conecte-se conosco



Várzea Grande

Empresário e ex-servidores do DAE-VG devem restituir cofres públicos

Publicado

em

O ex-diretor presidente do Departamento de Água e Esgoto de Várzea Grande (DAE/VG), João Carlos Hauer; o fiscal de contrato Carlos Mário Rodrigues; e o sócio- proprietário da empresa Vida Locadora Ltda, Aquiles Gustavo Gomes Toledo Pizza, foram condenados pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso a devolverem aos cofres públicos, solidariamente, a quantia de R$ 85.248,45. O valor é referente ao superfaturamento em licitação constatado em Tomada de Contas Ordinária julgada irregular pela 2ª Câmara do TCE-MT, que se reuniu em sessão ordinária na manhã de quarta-feira (26/09). João Carlos Hauer e a empresa ainda terão que pagar 10% de multa sobre o valor atualizado do dano ao erário.

Para responsabilizar e alcançar o patrimônio de Aquiles Gustavo Gomes Toledo Pizza, o conselheiro interino João Batista Camargo, relator da Tomada de Contas (Processo nº 116254/2016), desconsiderou a personalidade jurídica da Empresa Vida Locadora Ltda. No voto, o conselheiro explicou que a desconsideração da personalidade jurídica a fim de atingir o patrimônio de seus sócios é aplicável para o ressarcimento dos prejuízos causados, quando restar infrutífera qualquer ação contra a pessoa jurídica. De acordo com informação extraída do site da Receita Federal, a empresa Vida Locadora de Veículos Ltda. está suspensa desde 2015 no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ).

Além da devolução dos recursos, João Carlos Hauer foi multado em 20 UPFs, sendo 10 UPFs pelo superfaturamento e outras 10 UPFs por não ter adotado providências para aplicar sanções à empresa contratada pelo descumprimento do contrato. Também foram multados pelo superfaturamento o procurador jurídico do DAE-VG, João Batista de Moraes, e o pregoeiro Cláudio Vinícius de Arruda Gomes, em 6 UPFs cada. Ricardo Azevedo Júnior, diretor-presidente do DAE-VG no período da Tomada de Contas (2016) foi multado em 6 UPFs por sonegar informações à equipe de auditoria do TCE-MT. Em razão do dano ao erário, cópia dos autos foi encaminhada ao Ministério Público Estadual (MPE).

Resumidamente, análise da Secretaria de Controle Externo constatou que o Contrato n.º 011/2011, firmado entre o DAE-VG e a Vida Locadora Ltda, foi executado em desconformidade com as exigências editalícias e com a proposta apresentada pela licitante. O contrato previa a locação de veículos novos, mas a empresa disponibilizou apenas veículos velhos e ainda manteve o mesmo preço dos novos. Além disso, o serviço de motorista foi incluído no valor contratual, mas nunca foi executado. Segundo o conselheiro relator, o principal motivo foi o superfaturamento foi o processo licitatório. “Cotejando os autos, verifico que a Administração não selecionou a melhor proposta, uma vez que seria possível contratar preços melhores se tivesse respeitado a legislação e licitado por itens”, destacou.

1 comentário

1
Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Clebio Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Clebio
Visitante
Clebio

Deveriam também realizar uma auditoria nos contratos atuais assim como verificar a farra dos abonos que só são destinados aos apadrinhados políticos e o alto índice de assédio moral contra os servidores

Várzea Grande

Dakar pede vista de projeto para discutir novos prazos e parcelamento de débitos com alvará e IPTU em VG

Publicado

em

O vereador por Várzea Grande, Rogério de França Martins – Rogerinho da Dakar (PSDB), pediu vista do Projeto de Lei 110/2020, que dispõe sobre lançamento de imposto predial e territorial urbano, IPTU, taxa de limpeza urbana e da taxa de licença para localização de estabelecimentos de produção, comércio, indústria e prestação de serviços, alvará, referente ao exercicio de 2021, fixando o prazo de vencimento, forma de pagamento. além de manter o programa de recuperação fiscal.
Dakar alegou que pretende discutir com o Poder Executivo o aumento de desconto e novos prazos, para que empresários e comerciantes possam quitar os débitos vencidos e a vencer.
Para o parlamentar, a crise provocada pela pandemia do covid-19 em 2020, impactou todos os setores que foram afetados, com a diminuição de receita. Conforme o tucano, o fechamento de grandes e pequenos comércios, o endividamento do empresário, fugiu do controle e isto precisa ser avaliado minuciosamente pela prefeitura em conjunto com a Câmara Municipal.
“Temos que avaliar, a arrecadação destes empresários caiu muito, este ano passamos por um período complicado, não só para quem paga a vista, mas para quem paga parcelado, eu vejo que temos que fazer políticas públicas, para a população várzea-grandense”, concluiu.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana