conecte-se conosco



Política MT

Jayme destinará 70 milhões para a saúde e propor a frente parlamentar de fronteira

Publicado

em

Emendas anuais em valores estimados cada uma de R$ 70 milhões e a criação da Frente Parlamentar de Fronteiras que reúne representantes de 11 Estados que estão ao longo da fronteira do Brasil com países da América do Sul são duas propostas que o candidato ao Senado, Jayme Campos da Coligação Prá Mudar Mato Grosso incorporou ao seu programa de atividades a partir de 2019.

“Com estes recursos que exigiremos do Governo Federal seja liberado emergencialmente, já que iremos apresentar como emenda de bancada e impositiva, ajudaremos o futuro governador Mauro Mendes a promover ações emergenciais para reforma de todos os hospitais regionais e municipais em convênio com o Governo do Estado”, disse Jayme Campos para uma seleta plateia de prefeito que se reuniram na última terça-feira em Cuiabá.

O candidato lembrou que os recursos públicos devem ser aplicados de forma racional e visando contemplar a maioria da população, principalmente nas áreas essenciais como saúde, segurança, social, obras e educação.

“Nosso papel enquanto legisladores é fazer com que os recursos cheguem aos municípios e, por conseguinte atendam a população em suas necessidades, principalmente aqueles que dependem do Poder Público para ter uma saúde eficiente e prestativa. O que as pessoas de bem procuram, são resultados em suas expectativas e isto, eu, os deputados federais, estaduais e o governador Mauro Mendes iremos fazer”, frisou Jayme Campos.

O candidato a senador pelo Democrata, fez questão de lembrar que a UPA IPASE em Várzea Grande, inaugurada na gestão da prefeita Lucimar Sacre de Campos, é referência que o Ministério de Saúde aponta para todos os municípios de Mato Grosso em atendimento de urgência e emergência.

FRONTEIRA

Já em relação a política de fronteira, Jayme Campos lembra que o Brasil é signatário de uma infinidade de tratados com vários países, mas precisa reforçar suas fronteiras, “por onde sabidamente entra drogas, armamentos, dinheiro ilícito, aeronaves, veículos entre outras coisas e por onde saem daqui o produto de roubo”.

Jayme Campos lembrou que são 11 Estados que fazem fronteira com outros países da América do Sul e, portanto, serão 33 senadores e uma infinidade de deputados federais que formalizarão políticas para conter o avanço da insegurança nas fronteiras do Brasil.

“O custo de não fazer nada é muito maior do que os investimentos que necessitam ser colocados em prática para atender a população destas regiões e resguardar a segurança nacional de uma nação do tamanho do Brasil. Se estas ações serão feitas pelas Forças Armadas em comum acordo com as forças policiais do Estado não importa, o que não pode é deixar as coisas como estão, pois, a droga mata, empobrece ainda mais a população, arma aqueles que se utilizam da criminalidade e chegam ao ponto de enfraquecer a economia nacional com a entrada de contrabando de cigarros, eletroeletrônicos, roupas e muitos outros produtos”, concluiu Jayme Campos.

Fonte: Assessoria

Clique para comentar
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Política MT

Descubra quanto cada deputado federal gastou em 2020

Publicado

em

Os deputados federais de Mato Grosso utilizaram bastante dos recursos disponíveis para o mandato em 2020. Entre os 8 parlamentares, quem mais gastou foi Carlos Bezerra (MDB). Com a soma da Cota Parlamentar de R$ R$ 447,6 mil adicionada a verba de gabinete no valor de R$ 1,2 milhão, o total de gastos chegou a R$ 1,449 milhão aos cofres públicos. Confira quanto cada deputado federal gastou.

Em seguida vem Nelson Barbudo (PSL), que gastou R$ 401,9 mil com a divulgação da atividade parlamentar e R$ 943,1 mil de gabinete, o que culminou na somatória de R$ 1,3 milhão ano  passado.

Já o deputado Dr. Leonardo (SD) teve gasto de R$ 349,4 mil da cota e R$ 943,1 mil do custeio do pessoal, com o valor final em 12 meses na casa do R$ 1,292 milhões.

Na atuação como deputado, o progressista Neri Geller gastou R$ 301 mil e com verba R$ 980,6 mil, a somatória dos valores no final resultou em R$ 1,292 milhões em 2020.

O parlamentar José Medeiros (Pode) informou que suas despesas foram na casa de R$ 289 mil com demonstração do seu trabalho e R$ 972, 6 mil de gabinete. No total o custo foi de 1,267 milhões.

Já o emedebista Juarez Costa teve gastos na ordem de R$ 251,7 mil com cota e R$ 993,7 mil com gabinete, somando R$1,260 milhões.

A deputada do Partido dos Trabalhadores (PT), Rosa Neide, teve R$ 242,7 mil em cota parlamentar e R$ 996,1 mil do dinheiro direcionado ao custeio do gabinete, o que totalizou R$1,248 milhões.

Filho do atual prefeito de Cuiabá, o deputado Emanuel Pinheiro Neto, conhecido como Emanuelzinho (PTB), declarou R$ 165,5 mil em atividade parlamentar e R$ 932,7 mil de verba para o custeio do pessoal, no fim a somatória foi de R$ 1.098 milhões.

 

Fonte Gazeta

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana