conecte-se conosco



Polícia

Caminhoneiro e comparsa são presos adulterando carreta para aplicar golpe

Publicado

em

Dois homens foram presos em situação de flagrante de adulteração de sinais identificadores de veículos, em ação da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derrfva), na tarde de terça-feira (14).

Os policiais civis surpreenderam o suspeito M.A.C no momento em que usava ferramentas para adulterar uma carreta frigorífica, estacionada embaixo de uma árvore, próximo a um posto de combustível, no bairro Capão Grande, em Várzea Grande.

Questionado pelos policiais, o homem afirmou que estava fazendo a adulteração a pedido do dono do caminhão. As placas do veículo foram encontradas próximas à carreta e no local também apreendidos, em posse do suspeito, lixadeiras e pinos de marcações, martelos, entre outros itens.

O motorista do caminhão, J.WS.G,  apareceu e contou que estacionou a carreta no posto para fazer um serviço na balança, mas alegou que não sabia que o suspeito estava adulterando o veículo.

No entanto, de acordo com o delegado adjunto da Derrfva, Marcelo Martins Torhacs trata-se de uma associação criminosa que troca placas e adultera o chassi para dificultar a identificação e possibilitar que o caminheiro desvie da rota prevista e comunique falsamente que tenha sido roubado.

“Desse modo, os criminosos lucram com o valor da carga, com o valor do caminhão e com o valor do seguro, que recebem em razão do registro de um  falso roubo, resultando em um golpe milionário”, explicou.

A carga levada na carreta apreendida é avaliada em R$ 250 mil.

Ambos os suspeitos foram autuados por associação criminosa e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.  Eles foram encaminhados para unidade prisional,  à disposição do Poder Judiciário.

 

Assessoria PJC | MT

Clique para comentar
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Polícia

PM desmantela quadrilha e recupera dinheiro de golpe de site de compra e venda pela internet

Publicado

em

por PMMT

 

 

Equipes do 10º BPM prenderam nesta quinta-feira (21.01), nove pessoas, sendo seis mulheres e três homens por estelionato. Um décimo suspeito foi identificado, mas conseguiu fugir. O trabalho para desmantelar a quadrilha foi desencadeado com base em informações colhidas pela Agência Regional de Investigação do Batalhão.

A denúncia descrevia que um policial do estado da Bahia teria visto o anúncio da venda de um relógio por R$ 5 mil, no site de compra e venda pela internet. Ele entrou em contato com o vendedor que constava no anúncio e realizou o pagamento do produto via transferência bancaria. Logo que finalizou a transação, descobriu ter sido vítima de um golpe.

Foi iniciado um trabalho de inteligência e localizado o endereço da pessoa que teria recebido o dinheiro. O endereço constava no bairro Itapuã, na capital. No imóvel, a mãe do homem que constava como favorecido, disse que seu filho estava internado a quatro meses em um hospital, devido um acidente de moto e totalmente incapacitado, sem andar e falar.

A senhora contou que a nora era quem estaria usando a conta bancária do filho. Temendo pela imagem do filho, a senhora se comprometeu em registrar um boletim de ocorrência de ‘preservação do direito’.

Os militares foram informados que a suspeita seria membro de uma quadrilha especializada nesse tipo de golpe. Junto dela, estaria sua mãe, uma tia e um homem.  Em monitoramento, foi descoberto que a mulher estaria de acompanhante do marido e teria dormido no hospital.

Já pela manhã, ainda no encalço da criminosa ela foi vista saindo da unidade de saúde em um veículo Renault Kwid preto, seguiu sentido bairro Bela Vista.

Os policiais acompanhavam a situação de longe quando o carro parou, descendo a denunciada na companhia da sua mãe. Foi iniciado o procedimento de abordagem.

Questionada, a mulher confirmou o golpe de R$ 5 mil e disse ter passado o dinheiro para a sua mãe que estava junto no momento da prisão. Disse que o dinheiro era divido entra a mãe, a tia e um homem. O grupo seria o responsável pelos golpes.

Na casa onde funcionária o escritório da quadrilha, no bairro Bela Vista, estavam o restante do bando que também foi detido. A casa seria da tia da denunciada. No local foram encontrados vários cartões de banco, 11 celulares, um coelte balístico, seis máquinas de cartão, cheques e R$ 1.594,00 em dinheiro.

Durante a ação, foi descoberta uma segunda vítima da quadrilha, um senhor, que teria perdido R$ 25 mil. Referente a esse valor, a terceira suspeita disse que o dinheiro estaria nas contas administradas pelo suspeito foragido.

Na casa do homem, no bairro Ribeirão do Lipa, o imóvel estava vazio e com sinal da pessoa ter saído às pressas, devido o guarda- roupa estar todo revirado.

Durante a vistoria no imóvel, o suspeito ligou para uma das mulheres dizendo querer devolver os R$ 5 mil. Alegou ainda que devolveria também R$ 13.859,00, mas precisaria da conta de um dos cartões.

A criminosa respondeu que todos os cartões estavam apreendidos. A solução encontrada pelos militares foi disponibilizar a conta de um dos policiais envolvido na nação para receber a quantia que foi entregue na delegacia junto com os demais materiais apreendidos.

No registro da ocorrência, mais uma vítima, um senhor, disse ter perdido R$ 950, em 2019 com a mesma quadrilha.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana