conecte-se conosco



Política MT

Jayme lidera arrecadação entre candidatos ao Senado

Publicado

em

Alair Ribeiro/MidiaNews

Os cinco principais candidatos as duas vagas para o Senado por Mato Grosso,  já declaram os gastos de suas campanhas e quanto receberam de receitas. Liderando as pesquisas de intenções de voto com 34%, Jayme Campos (DEM) também lidera a lista dos candidatos que mais receberam doações e contrataram despesas para a sua campanha. Dos R$ 1.019.448,19 recebidos de receitas até agora, R$ 514.798,16, cerca de 50.5%, vieram de recursos próprios. Na parte das despesas contratadas, 74% dos R$ 814.004,35 declarados, R$ 600.000 foram para gastos relacionados a publicidade, material gráfico e material para inserções em rádio e TV.

 

As declarações são públicas e podem ser encontradas no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), no sistema DivulgaCandContas. Todas as declarações mencionadas estão aguardando julgamento, ou seja, já foram enviadas para a apreciação do TRE e são números parciais, podendo sofrer alterações.

 

O candidato Procurador Mauro (PSOL), tem gastos modestos. Ele declarou ter recebido apenas R$ 3.000 e não declarou os gastos com despesas.

 

O deputado federal e candidato Nilson Leitão (PSDB), recebeu R$ 505.030,00 em receitas. R$ 500 mil, quase 100% dos recursos, vieram da Direção Nacional do partido e R$ 5.000 vieram de recursos próprios e mais R$ 30,00 via transferência bancária. Das despesas declaradas no valor de R$115.080,40, cerca de 56%, R$ 65.000 foram para a produção de programas de rádio, televisão ou vídeo. Outros 24%, R$ 27.605,40 foram para a vinculação de publicidade via materiais impressos e os 20% restantes, R$ 22.475,00, para publicidade por adesivos.

Carlos Fávaro arrecadou R$180.000,00 e gastou R$33.800,00

 

A Professora Maria Lúcia (PC do B), é a segunda candidata dos cinco primeiros, que mais receberam receitas, com R$ 521.605,00. R$ 500.000, vieram da Direção Nacional do Partido e o restante se divide entre doações pessoais e R$ 1.805,00 via financiamento coletivo. Na parte das despesas, foram declaradas R$ 4.787,25. Em torno de 96% do montante, R$4.600 foram para publicidade por materiais impressos. O restante foi utilizado para o pagamento de taxas bancárias e financiamento coletivo somadas no valor de R$ 187,25.

 

Completando o ‘’top five’’, a juíza aposentada Selma Arruda (PSL), declarou ter recebido R$ 368.275,00, 51% do valor, R$ 188.000,00 veio de doação própria. Os outros 48,88%, R$180.000,00 vieram de Gilberto Eglair Possamai, 1º suplente de Selma, ex-vereador de Sorriso e investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), acusado de ser laranja do ex-senador Blairo Maggi (PP), por conta da compra de uma fazenda de calcário em Rosário Oeste (a 128 km ao Norte de Cuiabá), localidade chamada Fazenda São José. Já as despesas contratadas pela campanha não foram declaradas.

 

Candidatos que mais tiveram receitas recebidas

Jayme Campos (DEM) – R$ 1.019.448,16

Professora Maria Lúcia (PC do B) – R$521.605,00

Nilson Leitão (PSDB) – R$ 505.030,00

Selma Arruda (PSL) – R$ 368.275,00

Procurador Mauro (PSOL) – R$ 3.000,00

 

Candidatos que mais tiveram despesas contratadas

Jayme Campos (DEM) R$ 818.004,35

Nilson Leitão (PSDB) – R$115.080,40

Professora Maria Lúcia (PC do B) – R$4.787,25

Procurador Mauro (PSOL) – Não declarado

Selma Arruda (PSL) – Não declarado

 

Fonte: Gabriel Oliveira -MT de fato

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Deputados votam 34 vetos, derrubam cinco e mantém 29

Publicado

em

Reunidos em sessão ordinária na quarta-feira (2), os deputados fizeram um mutirão e limparam a pauta de vetos em tramitação no Parlamento. Os deputados estaduais votaram 34 vetos do governador Mauro Mendes (DEM) a projetos e mensagens. Destes, apenas cinco vetos foram derrubados.

A pauta estava sobrestada por conta dos vetos que estavam em tramitação na Casa de Leis. Foram três sessões ordinárias para limpar a pauta de vetos e votar os projetos que estavam represados no Parlamento.

Os vetos derrubados foram o veto 86/20, veto 92/2020, veto 75/2020, veto 72/2020 e veto 90/2020.  O veto 86/2020, de autoria do deputado Dr. Gimenez, é veto total aposto ao Projeto de Lei nº 491/2020, que obriga as escolas da rede pública ou privada do Estado de Mato Grosso a adotarem medidas de prevenção a disseminação do coronavírus (Covid-19) em suas instalações, quando do retorno as aulas presenciais.  Outro veto derrubado, o veto 72/2020, de autoria do deputado Faissal, dispõe sobre a constituição do direito de uso de cadeiras cativas na Arena Pantanal. O Veto 75/2020, do deputado Thiago Silva, também derrubado, institui o Programa Cidadão da Paz, no âmbito do Estado de Mato Grosso.

Os vetos mantidos foram: Veto 47/2020, 56/20, 58/2020, Veto 60/2020, Veto 61/2020, Veto 63/20200, Veto 64/2020, Veto 65/2020, Veto 66/2020, Veto 67/220, Veto 68/2020, Veto 71/2020, Veto 74/2020,Veto 76/2020, Veto 77/2020, Veto 78/2020, Veto 79/2020, Veto 80/2020, Veto 81/2020, Veto 82/2020, Veto 83/2020,Veto 84/2020, Veto 85/2020, Veto 87/2020, Veto 88/2020, Veto 89/2020, Veto 91/2020, Veto 93/2020, Veto 73/2020 e Veto 62/2020.

 

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana