conecte-se conosco



Cuiabá

Apesar de protesto esvaziado na Prefeitura, Sintep rejeita aumento de 6,03%

Publicado

em

O movimento encabeçado pelo Sintep que iniciou uma greve na rede pública de educação em Cuiabá, nesta segunda-feira (01), realizou uma assembleia na tarde de hoje, não contou com adesão da maioria dos profissionais, que não aderiram a mobilização.

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sintep), reuniu cerca de 200 pessoas na frente da Prefeitura de Cuiabá, para deliberar sobre aumento de 6,03%, proposto pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).
Mesmo com a pífia adesão, eles encerram o evento anunciando que recusaram por “unanimidade” o reajuste.
Estranho pois a Educação tem cerca de 9 mil servidores e afirmar unanimidade com apenas 200 pessoas, soou mal para os grevistas.

Só barulho
Meia dúzia de gatos pingados atenderam ao chamado do SINTEP para a assembleia que discutia a proposta da Prefeitura de Cuiabá. A exigência que motiva a paralis

ação dos servidores da rede municipal de ensino não conquistou adesão de toda a categoria. A falta de apoio ao movimento foi evidenciada na tarde desta terça-feira (2), quando alguns profissionais se reuniram na Praça Alencastro.

Dos nove pedidos apresentados pelos professores, apenas o reajuste salarial de 7% não foi acordado, uma vez que extrapola os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal do Município. Ainda assim, o prefeito, Emanuel Pinheiro, chegou a oferecer acréscimo de 6,03%, recusado pelo sindicato, que cruzaram os braços.

Na última semana antes da campanha eleitoral, parece que a mobilização do Sintep não está convencendo.

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Cuiabá

Após imprensa, Abílio agora ataca Justiça e até Polícia Federal

Publicado

em

candidato Abílio Junior (Podemos) votou às 11 da manhã,  no Colégio José de Mesquita, no Bairro do Porto e, já na chegada ligou sua metralhadora verborrágica e atacou a Justiça Eleitoral e, pasmem, a Polícia Feferal, hoje a instituição mais respeitada no país.

Segundo Abílio, as entidades não combateram as fake news.  durante a campanha. “Eu vi pouca ação da Polícia Federal e do Poder Judiciário.

Eu vi tanta propaganda do Tribunal Superior Eleitoral de que haveria ações da Polícia Federal, Judiciário, para combater as fake news.

Nós provamos que era mentira. Teve nota da igreja, nota de vários outros. Até padrasto falso arrumaram para mim, mas a gente conseguiu vencer na Justiça todas essas mentiras.

Mas ainda assim trouxe um prejuízo porque no Whats e nos outros grupos a gente não conseguiu mostrar para todo mundo”, disse.

 

Por Repórter MT

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana