Polícia

Delegado afirma que menor cometia assassinatos por vingança; suspeitos planejavam matar um por dia

Adolescente detido confessa motivação e revela frieza dos criminosos, que admitiram sentir prazer nos homicídios.

Em uma entrevista ao programa Tribuna, da Rádio Vila Real FM (98.3), na manhã desta terça-feira (16), o delegado Nilson Faria, da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), expôs detalhes perturbadores sobre os assassinatos brutais de motoristas de aplicativo em Cuiabá e Várzea Grande. Um dos adolescentes detidos pelo crime confessou que cometia os assassinatos como forma de vingança pela morte de seu irmão em um assalto no passado.

Segundo Faria, os criminosos, de 15, 17 e 20 anos, admitiram os crimes de forma fria e cruel. Eles indicaram onde estavam os corpos de duas das vítimas, Márcio Rogério Carneiro e Elizeu Rosa Coelho, mas ainda há busca pelo corpo do motorista Nilson Nogueira.

O delegado revelou que um dos adolescentes afirmou em depoimento que decidiu matar as vítimas para se vingar da morte de seu irmão durante um assalto anterior. Mesmo diante das súplicas de uma das vítimas, Elizeu, o adolescente o executou sem hesitar.

“A princípio, o objetivo era só o roubo, porém um desses indivíduos, um dos menores, ele no passado, em um assalto junto com um irmão, a vítima reagiu, o irmão dele morreu e ele levou um tiro na barriga. Ele informou que, de certa forma, queria se vingar. Queria que os bandidos também ganhassem, aí ele resolveu se vingar matando as pessoas que ele assaltasse”, detalhou o delegado.

Faria também expressou sua consternação com a frieza dos criminosos, que confessaram sentir prazer nos homicídios e afirmaram que continuariam matando se não fossem presos.

“Como delegado de polícia, eu já vi muitas coisas. Mas, realmente, essa foi uma que me consternou e toda a delegacia, toda a delegacia ficou muito apavorada com a frieza, porque esses indivíduos, no momento das oitivas, o maior e um menor chegam a citar que passaram a ter prazer com essas mortes e que se nós não tivéssemos conseguido prender, eles iam continuar matando e numa média de um por dia”, revelou o delegado.

Os desaparecimentos dos motoristas de aplicativo, Elizeu Coelho, Nilson Nogueira e Márcio Carneiro, foram reportados entre a noite de sábado e a manhã de segunda-feira, desencadeando uma investigação intensiva por parte das autoridades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *