Polícia

Policial é preso em Cuiabá por associação criminosa e tráfico de drogas ao CV

Uma reviravolta chocante agitou as ruas de Cuiabá na noite de quinta-feira (25), com a prisão de um policial militar envolvido em uma teia de crimes que incluem receptação, associação criminosa, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Romeu Jordao Sarate de Andrade, de 39 anos, foi detido juntamente com seus comparsas, Douglas Magalhães de Arruda e Ana Carla Moura de Melo, em uma operação que expôs ligações suspeitas com a facção criminosa Comando Vermelho.

O enredo sombrio teve início quando uma equipe da Polícia Militar, em patrulhamento pelo Cinturão Verde, região do bairro Pedra 90, avistou três suspeitos em uma caminhonete S10 branca em uma chácara local. A abordagem resultou na fuga dos suspeitos, mas a persistência das autoridades levou à sua captura. No entanto, a surpresa veio após a liberação inicial, quando um informante relatou a disposição de armas jogadas pela janela do veículo.

A subsequente apreensão das armas revelou uma Glock de calibre 9mm e uma Taurus de calibre 45, desencadeando uma operação mais ampla. Romeu e Douglas, os dois ocupantes da S10, foram novamente detidos após tentativa de fuga. Paralelamente, investigações na chácara conduziram a descobertas ainda mais perturbadoras.

Ana Carla, proprietária da chácara, revelou vínculos com o Comando Vermelho, descrevendo a presença de Romeu e Douglas a pedido de seu esposo, membro da facção atualmente encarcerado. O propósito sombrio da presença dos suspeitos na propriedade era desenterrar drogas e armas, atividade confirmada por testemunhas e evidências encontradas.

A operação culminou com a prisão dos três suspeitos e a apreensão de drogas, armas e veículo. Detalhes adicionais revelam a gravidade da situação, incluindo a numeração raspada da Glock e a procedência roubada da Taurus. O desfecho sinistro desse episódio suscita preocupações sobre a extensão das atividades criminosas e a necessidade de uma investigação minuciosa por parte das autoridades competentes.

A ação, realizada com a participação da equipe Canil do Bope, enfatiza o compromisso das forças de segurança em combater o crime organizado e garantir a segurança da população. Um boletim de ocorrência foi registrado e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, que continua a investigar os desdobramentos deste caso que abalou a tranquilidade da capital mato-grossense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *