conecte-se conosco



Cultura

Grupo Flor Ribeirinha ministra oficinas de siriri em Festival na França

Publicado

em

O grupo Flor Ribeirinha de São Gonçalo beira rio, participa do 46º Festival de Folclore de Montoire, localizada na região norte, há 200 quilômetros de Paris. Durante o evento,  foram programadas atividades para alguns grupos. Além das apresentações em palco, o Flor Ribeirinha está ministrando oficinas de siriri e de samba. As oficinas acontecem em diferentes espaços da cidade e contam com a participação de muitas pessoas interessadas em conhecer a cultura popular brasileira e matogrossense.

O coreógrafo e diretor artístico do grupo, Avinner Augusto, ministrou nesta terça (13), a oficina de siriri para as crianças de uma comunidade de Montoire.  Ele ensinou as crianças a dançar ao som da viola de cocho, do mocho e do ganzá. Elas vivenciaram a cultura popular mato-grossense através do siriri. “Estamos felizes e encantados com a receptividade das pessoas, principalmente das crianças. O Flor Ribeirinha está deixando aqui a marca da nossa cultura. É o siriri mais uma vez rompendo fronteiras, além do mar”; observou.

Ainda como parte da programação do festival, outra oficina foi ministrada em Montoire, a de samba, pela professora Priscila de Paula. Ela ensinou a ginga do samba brasileiro. Segundo ela, nas oficinas, as pessoas aprendem a sambar com os passos básicos. “Ensinamos o passo a passo, com a  coordenação dos pés, quadris e braços, seguindo o ritmo da música, de forma crescente. Na ocasião das oficinas, divulgamos também a música popular brasileira, dançamos ao som das músicas de artistas como Chico Buarque, Tom Jobim e outros” assinalou Priscila.

A presidente do grupo Flor Ribeirinha, Domingas Leonor da Silva, ressaltou que as oficinas de siriri são atividades que vem sendo desenvolvidas na comunidade de São Gonçalo beira rio,  há muito tempo. Segundo ela, alunos de diversas escolas públicas já participaram das oficinas. Além disso, o grupo tem o projeto Sementinha, que agrega as crianças de vários bairros. “Aqui na França, estamos fazendo este trabalho com muita satisfação, pois é gratificante ver as crianças e os pais interessados. São momentos maravilhosos que estamos vivenciando. Estou muito feliz em ter esta oportunidade de mostrar a nossa arte. Agradeço muito a Deus por este momento ”,disse Domingas.

O grupo Flor Ribeirinha participará nesta quarta-feira (15), do encerramento do Festival de Folclore de Montoire com o espetáculo Mato Grosso Dançando o Brasil. Participam do festival as delegações do Brasil, Peru, China, Costa Rica,  Colômbia, Nepal, República Tcheca e República de Komis, Rússia.

Malu Sousa

Fotos: Assessoria de Imprensa

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Cultura

Leilão de arte beneficia animais do Pantanal

Publicado

em

Obras de arte doadas por renomados artistas mato-grossenses – e até internacionais, estão em leilão para arrecadar recursos em prol dos animais do Pantanal. A iniciativa é do Grupo de Voluntários SOS Animais do Pantanal e do Instituto Ação Verde, com apoio da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt). Ao todo, são 56 obras, incluindo pintura – em diversos e técnicas –, desenho, fotografia e escultura. O leilão é online e vai até às 18h do dia 10 de dezembro.

O lance inicial varia de obra para obra. Para participar, é necessário acessar o sistema do leilão e fazer um cadastro, que vai gerar uma senha e permitirá que sejam registrados os lances online. Clique aqui para visitar a página do leilão.

De acordo com Adilson Valera, que preside o Instituto Ação Verde, o Pantanal necessita de uma estrutura para monitoramento e atendimento clínico aos animais. E, as doações das obras dos artistas demonstra sensibilidade e um sinal que a sociedade quer e precisa ter gestão da flora e fauna do Pantanal mato-grossense. Por este motivo, o instituto está atuando como um instrumento facilitador.

“O pantanal é nossa maior riqueza de biodiversidade. A missão do Instituto Ação Verde é em defesa do meio ambiente, por isso estamos mobilizados para promover a regeneração da maior planície alagada do mundo e, claro, de toda sua fauna que precisa muito da nossa ajuda”, pontua Valera.

Todas as obras foram avaliadas por curadores do segmento, que estabeleceram o valor mínimo inicial de cada lote. A arrecadação será integralmente direcionada à campanha SOS Animais do Pantanal, cujo objetivo é dar suporte operacional à equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) na assistência de alimentação e hidratação dos animais silvestres afetados pelos incêndios que destruíram grande parte do Pantanal mato-grossense. Iniciativas preventivas também serão financiadas por meio da ação solidária.

“A curadoria foi feita pelos artistas Vicente Paulo e Helena Botelho Artista. São várias obras, entre elas peças que carregam em si cinzas e carvão coletados das queimadas que destruíram e ainda destrói o Pantanal, já que focos têm ressurgidos na região. E, para que esta tragédia não aconteça mais, precisamos nos mobilizar. Este leilão é um exemplo de como nossa união pode ajudar a salvar o Pantanal”, destaca a psicóloga e defensora dos animais, Márcia Venturini, que mobilizou os artistas para participar da causa.

O pagamento das obras pode ser parcelado, dependendo do valor. Todas as informações estarão no site do leiloeiro, cuja equipe está realizando o leilão de forma gratuita, sem comissão e nenhum custo.

Para baixar o catálogo das obras em PDF, acesse aqui.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana