conecte-se conosco



Política MT

Jayme defende direitos adquiridos e admite rever a Reforma Trabalhista

Publicado

em

Com bastantes manifestações populares em todas as viagens realizadas a todas as regiões de Mato Grosso, o candidato a uma das duas vagas para o Senado da República pela Coligação Prá Mudar Mato Grosso, Jayme Campos admitiu que poderá promover alterações a Reforma Trabalhista, caso eleito.

“Sou favorável a Reforma Trabalhista, mas desde que fiquem assegurados os direitos dos trabalhadores. Agora nada impede, que existindo motivos, possamos rever algumas regras, pois é para isto que existe o Congresso Nacional e seus parlamentares, ou seja, se necessário, promover mudanças para melhor”, disse Jayme Campos.

Ele sinalizou que tem sido procurado com insistência por diversos segmentos com reclamações quanto a nova legislação e ponderou que algumas delas merecem uma análise e estudos para saber o impacto e sua extensão em relação aos trabalhadores.

“Eu vejo que o Brasil tem um arcabouço de legislação muito extenso e deveríamos rever isto, simplificar para que as pessoas possam conviver com menos burocracia que tanto atropelo provoca, além de prejuízos a população e as próprias instituições públicas. Volto a frisar, sou favorável a Reforma Trabalhista, desde que os direitos dos trabalhadores estejam assegurados e legalmente garantidos. Novas regras daqui para frente devem ser analisadas, debatidas e promovidas”, explicou o candidato ao Senado na chapa encabeçada pelo futuro governador de Mato Grosso, Mauro Mendes.

“Recebemos pedidos em todas as reuniões que realizamos, em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Barra do Garças, Confresa, enfim em todas as cidades pela qual passamos, podemos perceber a preocupação dos trabalhadores quanto a nova legislação e se necessário vamos promover mudanças na mesma, lembrando que defendemos o equilíbrio na relação patrão/empregado, pois um não consegue se estabelecer sem o outro”, ponderou Jayme Campos.

Ele foi mais longe ainda ao ponderar que defende consultas plebiscitárias quando o assunto tratar do dia a dia da população. “Não é só na reforma trabalhista. Precisamos de uma reforma tributária, pois o cidadão trabalha 153 dias, ou seja, 42% do total de 365 dias de um ano, apenas para pagar impostos e isto impede o país de crescer e se desenvolver”, disse o candidato ao Senado apontando ainda como prioridade a reforma política e temas polêmicos como maioridade penal, aborto, casamento de pessoas do mesmo sexo, porte de arma na zona rural entre outros.

1 comentário
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clebio
2 anos atrás

O que eu sei é que esse pulha é rico tem muitos currais incluindo os eleitorais

Política MT

Descubra quanto cada deputado federal gastou em 2020

Publicado

em

Os deputados federais de Mato Grosso utilizaram bastante dos recursos disponíveis para o mandato em 2020. Entre os 8 parlamentares, quem mais gastou foi Carlos Bezerra (MDB). Com a soma da Cota Parlamentar de R$ R$ 447,6 mil adicionada a verba de gabinete no valor de R$ 1,2 milhão, o total de gastos chegou a R$ 1,449 milhão aos cofres públicos. Confira quanto cada deputado federal gastou.

Em seguida vem Nelson Barbudo (PSL), que gastou R$ 401,9 mil com a divulgação da atividade parlamentar e R$ 943,1 mil de gabinete, o que culminou na somatória de R$ 1,3 milhão ano  passado.

Já o deputado Dr. Leonardo (SD) teve gasto de R$ 349,4 mil da cota e R$ 943,1 mil do custeio do pessoal, com o valor final em 12 meses na casa do R$ 1,292 milhões.

Na atuação como deputado, o progressista Neri Geller gastou R$ 301 mil e com verba R$ 980,6 mil, a somatória dos valores no final resultou em R$ 1,292 milhões em 2020.

O parlamentar José Medeiros (Pode) informou que suas despesas foram na casa de R$ 289 mil com demonstração do seu trabalho e R$ 972, 6 mil de gabinete. No total o custo foi de 1,267 milhões.

Já o emedebista Juarez Costa teve gastos na ordem de R$ 251,7 mil com cota e R$ 993,7 mil com gabinete, somando R$1,260 milhões.

A deputada do Partido dos Trabalhadores (PT), Rosa Neide, teve R$ 242,7 mil em cota parlamentar e R$ 996,1 mil do dinheiro direcionado ao custeio do gabinete, o que totalizou R$1,248 milhões.

Filho do atual prefeito de Cuiabá, o deputado Emanuel Pinheiro Neto, conhecido como Emanuelzinho (PTB), declarou R$ 165,5 mil em atividade parlamentar e R$ 932,7 mil de verba para o custeio do pessoal, no fim a somatória foi de R$ 1.098 milhões.

 

Fonte Gazeta

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana