conecte-se conosco



Cultura

Museu onde nasceu Joaquim Murtinho comemora seu 13º aniversário

Publicado

em

Neste sábado, 7 de dezembro, o Museu de Historia Natural Casa Dom Aquino, comemora 13 anos de existência. A Casa colonial que abriga coleções científicas foi construída em 1842 e em 1848 nela nasceu Joaquim Murtinho, uma das ilustres figuras da história do estado, que durante o final do século XIX e início do século XX, exerceu o cargo de Senador por três mandatos e também chegou a ser Ministro da Fazenda, além de ser um grande empresário.

Filho de José Antônio Murtinho e Dona Rosa Murtinho, o cuiabano Joaquim Duarte Murtinho, Iniciou seus estudos no Seminário da Conceição e aos 16 anos ingressou na célebre Escola Central de Engenharia e em sequência se formou em Medicina, tornando o precursor da Homeopatia no Brasil.

Joaquim Murtinho era também um dos grandes empresários da época, sendo um dos 3 donos da empresa Erva Mate Laranjeira (Atuou na exploração de erva-mate no sul do Mato Grosso). Ao comando de Joaquim Murtinho, dispondo de grande número de colaboradores em Mato Grosso, foi montado o posto de comando na antiga fazenda “Três Barras”, à margem esquerda do Paraguai, onde abriu o porto mais tarde denominado “Porto Murtinho”, que recebeu a sede da Companhia Mate Laranjeira, onde foi planejada e construída a primeira via-férrea do Estado, para ligar Porto Murtinho as outras regiões, com vistas ao transporte do mate. A partir desse desbravamento, intensificaram-se as concentrações urbanas de Bela Vista, Ponta Porã e outras cidades e povoações diversas.

Joaquim Murtinho fez história através de sua vida pública. Foi eleito senador por 3 mandatos, ficando desde 1890 até 1911. Durante sua legislatura chegou a ocupar a vice-presidência do Senado. Porém, seu mais importante legado foi como Ministro da Fazenda (1898-1902) no governo Campos Sales, saneando as finanças brasileiras durante sua gestão. Este ilustre cidadão mato-grossense morreu em 19 de novembro na então capital do Brasil, o Rio de Janeiro.

Neste dia 7 de dezembro fazem 171 anos de nascimento de Joaquim murtinho na casa predestinada e pública. Venha visitar o Museu de História Natural Casa Dom Aquino e conheça as coleções científicas e a história de Dom Aquino Corrêa e Joaquim Murtinho, dois ilustres cidadãos que ajudaram a construir Mato Grosso.

Horário de funcionamento: Quarta a domingo das 8h às 18h

Entrada: R$ 6,00 (inteira) R$ 3,00 (meia)

Radharani Kuhn – Assessora de Imprensa 

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Cultura

Escolinha da Almê será reapresentada no Cine Teatro Cuiabá

Publicado

em

O sucesso da peça “Escolinha da Almê” pede bis e será reapresentado no dia 26 de janeiro, às 19h, no Cine Teatro Cuiabá, recriando personalidades históricas da cuiabania, quase lendárias, interpretadas por 21 crianças. A rica emergente, Almerinda George Lowsbi, agora é dona de uma escola e, não bastasse, também é a professora mais emponderada da rede de ensino de Mato Grosso, onde vai ensinar o bê-á-bá a esses alunos consagrados da história mato-grossenses. Tem “Jejé de Oyá”, “Lucius do Caju”, “Maria Taquara”, “Dominguinhas”, lá de São Gonçalo Beira Rio, além dos personagens de Liu Arruda, escritores consagrados como Manoel de Barros, Luciene Carvalho e Dunga Rodrigues.

A Escolinha da Almê nasceu no Espaço Incasa, e é a realização de um sonho do ator D`Lucca. Foi para os palcos, pela primeira vez, em dezembro do ano passado (8), e agora segue para o Cine Teatro, antes de estrear a segunda temporada na TV Centro América.

“Eu sempre quis ter um quadro na TV, e te-lo na TV Centro América é melhor ainda, porque a audiência já vem garantida. A repercussão foi muito positiva, tanto que já foi confirmada a segunda temporada. Estou muito realizado com o projeto e é uma honra ter meus alunos juntos comigo”, define André D’Lucca,

Para esta produção, as crianças passaram por um teste seletivo, no mês de agosto de 2019, concorrendo com mais de 50, com idades entre 06 e 12 anos. Dentre as selecionadas estão novos alunos e veteranos, que estão desde o início da escola (2016), como Kauany Aimme, que faz o papel de Zulmira Canavarros, Emanuel Davi, como Ezequiel dos Cachorros, Pietro Lara, como Lucius do Caju, entre outros.

Além desses personagens, entra em cena o amado escritor Manoel de Barros, interpretado por Walmir Neto, e os personagens de Liu Arruda: a esperta e desbocada Nharinha, por Kamila Carvalho, o preguiçoso Juca, por Victor Hugo, que fica esperando o VLT passar para leva-lo até a escola; o animado Gladstone, que é rock na veia, por Antonny Murer e a espevitada Ramona, por Maria Eduarda Nogueira, que apesar de sentar na frente da sala, atenção é o que falta para ela, quando ela não falta aula também.

Maria Luiza é um show a parte, com a beleza e o visual de Maria Taquara, que “tora”

Cuiabá inteira, vindo lá das bandas do “quarté”, para chegar na escola.

Tem também o poeta andarilho José Inácio da Silva, mais conhecido como Zé Bolo Flô, interpretado por Ruancarlos de Oliveira, Jejé de Oyá que é revivido por Lucas Laurent, Mãe Bonifácia, por Isa Mendes, e Dunga Rodrigues, que teve papel fundamental na cultura cuiabana, como professora, musicista, historiadora e escritora, que será lembrada por Isabelle Venturoso.

E viva o siriri, viva Domingas Eleonor, dona Domingas, do Flor Ribeirinha, que será representada por Julinha Kids, como Dominguinhas. Outro ribeirinho é o Xô Ditinho, por Ian Ramos Faria, inspirado no engraçado Xô Dito, personagem que faz sucesso pelo ator Thyago Mourão.

Dois indígenas entram em cena, o camarada Raoni, por Luiz Augusto, que enche Almerinda de perguntas que ela não sabe responder, e o Cacique, pai de Raoni, por Wagton Douglas.

A escritora imortal Luciene Carvalho é contada pela atriz Eduarda Mascarenhas, que faz rima, prosa, é estudiosa, vive no mundo da lua, come sopa de letrinhas e vive das Letras.

Mais charmosa que a Penélope, personagem do conceituado ator Eduardo Butakka, só a Penelopezinha, por Marina Pretti, de apenas sete anos de idade, que também faz parte do elenco.

E claro, não podia faltar o espelho de Almerinda: a provocativa Almerindinha, por Leticia Souza, que contracena com Ariana Carla, que faz o papel de Mary Jane, mãe da pequena prodígio.

Para cuidar da escola junto com Almerinda entra em cena a diretora, por Maria Eduarda Mezavila. Sem esquecer do mascote da turma, que é o Tedy, o cãozinho que Ezequiel dos Cachorros leva para a sala de aula todos os dias.

Quer saber mais? Venha conferir neste domingo (26), às 19h, no Cine Teatro Cuiabá.

SERVIÇO

Os ingressos já podem ser retirados antecipadamente pelo site Guichê Web – https://www.guicheweb.com.br/ingressos/13462, com preço promocional, a R$ 40 e R$ 20 meia entrada e ingresso solidário, com 1kg de alimento não perecível, ou de terça-feira até domingo, das 14h às 18h, na bilheteria do Cine Teatro, localizado na avenida Getúlio Vargas, 247, no Centro de Cuiabá.

Mais informações pelos telefones (65) 9292-9907, (65) 99249-5952, (65) 99232-6702 e (65) 2129-3848.

Por Beatriz Saturnino – Da Assessoria de Imprensa

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana