conecte-se conosco



Cuiabá

Após Assembleia Geral ordinária, Servidores Penitenciários deliberaram por estado permanente de Assembleia e greve

Publicado

em

O Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso (Sindspen/MT) se reuniu na tarde desta terça-feira (15), com a categoria para debaterem quais estratégias deverão ser adotadas diante das medidas apresentadas pelo atual governo, que prejudicam diretamente os servidores públicos do estado.

A classe penitenciária decidiu entrar em estado permanente de assembleia e greve, podendo paralisar a qualquer momento todas as atividades do Sispen/MT.

Durante assembleia o Presidente do Sindspen/MT João Batista explanou vários pontos da matéria que está sendo apresentada pelo governo na Assembleia Legislativa, e esclareceu como os servidores serão afetados, entre outras dúvidas levantadas pelos servidores no momento da reunião.

“O governador Mauro Mendes em nenhum momento se mostrou aberto para diálogo ou negociações, ele simplesmente decide que vai retirar os direitos que foram conquistados com muita luta pelos servidores públicos, então ele terá que aguentar as consequências, porque não aceitaremos ser desmoralizados”, declarou a Vice-Presidente do Sindspen/MT, Jacira Maria da Costa.

“O que está sendo imposto pelo governo é inaceitável, salário alimentício de servidor público é inegociável, estamos preparando a maior greve unificada que já aconteceu no estado de Mato Grosso. Unidos somos mais fortes e com toda certeza não permitiremos que essa displicência prossiga”, destacou João Batista.

O Presidente do Sindspen agradece a presença de todos os servidores que comparecem na assembleia, em especial os do interior do estado que se deslocaram de longe para participar e contribuir com as decisões. “Neste momento a união da categoria é fundamental para nos fortalecermos, peço que todos fiquem em alerta para as próximas deliberações”, pontuou Batista.

Fonte: ASSESSORIA DE IMPRENSA SINDSPEN/MT

Cuiabá

Internauta reclama de transtorno causada por obra em viaduto

Publicado

em

Um cidadão registrou em vídeo nesta sexta-feira (16), a situação do viaduto Murilo Domingos, que ainda está em fase de construção, a obra causa um congestionamento diário de quilômetros na região e o cinegrafista amador mostra que tudo isso poderia ter sido evitado, com a liberação de vias nas laterais da Avenida Manoel José de Arruda (Av. Beira Rio).

O município investe total de R$ 13.992.929,79 para sanar uma demanda grande de trânsito, a desobstrução do trecho é feita em consenso entre as secretarias de Mobilidade Urbana (Semob) e Obras Públicas, que constataram que o fluxo nesse local específico não impacta, neste momento, no andamento da obra e tampouco gera riscos aos trabalhadores e condutores. Mas quem precisa passar no local vê que há uma grande necessidade de liberação das ruas.

No dia 15 de dezembro do ano passado, o prefeito Emanuel Pinheiro informou para a população que a entrega do viaduto Murilo Domingos foi transferida para o início de 2021. Conforme explicado por ele, a extensão no prazo foi solicitada pela empresa responsável pela execução da obra, que terá que trabalhar na substituição de solo em uma das cabeceiras que faz a ligação entre a pista e a estrutura de concreto.

 

 

O cidadão que gravou o vídeo ainda ressalta “Nós pagamos impostos, para quê?! Isso é um abuso com a gente.”

 

A empresa pediu um prazo maior para a entrega da obra justamente por identificar nas cabeceiras um solo barrento que prejudicaria a segurança do viaduto, os trabalhadores estão focados em terminar essa parte para poder entregar. Mas a rotatória que poderia desafogar o trânsito de quem precisa transitar em ambas cidades.

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana