conecte-se conosco



Cuiabá

Fórum Sindical declara apoio a Emanuel; representantes de mais de 20 categorias disparam “opositor nunca pisou na periferia

Publicado

em

GRANDE MANIFESTAÇÃO

Mais de 20 sindicatos que englobam o Fórum Sindical de Mato Grosso declararam apoio à candidatura à reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro (PDB) e dispararam contra o candidato opositor Abílio Jr. (Podemos) : “nunca pisou em uma periferia e tem um discurso anti-vida e anti-SUS”. Os líderes de classes se reuniram com o prefeito na manhã desta quinta-feira (19). O emedebista assinou uma ‘Carta Compromisso’ com várias reivindicações, algumas, já implantadas em Cuiabá.

O vice-presidente estadual do Pros em MT, o sindicalista Oscarlino Alves, um dos mentores da candidatura da terceira colocada no primeiro turno em Cuiabá, Gisela Simona (Pros), também declarou apoio a continuação da gestão do atual prefeito.

“Me considero responsável por ela [Gisela] ser candidata e fui fiel escudeiro, mas fiz  uma enquete na minha categoria da saúde e a maioria opinaram pelo nome de Emanuel Pinheiro. E vim pedir para Emanuel reafirmar a melhoria ao  Sistema Único de Saúde (SUS) e dos servidores públicos valorizados e respeitados. Isso você fez na sua gestão.  O outro candidato diz por aí que vai mandar embora mais de 3 mil servidores, independem do vínculo funcional, mas por essa pauta nacional estamos sujeitos a esse desmonte dos servidores. Vamos agradar a maioria e desagradar alguns. E nós temos a perspectiva de desmontar essa aliança firmada entre o governo e esse candidato a prefeito que quer fazer a liquidação dos servidores”, disparou Oscarlino.

O presidente do Sindicato dos Profissionais da Área Meio do Poder Executivo, Sinpaig, Edmundo César Leite, lembra que  o candidato opositor apoiado pelo governador Mauro Mendes (DEM), tem a mesma linha de pensamento que é  “provocar o desmonte dos servidores municipais”.

“Estamos em uma encruzilhada muito grande.  Temos aqui um governo estadual que está acabando e desmoralizando tudo que construímos durante décadas. O servidor público foi quem não deixou o estado virar miravel. Nós somos trabalhadores e prestamos serviços a sociedade.  Na campanha, Mauro Mendes prometeu o mundo e o fundo, que iria pagar RGA, cumprir com a implantação dos PCCS, mas no dia 2 de janeiro, mandou para à Assembleia Legislativa, um projeto desmentindo tudo que ele falou”, disse Edmundo, destacando que Cuiabá virou um canteiro de obras.

“Ninguém pode falar que Emanuel não trabalhou. O viaduto da Av. das Torres, é a coisa mais linda. Hoje, vou ao Tijucal em 10 minutos. Onde Mauro Mendes colocar mão vai virar merda”, disparou Edmundo.

O sindicalista Antonio Wagner, cita que o candidato da oposição nunca pisou na periferia e parabeniza a gestão Emanuel por nunca deixar o servidor realizar greves para conseguir os seus direitos.

” O candidato da oposição nunca pisou na periferia , não mostrou uma foto de reunião na periferia e está conhecendo Cuiabá agora na eleição. A gestão  do Emanuel fez um mandato acima da média. Quero parabenizar o José Roberto Stopa que faz um excelente trabalho nos bairros que desde às 6h da manhã está andando nas periferias. Meus parabéns ao Emanuel pelo trabalho realizado junto aos sindicatos municipais. De fato é um mandato de diálogo, diferente do estado que ferrou com a vida dos servidores. Alguns, inclusive, pedem ajuda financeira aos sindicatos. E teremos o Sindicato  Municipal,  e por causa da posição do governador apoiar esse candidato, anti-saúde, anti-vida, e anti-servidor, por isso estamos aqui hoje. Queremos que nesses dois anos, que o governador Mauro Mendes nos respeite, porque não somos responsáveis pelas mazelas que estão ocorrendo no estado. Esse governo estadual concede R$7 bilhões de renúncia fiscal para produtores que não pagam impostos iguais a nós. E quer colocar a culpa no servidor, é um desrespeito”, disparou o servidor.

O prefeito Emanuel Pinheiro agradeceu o apoio das categorias, ao qual ele já defendeu na busca por direitos garantidos na Constituição, quando foi deputado estadual.

“Hoje temos em Mato Grosso, um governo truculento, que zomba de servidores aposentados, inativos e de todos. Não podemos nos acovardar com esse comportamento imperialista e movido pelo ódio. Ele quer ampliar a sua força política  e tomar a prefeitura  para implantar esse desmonte. Nessa eleição é nas urnas que temos que dar um basta na união entre Mauro Mendes, Roberto França e Abílio. Eles não têm nenhum compromisso com os servidores. Ele se elegeu  fazendo agrados e promessas, mas chegaram lá, liquidou direitos e conquistas dos servidores. A gente precisa dar uma resposta a esse modelo. Esse é o momento de darmos um não, a esses gestores que escondendo a sua incompetência, joga a culpa nos servidores públicos. E joga a sociedade contra o servidores. O papel do gestor é construir pontes entre a sociedade e o gestor públicos, e não isso que estamos vendo.  Quero sempre o servidor ao meu lado, valorizado e respeitado. São vocês que levam os serviços da prefeitura lá na ponta. A única gestão que nunca ocorreu uma greve, foi a nossa gestão. A gestão passada, do ex-prefeito Mauro Mendes, teve 3 greves na saúde e 3 na educação e parou a coleta de lixo. Servidor público não precisa parar para reivindicar os seus direitos”, disse garantiu o prefeito.

*Veja lista  de sindicatos que apoiam Emanuel Pinheiro*
Sindicato dos Servidores do Socioeducativo do Estado de MT

Sindicato dos Técnicos e Assistente da Sema

Sindicato dos Auditores de Controle Externo  do TCE

Federação Nacional dos Farmacêuticos Seccional do Centro Oeste
Associação dos Procuradores do Município de Cuiabá

Representante da Comissão  dos Engenheiros de Cuiabá

Sispunc – Sindicato dos Servidores Municipais

Sindarf – sindicato dos Servidores de Arrecadação e Fiscalização do Município
Sindicato dos Agentes de Endemia e Saúde de Cuiabá
Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa

Sindicato dos Servidores da Área Meio do Poder Executivo

Sindicato dos Oficiais de Justiça de MT

Sindicato dos Profissionais do Sistema Agrícola Agrário e Pecuário de MT

Federação dos Servidores do Estado de MT

Sindicato dos Servidores do Desenvolvimento Econômico e Social do Estado de MT

Sindicato dos Papiloscopista de MT

Associação dos Servidores da Procuradoria Geral do Estado de MT

Sindicato dos Servidores Estaduais da Saúde de MT

Sindicato dos Servidores do Socioeducativo do Estado de MT

Associação dos Servidores da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Estado de MT

Central dos Sindicatos Brasileiros Seccional MT

Associação dos Auditores do Estado de MT

SINTEP Sindicato dos Servidores da Educação Pública do Estado de MT

 

Assessoria de Imprensa                                                                                                                                 Patrícia Neves

Fotos: Marcus Mesquita)

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Cuiabá

378 mil eleitores estão aptos a voltar às urnas neste domingo (29)

Publicado

em

Cuiabá possui 378.097 eleitores aptos a votar neste segundo turno das Eleições 2020. Ao todo, são 1.109 seções eleitorais que estarão novamente abertas para receber os votos neste domingo (29.11). A votação ocorrerá das 7h às 17h, sendo que a Justiça Eleitoral orienta que os eleitores preferenciais (idosos e pessoas do grupo de risco para a Covid-19) exerçam o seu direito de voto nos primeiros horários do dia. Trata-se de preferência de horário e não exclusividade.

 

No primeiro turno, realizado no dia 15 de novembro, 294.861 eleitores de Cuiabá compareceram às urnas, o que representou uma abstenção de 22,01%. O número não foi distante das últimas eleições: Em 2018 a abstenção foi de 19.09%, em 2016 foi de 19.91% e em 2014 foi de 18,13%.

 

“Acreditamos que o protocolo de segurança sanitária aplicado foi fundamental para que as pessoas se sentissem seguras a comparecer às urnas. Neste segundo turno vamos repetir as medidas sanitárias e esperamos que a votação seja ainda mais rápida, pois ao invés de três candidatos, será apenas um, a da chapa da prefeito e vice-prefeito. Isso representa ainda menos fila que no primeiro turno”, destacou o diretor geral do TRE-MT, Mauro Diogo.

 

No domingo, de acordo com a legislação, o eleitor pode manifestar discretamente sua preferência por partido político, coligação ou candidato. Para tanto, pode usar individualmente uma bandeira, broche, emblema ou adesivo. A lei proíbe a chamada boca de urna, que é a tentativa de captar os votos de outros eleitores no dia do pleito. Impede também, até o final do horário de votação, a aglomeração de pessoas portando vestuário padronizado e bandeiras, broches etc., de modo a caracterizar manifestação coletiva, com ou sem o uso de veículos.

 

Da Redação

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana