Política

Secretário pede ‘cautela’ após protesto de motoristas e descarta nomeação de PMs

Pressão por reforço policial aumenta após mortes de motoristas de aplicativo em Várzea Grande.

A Segurança Pública de Mato Grosso se encontra em meio a uma controvérsia sobre a nomeação dos policiais militares aprovados no último concurso da corporação. O coronel Cláudio Fernando Carneiro Tinoco, secretário-adjunto da pasta, descartou, pelo menos por enquanto, a possibilidade de convocação desses profissionais. Esse posicionamento surge em um momento de intensa pressão da categoria e da sociedade, especialmente após a trágica morte de três motoristas de aplicativo em Várzea Grande, que elevou a demanda por um reforço no policiamento.

Em declarações à imprensa nesta quinta-feira (18), Tinoco destacou a necessidade de cautela na avaliação desse assunto, considerando o potencial impacto nas finanças do Estado. “O chamamento de novos policiais passa por um planejamento. A gente tem discutido sobre isso, mas temos que verificar a situação, para não colocar em risco o equilíbrio financeiro do Estado”, afirmou o secretário-adjunto.

Entretanto, essa postura contrasta com a posição dos deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que devem intensificar a pressão sobre o governo para que ocorra o chamamento dos novos militares. Nos bastidores, os parlamentares argumentam que a justificativa da “situação financeira” do Estado não se sustenta mais, considerando a estabilidade das contas do Poder Executivo nos últimos tempos.

Enquanto essa discussão se desenrola, o presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho, e membros da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) realizaram a primeira reunião de um grupo de trabalho para debater medidas para atender os motoristas de aplicativo. Uma das propostas ventiladas é a concessão de um “botão do pânico” para os condutores, embora ainda não haja detalhes sobre como isso será implementado.

Além disso, nesta quinta-feira, ocorreu a formação de 509 militares do 32º Curso de Formação de Soldados, que serão distribuídos em diversos municípios do Estado. Tinoco destacou essa iniciativa como um ganho para Mato Grosso, contribuindo para a recomposição do efetivo policial, especialmente nas regiões do interior, e expressando confiança de que isso irá impulsionar a segurança pública.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *