Homem que matou e ateou fogo em colega de trabalho é preso

Assuerio Alves Santos, de 39 anos, foi preso por Policiais civis da Delegacia de Guiratinga (331 km de Cuiabá) nessa quarta-feira (22), sob acusação ter matado Hamilton Corman da Costa, de 40 anos, que atuava como funcionário de uma fazenda, no município de Tesouro (366 km de Cuiabá), no sul do estado. O investigado foi localizado andando na zona rural do mesmo município onde ocorreu o crime.

Após esfaquear a vítima, com quem trabalhava na fazenda, A.A.S. colocou o corpo de Hamilton dentro de um veículo Corsa da própria vítima e ateou fogo no carro, que foi encontrado em uma área de mata. Depois, o investigado retornou à fazenda e roubou uma motocicleta, um aparelho celular e uma espingarda. Logo em seguida, ele fugiu da propriedade.

A equipe de investigação de Guiratinga iniciou as diligências e após a identificação do autor do crime, a delegada Lígia Pinto da Silveira Avelar, representou pela prisão preventiva.

Os policiais civis permaneceram em buscas pelo autor do crime durante três dias e nesta quarta-feira, na região rural de Tesouro, a equipe seguiu rastros na estrada, quando localizou o investigado, que chegou a pedir carona quando foi abordado, pois não reconheceu os policiais.

O autor do homicídio foi encaminhado à Delegacia de Guiratinga para a formalização do mandado e interrogatório. Ele responderá por homicídio qualificado, vilipêndio de cadáver e roubo.

O crime

O homicídio ocorreu na noite de domingo (19), após um desentendimento entre os dois funcionários da fazenda. Testemunhas relataram que o suspeito e a vítima já vinham se desentendendo há um tempo e no dia do crime voltaram a discutir, enquanto a vítima estava ingerindo bebida alcoólica. A briga foi apartada por uma testemunha e quando tudo parecia resolvido, o suspeito sentou ao lado da vítima e lhe desferiu um golpe de faca.

A vítima caiu e o suspeito voltou a desferir novos golpes. Hamilton ainda conseguiu se levantar e correu para tentar pular a janela, mas foi agarrado e novamente golpeado até a morte. Após matar Hamilton, o autor do crime ameaçou testemunhas caso chamassem a Polícia e chegou a ferir uma delas, que teve um corte profundo nas mãos. Em seguida, ele arrastou o corpo de Hamilton até o carro e saiu com o veículo, quando ateou fogo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *