conecte-se conosco



Política MT

Juiz vê “fatos robustos” e dá cinco dias para Selma se defender

Publicado

em

O juiz eleitoral Jackson Francisco Coleta Coutinho determinou que a ex-juíza e candidata ao Senado, Selma Arruda, apresente defesa diante da ação de investigação eleitoral proposta pelo candidato a senador da coligação Redefinindo Mato Grosso (REDE/PPL), Sebastião Carlos.
O magistrado entendeu que os documentos juntados no pedido são suficientes para o recebimento da ação, em que Selma Arruda é acusada de abuso de poder econômico e crime eleitoral.
“Ademais, quanto aos fatos objetivamente narrados na inicial, diversos documentos foram carreados aos autos, mostrando-se suficientes para a instalação da presente demanda”, despachou o juiz eleitoral.
Selma Arruda é suspeita de crime eleitoral ao firmar contrato e efetuar o pagamento a uma agência de publicidade para trabalho de campanha antes do prazo permitido pela legislação. O montante gasto com o serviço é de R$ 700 mil, cujo parte do pagamento foi feito com cheques pessoais da candidata.
A decisão da Justiça Eleitoral foi do último domingo (30) estabelecendo o prazo de até cinco dias para que a candidata apresente sua defesa. Por entender que já há fatos robustos para se abrir uma investigação, o juiz indeferiu a liminar proposta por Sebastião.
Na ação, Sebastião Carlos pede a cassação do registro da candidatura de Selma Arruda, quebra do sigilo bancário e busca e apreensão no comitê da candidata tendo em vista a prática de “caixa dois” por arrecadar de forma ilícita para despesas de campanha eleitoral realizadas antes da data estabelecida pela legislação.
Fonte: Natacha Wogel

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

PF prende em Portugal suspeito de invasão hacker ao TSE

Publicado

em

Operação coordenada pela Polícia Federal (PF) em parceria com a Polícia Judiciária Portuguesa prendeu neste sábado (28), em Portugal, um suspeito de envolvimento no ataque hacker ao sistema Tribunal Superior Eleitoral do (TSE), que divulgou dados do tribunal no dia do primeiro turno das eleições municipais.

Segundo a PF, o inquérito policial aponta que um grupo de hackers brasileiros e portugueses, liderados por um cidadão português, foi responsável pelos ataques criminosos aos sistemas do TSE no primeiro turno das Eleições de 2020.

Estão sendo cumpridos, no Brasil, três mandados de busca e apreensão e três medidas cautelares de proibição de contato entre investigados nos estados de SP e MG. Além da prisão, em Portugal, é cumprido um mandado de busca e apreensão. As ações se desenvolvem com por meio da Operação Exploit.

Os mandados cumpridos no Brasil foram expedidos pelo Juízo da 1ª Zona Eleitoral do Distrito Federal, após representação efetuada pela Polícia Federal e manifestação favorável da 1ª Promotoria de Justiça Eleitoral.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana