Política

Mauro cobra resposta rápida e manda recado se Ibama vetar obra: ‘deixar o pau torar’

Projeto de alteração no traçado da rodovia visa evitar desmoronamentos no trecho do Portão do Inferno.

Após praticamente uma semana da apresentação do projeto ao Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente), o governador Mauro Mendes (União) informou nesta terça-feira que ainda aguarda uma resposta do órgão sobre a autorização para iniciar a obra na MT-251, especialmente no trecho conhecido como Portão do Inferno. A intervenção, considerada emergencial pelo Governo, visa resolver os problemas de desmoronamentos na região.

O projeto, cujo contrato já foi assinado com a Lotufo Engenharia, prevê uma pequena alteração no traçado da rodovia e terá um custo aproximado de R$ 30 milhões. No entanto, a execução da obra está condicionada à obtenção das devidas autorizações e licenças por parte dos órgãos federais, como o Ibama e o ICMBio.

Mauro Mendes ressaltou a urgência da situação e afirmou que cobrará uma resposta rápida dos órgãos competentes. Ele destacou que não há um “plano B” para resolver a questão e que, caso não haja aval das autoridades federais, os motoristas continuarão enfrentando riscos com os desmoronamentos na região do Portão do Inferno.

O governador também mencionou que os técnicos da Secretaria de Infraestrutura se reunirão com representantes do ICMBio para explicar detalhadamente o projeto. Enquanto isso, desde o fim de 2023, o trânsito na região opera no sistema “Pare e Siga”, sendo totalmente interrompido em caso de intervenções ou chuvas.

Apesar de algumas sugestões de deputados estaduais para a construção da MT-030 como uma alternativa à MT-251, Mauro Mendes argumentou que isso demandaria cerca de quatro anos, considerando as licenças e a execução da obra, o que não resolveria o problema emergencial enfrentado atualmente. Ele reiterou a importância de uma resposta célere por parte das autoridades federais para garantir a segurança dos usuários da rodovia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *