conecte-se conosco



Esportes

Mato Grosso sediará Super Copa Brasil de Tênis de Mesa neste mês

Publicado

em

A Super Copa Brasil Centro-Norte-Nordeste II, uma das principais competições da CBTM – Confederação Brasileira de Tênis de Mesa, ocorrerá neste mês, de 26 a 29 de setembro, no Ginásio Poliesportivo Professor Aecim Tocantins, em Cuiabá-MT. E o período para as federações e clubes efetuarem as inscrições dos mesatenistas ainda está aberto até o próximo dia 09 de setembro.

De acordo com o coordenador de eventos da CBTM, Edir Oliveira, a entidade esportiva considera importante fazer eventos nas diferentes regiões do Brasil e a estrutura de Cuiabá, como, por exemplo, do aeroporto, da rede hoteleira, rede de restaurantes e Aecim Tocantins, permite a promoção de um grande evento. E, segundo ele, o apoio dos governos, municipal e estadual, foi essencial.

“Os melhores atletas brasileiros olímpicos e paraolímpicos participam da Super Copa Brasil por conta da competição valer uma pontuação com bom peso no ranking nacional, que é maior do que nas etapas anteriores deste ano, que ocorreram em São Paulo-SP, Brasília-DF e Maringá-PR, e também por ser válida para a prestação de contas do Bolsa Atleta Federal”, explica Edir Oliveira.

A Super Copa Brasil Centro-Norte-Nordeste de Tênis de Mesa conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Cuiabá e da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo de Cuiabá e também do Governo do Estado de Mato Grosso, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) e da Secretaria Adjunta de Esporte e Lazer (Sael). E o evento não seria realizado sem o apoio deles.

Inscrições

Somente as federações e os clubes podem realizar as inscrições dos atletas nos eventos. É vedada a inscrição diretamente do atleta em eventos nacionais. E clubes e federações, que precisam estar em dia com suas situações jurídica, financeira ou administrativa perante a CBTM ou entidades filiadas a CBTM, devem preencher o formulário de inscrição disponível no site da CBTM.

Os mesatenistas precisam efetuar o pagamento da inscrição no evento, que são nos valores de: R$ 175,00 para uma categoria individual, R$ 285,00 para duas categorias individuais, R$ 390,00 pra três categorias individuais e R$ 175,00 para competição de duplas. Além do mais, estar quitado o pagamento da Taxa de Registro Anual (TRA). Mais detalhes sobre inscrições ou outras informações estão disponíveis no site da CBTM (http://cbtm.org.br/).

Ginásio

O Ginásio Poliesportivo Professor Aecim Tocantins, o popular ‘Aecim Tocantins’, foi inaugurado em 2007 e tem área construída de 16.000 m². Tem uma quadra poliesportiva oficial, que atende as exigências das confederações de voleibol, futsal, handebol e basquetebol, tem capacidade para receber 11 mil torcedores, possui 11 cabines de imprensa, tribuna de honra, auditório com 70 lugares, refeitório para 132 pessoas, alojamento com 200 leitos e salas administrativas.

O Aecim Tocantins já sediou outros dois eventos nacionais de tênis de mesa nos últimos anos. Primeiro recebeu o 67° Campeonato Intercolonial Brasileiro de Tênis de Mesa, de 20 a 22 de janeiro de 2017, que contou com grandes atletas, como, por exemplo, Bruna Takahashi e Caroline Kumahara. E depois recebeu a Copa Brasil de Tênis de Mesa, de 02 a 05 de agosto de 2018, com a presença do lendário, Hugo Hoyama e de outras estrelas da modalidade.

O Ginásio Aecim Tocantins está localizado na Avenida Agrícola Paes de Barros, s/n, esquina com Rua Traçaia, no bairro Verdão, em Cuiabá.

Circunvizinhança

O Ginásio Aecim Tocantins fica dentro do Complexo Esportivo Arena Pantanal, que é formado pelo estádio Arena Multiuso Governador José Fragelli – Arena Pantanal, que recebeu partidas da Copa do Mundo Fifa de 2014 e pode ser um ponto turísticos para os selfies dos atletas, também é formado pelo Palácio das Artes Marciais Iusso Sinohara e por quadras de vôlei de areia e piscina olímpica.

Além disso, nas proximidades fica a academia Golfinho Azul, com musculação, natação, hidroginástica e hidrobike, localizada na Avenida São Sebastião, n°835, telefone (65)3623-4008, no bairro Cidade Alta, também há a academia Cia do Tênis, com tênis em quadras de saibro, na Rua Ranulfo Paes de Barros, n° 200, no bairro Jardim Independência, em Cuiabá-MT.

CT Kano

A capital mato-grossense possui um centro de treinamento certificado pela CBTM, o Centro de Treinamento e Desenvolvimento de Tênis de Mesa Cláudio Kano (CTKano), com 250 m², área climatizada e que foi presenteado pela CBTM e pelo Comitê Olímpico Brasileiro (Cob) com as mesas usadas nas Olimpíadas Rio 2016. E fica no Complexo Esportivo Dom Aquino, na Avenida Carmindo de Campos, atrás do Shopping Popular, em Cuiabá, e pode ser usado para praticar tênis de mesa durante a Super Copa Brasil Centro-Norte-Nordeste.

“Um evento de grandiosas dimensões como a Super Copa Brasil possibilita que nossos atletas e o público mato-grossense possam assistir as performances dos melhores mesatenistas do país. E ainda propicia que os atletas locais tenham um aumento significativo de nível técnico justamente por competir com essas feras nacionais”, avalia o presidente da Federação Mato-grossense de Tênis (FMTTM), Sandro José Abrão.

Texto: Junior Martins/CBTM

Crédito Fotógrafo: Junior Martins/CBTM

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Esportes

Clubes de Mato Grosso ‘inaptos’ perante a Receita Federal

Publicado

em

Dois dos 10 clubes que disputam o Campeonato Mato-grossense/2020 são considerados ‘inaptos’ pela Receita Federal por não prestarem contas ao Governo. Poconé Esporte Clube e Clube Esportivo Dom Bosco estão na mesma situação: “Omissão de Declarações”, afirma a Receita, através de relatório público do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica. Mas, para a Federação Mato-grossense de Futebol, “não há problema algum”.

 

Segundo a Receita, um CNPJ Inapto nada mais é, quando uma empresa ou entidade está inapta de exercer suas atividades com o cadastro. Isto é, significa que a empresa omite dados e informações na escrituração em dois exercícios consecutivos, diante da Receita Federal.

 

Segundo ainda a Receita, “empresas com omissão de declarações e obrigações correm o risco de ter o CNPJ suspenso”. De acordo com a Lei 11.941 2009 e, em seu artigo 54: “Terão sua inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica – CNPJ baixada, nos termos e condições definidos pela Secretaria da Receita Federal do Brasil, as pessoas jurídicas que tenham sido declaradas inaptas até a data de publicação desta Lei”.

 

Sem o CNPJ validado, legalmente estes clubes não podem obter recursos públicos, verba da Loteria Esportiva, e nem efetuar compras, sendo impedidos inclusive de emitir notas fiscais ou recibos de transações financeiras. Não bastasse isso, os clubes ainda podem incorrer em multas e infrações trabalhistas, pois para contratar atletas e demais funcionários, também dependem do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica. P

 

Presidente do Poconé Esporte Clube, Orivaldo Rondon, que é membro do Conselho Fiscal da FMF, foi ouvido pela reportagem na tarde da última sexta-feira (21), e disse que o clube está em dia com suas obrigações perante a receita. Perguntado sobre o mesmo tema em seguida, o dirigente mostrou irritação e questionou o objetivo da reportagem. “Está tudo certo sim, estou te dizendo que estamos em dia com nossas obrigações!”, afiançou o presidente, que no ano passado terceirizou o clube para um empresário. Em 2020 a equipe disputa o Campeonato Mato-grossense com uma equipe inteira formada por atletas da Capital.

 

Administrado por um grupo de conselheiros e gestores há anos, de forma independente da parte social do clube, o Dom Bosco está na mesma situação. Apesar da estratégia de gestão ter sido criada pela Aleco (Associação Leões da Colina) para desvincular o clube do futebol profissional, a fim de evitar dívidas trabalhistas, faltou organização.

 

Conselheiro do clube, Paulo Emílio disse “não estou a par disso. Sei que o clube tem um contador contratado só para trabalhar com isso; mas juridicamente não vejo que seja um problema grave. Se há uma pendência, deve ser resolvida”, disse, surpreendido o conselheiro. “Eu sinceramente não sabia disso”, admitiu o conselheiro.

 

Curiosamente, a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) tem como atividade principal, segundo a Receita, “Atividades de associações de defesa de direitos sociais”.

 

De acordo com o diretor de competições da entidade, Diogo Carvalho, a FMF não tinha conhecimento de tal problema. “Acho estranho porque se estivessem inaptos como a CBF aceitaria os contratos dos jogadores?”, questionou Carvalho, para em seguida completar: “Consultei a CBF, apesar de os clubes estarem inaptos perante a receita, por omissão de declarações, podem atuar e contratar normalmente”, argumentou o diretor de competições da FMF.

 

Presidente da Comissão de Estudos Tributários e Defesa do Contribuinte da OAB-MT a advogada Daniele Fukui contraria a versão da FMF, alertando sobre as irregularidades cometidas pelos dirigentes dos clubes que podem ser responsabilizados.

 

“Se o CNPJ não está ativo o clube não pode atuar”, disse a advogada, para em seguida detalhar a normativa que trata desse tipo de omissão de declarações à Receita. “De acordo com a instrução normativa 1863, da Receita Federal, de dezembro de 2018, em sua seção 4, artigo 46, a pessoa jurídica cuja inscrição no CNPJ tenha sido declarada inapta é: incluída no Cadastro Informativo de Créditos Não Quitados do Setor Público Federal (Cadin); impedida de participar de concorrência pública; celebrar convênios, acordos, ajustes ou contratos que envolvam desembolso, a qualquer título, de recursos públicos, e respectivos aditamentos; obter incentivos fiscais e financeiros; realizar operações de crédito que envolvam a utilização de recursos públicos; e transacionar com estabelecimentos bancários, inclusive quanto à movimentação de contas-correntes, à realização de aplicações financeiras e à obtenção de empréstimos”, diz a normativa.

 

Contador renomado em Cuiabá, entrevistado pela reportagem, reafirma o que prevê a normativa da Receita e diz que diante da situação, os clubes sequer podem ter movimentação financeira, quanto mais atuar em competições oficiais que envolvem recursos como é o Campeonato Mato-grossense. Responsável pelo plantão fiscal tributário da Receita Federal o servidor Yuti Shimada explicou a situação dos clubes e afirmou que os citados nunca solicitaram a certidão negativa de débitos junto ao órgão, por isso são considerados inaptos.

 

“Eles estão considerados inaptos porque deixaram de apresentar a declaração mensal de débitos e créditos tributários. Precisam mostrar o que gastaram ou receberam. Isso não suspende as atividades deles, mas impede que recebam por exemplo verbas oficiais”, disse Shimada.

 

De acordo ainda com a Receita, “sem entregar as declarações é impossível os clubes receberem a certidão negativa que possibilita movimentar negociações financeiras”.

 

“Nunca pegaram a certidão negativa aqui. É o que consta no sistema. Supõe-se que a Federação Mato-grossense de Futebol não saiba que eles nunca a entregaram”, disse Shimada.

 

Por Gazeta Digital

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana