Destaque

Proposta de recorte nos paredões da Chapada dos Guimarães recebe apoio da maioria

Governador Mauro Mendes propõe solução para deslizamentos no Portão do Inferno, aguardando resposta do Ibama para iniciar obras.

Após deslizamentos de rochas no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães em dezembro de 2023, o Governo de Mato Grosso se viu obrigado a buscar soluções para garantir a segurança no local. Entre as diversas propostas avaliadas pelo corpo técnico responsável, uma medida ganhou destaque: o recorte dos paredões na região, como parte de um novo traçado para a MT-251, estrada que conecta o Parque Nacional à capital Cuiabá. Essa sugestão visa conter os deslizamentos no famoso ponto turístico conhecido como Portão do Inferno.

De acordo com análises técnicas, essa opção se destaca por sua viabilidade econômica, rapidez de implementação e eficácia na redução dos riscos de deslizamentos. O governador Mauro Mendes defende veementemente a medida, argumentando que é a solução mais ambientalmente responsável, com o menor impacto possível na região.

Para colher a opinião pública sobre essa proposta, o jornal MT DE FATO realizou uma enquete esta semana, perguntando aos leitores: “O Estado anunciou o corte do paredão do Portão do Inferno e mudança na rota para sanar o problema de deslizamento. Você concorda?”. Os resultados revelam uma divisão de opiniões, mas com uma clara maioria a favor da medida. Dos participantes, 70% expressaram apoio à proposta, destacando a necessidade de qualquer ação que garanta a segurança no local. Por outro lado, 22% discordaram da medida, sugerindo a adoção de alternativas para preservar a região. A minoria, representando 8% dos votantes, expressou ceticismo em relação à eficácia da medida proposta.

No momento, o Estado aguarda uma resposta do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para decidir se iniciará ou não as obras. O desfecho dessa questão está em suspense, enquanto a discussão sobre a melhor abordagem para proteger a Chapada dos Guimarães continua em andamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *