conecte-se conosco



Várzea Grande

Alunos da escola Maria Barbosa têm aula de campo no Complexo Turístico da Salgadeira

Publicado

em

Cerca de 30 alunos do oitavo e nono anos da Escola Municipal de Educação Básica – EMEB “Maria Barbosa Martins” do distrito de Bonsucesso visitaram o Complexo Turístico da Salgadeira, situado na rodovia MT-251, entre os municípios de Cuiabá e Chapada dos Guimarães, para a realização de uma aula de campo, acompanhados por técnicos da Educação Ambiental da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Várzea Grande.

Os alunos tiveram durante o passeio orientações do técnico da secretaria estadual de Educação, José Basan e militares do Centro de Educação Ambiental do Batalhão da Polícia Ambiental de MT. Eles tiveram acesso as belezas naturais do local, mata, cachoeiras e conheceram fatos históricos, formações geológicas, além de informações sobre os cuidados com a fauna e flora, a importância dos mananciais hídricos e sua relação com o ciclo das chuvas.

Segundo o professor e coordenador da Educação Ambiental, Vagner César Barros, a escola “Maria Barbosa Martins” foi escolhida para a aula de campo em razão da participação destacada da unidade escolar na etapa estadual da V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, realizada de 16 e 17 de maio deste ano, que teve como representante de Várzea Grande o aluno João Pedro Ferreira Mora, de 14 anos, escolhido para representar o município, juntamente com mais 13 representantes de Mato Grosso para a etapa nacional da Conferência realizada no Estado de São Paulo em junho deste ano.

Conforme o coordenador, no Complexo da Salgadeira existe um minimuseu com exemplares de animais da região taxidermizados, artigos indígenas e uma réplica do esqueleto de um dinossauro, Pycnonemossauro nevesi, que viveu na região há 70 milhões de anos. Na trilha que foi percorrida pelos alunos e professores durante a visitação também existe uma gruta adaptada com inscrições rupestres, muito comum encontrados nos sítios arqueológicos da região.

Para o aluno João Pedro Mora, as atividades fora da sala de aula ajudam no exercício da fixação da matéria e faz a diferença na hora da prova. “A gente pode ver de perto as coisas que nos aprendemos na aula e isso é muito bom”, afirmou.

O secretário Silvio Fidelis acredita que a aula de campo no Complexo Turístico da Salgadeira oferecida aos alunos da escola Maria Barbosa foi uma oportunidade de aproveitar a motivação dos alunos para dar continuidade ao processo educativo, por meio de atividades pós-Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, que visa o fortalecimento dos estudantes junto às suas comunidades para o desencadeamento de ações de cuidado com as águas, denominada de “Primavera-X”.

“A conferência possui um caráter articulador que estimula o desenvolvimento de ações de educação ambiental de forma integrada e interdisciplinar, conforme as orientações expressas nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental, aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação. Além disso, a conferência é um processo metodológico para levar o debate sobre as questões socioambientais às escolas e às comunidades atendendo aos preceitos legais da Política Nacional de Educação Ambiental. A aula de campo é um instrumento facilitador do processo de ensino e aprendizagem em geografia para o Ensino Fundamental, o que tem agradado os alunos”, disse o secretário Silvio Fidelis.

Por: Fred Nogueira – Secom/VG

Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Várzea Grande

Liminar estabelece prazo para regularização de cemitérios em VG

Publicado

em

A Justiça acolheu pedido liminar efetuado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso e estabeleceu o prazo de 180 dias para regularização das atividades desenvolvidas em cinco cemitérios localizados em Várzea Grande. A obrigação deverá ser cumprida pelo Município, em relação aos cemitérios São Francisco, Capela do Piçarrão, Recanto da Saudade e Costa Verde, e pela empresa Betânia Empreendimentos Imobiliários Ltda, mantenedora do cemitério Recanto da Paz.

De acordo com a decisão, os requeridos deverão obter junto ao órgão ambiental competente as licenças ambientais dos cemitérios. Terão ainda que apresentar análises das águas subterrâneas para verificar a ocorrência de contaminação, devendo as amostras serem coletadas a montante e a jusante do fluxo de escoamento preferencial da superfície freática, além de elaborar e implementar programa de monitoramento do lençol freático.

A comprovação do cumprimento integral das determinações fixadas na decisão deverá ocorrer no prazo de 180 dias, sob pena de pagamento de multa diária no valor de R$ 1 mil. A liminar foi concedida ao Ministério Público Estadual nesta terça-feira (01), pelo juiz Rodrigo Roberto Curvo.

Segundo o MPMT, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (CREA) realizou visita preventiva nos cinco cemitérios e constatou várias irregularidades, entre elas, a operação sem as devidas licenças ambientais e a falta de monitoramento do lençol freático.

“É incontroverso que a ausência de licenciamento ambiental dos cemitérios ativos gerenciados pelo tanto pelo Município de Várzea Grande, quanto pela Betânia Empreendimentos Imobiliários Ltda acarretam inúmeros riscos ao meio ambiente. O Município de Várzea Grande é responsável pela tutela do meio ambiente, de modo que não pode se omitir no licenciamento ambiental dos cemitérios públicos”, destacou a promotora de Justiça Maria Fernanda Corrêa da Costa, em um trecho da ação.

 

Da Redação

Continue lendo

Artigos

Polícia

Política MT

Várzea Grande

Cuiabá

Mais Lidas da Semana