com os deputados João Campos, em Recife (PE), e JHC, em Maceió (AL); o PP, em João Pessoa (PB) e em Rio Branco (AC); e o PSD, após vitórias no primeiro turno.

Outros quatro partidos – Avante, Podemos, Psol e Republicanos – governarão em 2021, respectivamente, as capitais Manaus (AM), São Luís (MA), Belém (PA) e Vitória (ES). As legendas com as maiores bancadas na Câmara dos Deputados, PT e PSL, não conquistaram nenhuma capital.

Das 26 capitais brasileiras, somente em Macapá, devido a um apagão resolvido apenas na terça-feira (24), não houve eleição. O primeiro turno na capital do Amapá será em 6 de dezembro; o segundo, se necessário, no dia 20.

Outras cidades
O segundo turno ocorreu ainda em 39 dos 95 municípios com mais de 200 mil eleitores. Em quatro, todos no Rio de Janeiro (Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Petrópolis e Volta Redonda), a decisão caberá à Justiça Eleitoral.

Consideradas 91 cidades com mais de 200 mil eleitores e encerrada a apuração neste domingo, o PSDB saiu com mais vitórias, 14, sendo 8 no segundo turno. O MDB acabou com dez, cinco em cada turno. Depois vem o PSD, com sete, das quais quatro agora.

Pelo PSD, a atual vice-prefeita de Ponta Grossa (PR), Professora Elizabeth, venceu a deputada estadual Mabel Canto (PSC). Foi o único segundo turno destas eleições municipais envolvendo duas candidatas. Situação semelhante já havia ocorrido em Olinda (PE), em 2000.

No total, quatro prefeitos de capital, ante seis no primeiro turno, foram reeleitos neste domingo. O PT, legenda com mais candidatos no segundo turno (15), elegeu só quatro deles – em Contagem e Juiz de Fora, em Minas Gerais, e em Diadema e Mauá, em São Paulo.

Justificativa eleitoral
A abstenção foi recorde nestas eleições municipais, que ocorreram em meio à pandemia de Covid-19. No primeiro turno, considerando a média no País, foi de 23,1% do eleitorado. No segundo turno, atingiu 29,5%, bem acima dos 21,6% nessa mesma fase em 2016.

As pessoas que faltaram ao segundo turno das eleições municipais têm agora até o final de janeiro (60 dias) para justificar a ausência. Isso poderá ser feito por meio do aplicativo para celular e-Título, em página na internet ou pessoalmente no respectivo cartório eleitoral.

 

Reportagem – Ralph Machado

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana