Política

Comissão Processante ouvirá depoimentos sobre investigação do Emanuel

Na próxima sexta-feira (3), a Comissão Processante encarregada de investigar o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) por possível infração político-administrativa ouvirá dois importantes depoentes: o ex-secretário-adjunto de Saúde, Gilmar de Souza Cardoso, e o atual diretor de Saúde Sanitária, Benedito Oscar Fernandes de Campos.

Gilmar de Souza Cardoso, alvo das operações Capistrum (2021) e Iterum (2023), é central nas investigações de uma suposta fraude para furar fila de vacinação durante a pandemia. Recentemente, ele foi incluído na defesa do prefeito Emanuel Pinheiro no lugar de Luiz Gustavo Raboni Palmas, após o encaminhamento de novas testemunhas à Comissão. Além disso, Gilmar é apontado pela Polícia Civil e Ministério Público de Mato Grosso como parte da suposta organização criminosa chefiada por Pinheiro, a qual teria causado prejuízos de mais de R$ 250 milhões aos cofres públicos.

O segundo depoente a falar será Benedito Oscar Fernandes de Campos, atual diretor de Saúde Sanitária, que também foi alvo da operação policial denominada Smartdog. Esta investiga uma suposta irregularidade no contrato firmado entre a Secretaria Municipal de Saúde e a empresa Petimune, no valor de R$ 5 milhões, para a instalação de chips em cães e gatos.

Os depoimentos continuarão na segunda-feira (6), com os ex-secretários de Saúde, Milton Corrêa e Célio Rodrigues da Silva, ambos alvos de operações policiais anteriores, como a Curare e Hypnos. Na quarta-feira seguinte (8), será a vez de Wellen Márcio Nascimento e um dos advogados de defesa de Emanuel Pinheiro, Lucas Beresa de Paula Macedo, prestarem depoimento.

Na sexta-feira (10), estão agendados os depoimentos da servidora Hellen Cristina da Silva, alvo na Operação Overpriced, e do ex-secretário de Saúde Luiz Antônio Possas de Carvalho, alvo nas operações Colusão e Overpriced. Os depoimentos serão encerrados com a coordenadora especial administrativa da Secretaria Municipal de Saúde, Dalila Roque Ribeiro.

O advogado do prefeito, Matteus Beresa de Paula Macedo, que foi responsável pela liminar que devolveu o cargo a Emanuel Pinheiro, concluirá a série de depoimentos.

Em relação às acusações, o prefeito Emanuel Pinheiro declarou: “Estou arrolando pessoas que foram envolvidas e que não fizeram nada. Não fizemos nada errado. Só trabalhamos muito. Tentaram construir um massacre na nossa reputação e que a Justiça está anulando tudo pouco a pouco.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *