Agressor alega que arrastou corpo de mulher morta por não caber em motocicleta

Wellington Honorato afirmou à delegada da Polícia Civil, Renata Evangelista, que arrastou o corpo da jovem de 24 anos Bruna Oliveira porque não coube na motocicleta. Ela foi morta a facadas no domingo (2), em Sinop.

Leia também: Vídeo mostra criminoso arrastando corpo de mulher em motocicleta após matá-la a facadas; vítima é identificada

O corpo de Bruna foi encontrado em uma valeta pelo irmão dela. Ela estava com uma corrente enrolada no pescoço presa com um cadeado além de marcas de degola.

Câmeras de segurança registraram o momento em que o suspeito saiu de uma quitinete arrastando o corpo da vítima.

Em depoimento, Wellington afirmou que o corpo da mulher não coube na motocicleta e por isso foi arrastado. Afirmou ainda que estava usando drogas.

“Após uma discussão, ele teria ‘voado’ no pescoço dela com as duas mãos, jogado ela no chão, batido a cabeça dela com força no chão até ela desfalecer. Nesse momento ele entendeu que tinha matado ela, que teria que tirar o corpo dali. Ele teve a ideia de pegar uma corda fina, que estava em casa, que teria feto o esgorjamento. Ele amarrou essa corda na vítima, aí ele teve a brilhante ideia de amarrá-la a moto e sair arrastando”, disse a delegada.

Wellington foi preso pela Polícia Civil enquanto fugia para a cidade de Nova Maringá. Ele deverá responder por feminicídio e ocultação de cadáver. Eles não eram namorados mas estavam “se conhecendo”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *