conecte-se conosco



Várzea Grande

Hospital e Pronto Socorro completam 30 anos com média de 18 mil atendimentos/mês

Publicado

em

O Hospital e Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande completa 30 anos , na data de hoje, 13 de setembro com novos serviços para a população. Com sua reforma geral já com 90% das obras conclusas, foram retomadas cirurgias, exames de alta tecnologia, implantação da Rede Cegonha, novos leitos de UTIs neonatal, infantil e adulto, sistema de gestão informatizado. Os avanços vêm de encontro à reestruturação da Rede de Serviços do Sistema Único de Saúde, que também completa nesta data 30 anos.Foi realizado Culto Ecumênico nas dependências da unidade hospitalar para comemorar a data festiva.

A Rede SUS está fortalecida no nosso município

Todas estas mudanças prevê a ampliação do serviço de média e alta complexidade na unidade hospitalar, que por mês chega a realizar 18 mil atendimentos e procedimentos. Desde o inicio da reforma já foram investidos R$ 6 milhões entre obras e equipamentos. Mais R$ 400 mil devem ser investidos ainda para a conclusão total das obras.

Para o diretor geral, Ney Provenzano, hoje a unidade tem motivos de sobra para festejar esse aniversário. “Podemos citar o crescimento do hospital junto a sua  taxa de ocupação superior a 95%, média de permanência na maternidade de 2 dias e na clínica médica de 6 dias, passamos  a realizar 624 partos, tendo o mais importante: integração da equipe multiprofissional e, consequente melhoria na qualidade da assistência aos usuários do SUS; funcionamento 24 horas para atender à sociedade; a qualificação no quadro de funcionários, além do melhorar a qualidade e os indicadores que avaliam o serviço”, afirma.

O secretário Municipal de Saúde, Diógenes Marcondes lembra que todas as unidades de saúde avançaram, inclusive o Hospital e Pronto Socorro que já conta com exames de última geração como a Tomografia Computadorizada e a Ultrassonografia, ambos os exames gratuitos, 24 horas por dia e com laudo em duas horas após a realização da mesma. Além disso a unidade conta agora com o sistema 100% informatizado que integra os dados dos pacientes desde o primeiro atendimento até os resultados de exames.

“Temos convicção de que a saúde avançou muito nos últimos meses, mas ainda é pouco diante da necessidade da população e pelo fato de que entre 40 e 45% dos atendimentos realizados pela unidade é de pacientes de outros municípios e até mesmo Estados do Brasil.Hoje a Rede SUS está fortalecida no nosso município”, disse ele.

Diógenes lembrou ainda que a saúde pública poderá contar com novas Unidades Básicas de Saúde (USB) que elevarão para 70% a cobertura da Atenção Básica, ou seja, a saúde preventiva, que é aquela aonde o paciente recebe os primeiros atendimentos, deixando os casos de urgência e emergência para as demais unidades a UPA IPASE e o Hospital e Pronto Socorro. Em breve será inaugurada também mais uma Unidade de Pronto Atendimento 24h, a Upa Cristo Rei.

A prefeita Lucimar Sacre de  Campos também esteve presente no Culto Ecumênico realizado na unidade em comemoração ao aniversário do HPSM-VG, ela agradeceu aos colaboradores que por sua vez prestaram homenagens a gestora. “Quero parabenizar a todos pelos 30 anos de Hospital e Pronto Socorro, são 30 anos de atendimento, dedicação e de vida. Porque a gente faz com muito amor, a gente trabalha muito para proporcionar a vocês condições de exercer esse papel, tão bonito que é de salvar e dar vida a quem precisa de nós, meu muito obrigado”.

Dona Jocenil da Costa Ventura, “Juju”, como é mais conhecida entre os colegas, se orgulha em completar 30 anos de função dentro da unidade hospitalar. Dona juju começou como cozinheira, estudou, se formou e começou a atuar na farmácia onde já está a quase 22 anos. “Comecei essa caminhada junto com o surgimento do hospital, há 30 anos atrás, que até então, não tinha nenhum Pronto Atendimento na cidade  Para buscar um atendimento de urgência e emergência a gente tinha que se deslocar até Cuiabá. Hoje além de comemorar os meus 30 anos de pronto socorro, comemoro também essa reforma que já está quase concluída e será entregue pela nossa querida prefeita Lucimar Campos, que tanto faz pelo povo Várzea-grandense”, diz Dona Juju.

Já foram entregues com as reformas da unidade hospitalar, a UTI neonatal e pediátrica com 07 leitos para neonatologia e 03 leitos de pediatria; a Sala de Medicação com 10 poltronas para pacientes, 10 cadeiras para atendimento ao paciente para procedimentos invasivos (punção e infecção entre outros) e Posto de Enfermagem Exclusivo. A UTI adulto com 10 leitos;a Sala Vermelha adulto (Box) com 10 leitos;o Bloco E (Sala de Observação) com Posto de Enfermagem e Prescrição Médica com 16 Leitos divididos entre masculinos e femininos;o Centro Cirúrgico com 3 salas, a recepção Adulto, os Blocos A e B com 71 leitos ambos, Boco C (Infantil) com 13 leitos e uma brinquedoteca e dois postos de enfermagem. A Rede Cegonha com 10 leitos de enfermaria e 3 PPP (salas de parto), além de outros setores. No total são 172 leitos entregues totalmente reformados e ampliados até essa etapa da reforma. Na ultima etapa de obras serão reformados os pavimentos que compõem a Sala Vermelha Infantil (Box) com 10 leitos, o Laboratório e a Agência Transfusional (Banco de Sangue).

 

Fonte: Secom-VG

Clique para comentar
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Várzea Grande

Governo apresenta diretrizes do BRT a VG

Publicado

em

A equipe técnica da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) apresentou, durante a reunião nesta sexta-feira (22.01), à equipe técnica da Prefeitura de Várzea Grande as diretrizes do plano funcional da rede integrada do transporte coletivo para a  implantação do Ônibus de Trânsito Rápido (BRT), movido à eletricidade.

Na ocasião, já foi discutida a ampliação do modal na cidade, que teria apenas um eixo do transporte em caso de manutenção das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), entre o Aeroporto Marechal Rondon em direção à região do CPA, em Cuiabá. Com o BRT, será possível integrar outras grandes regiões de Várzea Grande, como a do Cristo Rei, até o centro da cidade, e contribuir para o desenvolvimento do município.

Durante a reunião, o engenheiro Arlindo Fernandes mostrou que o sistema do BRT prevê a operação de linhas expressas que podem fazer percurso saindo da calha viária planejada para o VLT, nos eixos de Várzea Grande sentido CPA e sentido Coxipó, em Cuiabá. Desse modo, proporcionará maior alcance social, uma vez que vai atingir as regiões mais populosas e também mais distantes do eixo estrutural do VLT.

No caso de Várzea Grande, essas linhas podem levar os passageiros da região do aeroporto até o centro de Cuiabá sem nenhuma parada, com maior rapidez e redução do tempo de viagem. Além disso, é possível a instalação de outros terminais para além dos já previstos no plano do VLT, como o do aeroporto, atendendo a várias outras regiões da cidade que não seriam beneficiadas caso não houvesse a  implantação do BRT.

“O BRT traz uma possibilidade de ajustes no projeto. O VLT, por ser uma metodologia ferroviária, tem uma rigidez. O BRT tem toda uma flexibilidade e não precisaria operar somente do Aeroporto até a Prainha, como estava previsto o VLT. Como também poderia operar com uma linha expressa prevendo a não parada. A demanda do BRT é capaz de atender muito mais eixos e mais passageiros”, disse.

Representando a prefeitura de Várzea Grande, Claudio José da Silva pontuou que a cidade tem o interesse de inserir um novo contexto no BRT, a fim de que a população do município tenha acesso com maior facilidade ao centro de Várzea Grande. O objetivo é que, com a implantação do BRT, a cidade possa construir um sistema de integração do transporte coletivo de todos os bairros em uma única região, no centro.

“Aquele terminal do aeroporto, que é o ponto de repouso da frota do VLT, está a 800 metros para frente da rotatória. Não temos interesse de manter esse traçado. Nos não temos interesse no momento de continuar ativado o terminal André Maggi.  Queremos o prolongamento na área central, na Avenida Couto Magalhães com um binário na avenida Filinto Mulller, e que ia até uma rua que chamamos de Dito peixe, na Coronel Norberto”, disse.

Também representando a prefeitura de Várzea Grande, Enodes Soares explicou que o terminal do aeroporto, como estava previsto no VLT, não tem grande utilidade para o transporte do município, visto que o interesse é interligar as duas principais avenidas de Várzea Grande às regiões do Grande Cristo Rei, Chapéu do Sol e Parque do Lago e unificar a cidade.

“A ideia que estamos discutindo é construir um arco de integração dentro do centro, com a construção de algum terminal mais próximo dessa localidade, para que possamos redesenhar as linhas de ônibus para chegar até esse arco central, que é onde atende de fato a nossa população. A população de Várzea Grande não tem o interesse de chegar até o terminal do aeroporto. A nossa vontade é de trazer essa integração para o centro da cidade, interligar as duas principais avenidas de Várzea Grande, inclusive possibilitando a integração com a região do Cristo Rei que o aeroporto acaba separando”, afirmou.

 

 

Da Redação

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana