Política

Mendes afirma: ‘Bandidos não pertencem à política, pertencem à prisão’

Operação Apito Final revela pré-candidaturas ligadas ao crime; Mauro Mendes destaca necessidade de atenção das autoridades.

O governador Mauro Mendes (União) destacou a necessidade de uma atenção redobrada por parte das autoridades em relação à infiltração do crime organizado na política de Mato Grosso. A Operação Apito Final, realizada pela Polícia Civil, revelou que dois pré-candidatos ao cargo de vereador em Cuiabá possuíam ligação com a facção criminosa Comando Vermelho, evidenciando uma preocupação crescente.

Segundo Mendes, essa informação já era conhecida pelas autoridades de segurança pública, mas sua divulgação pública destaca a gravidade da situação. Ele ressaltou que o crime organizado busca eleger pessoas para cargos políticos importantes como forma de influenciar o poder público por dentro, o que representa um perigo significativo.

Os dois pré-candidatos foram presos em Maceió (AL), e o governador enfatizou que essa descoberta deve servir como alerta para todos os partidos políticos. Ele reiterou que o lugar de criminosos não é na política, mas sim na cadeia, e que é fundamental que todos os partidos estejam atentos para evitar a filiação ou candidatura de pessoas ligadas ao crime.

O episódio reaviva debates anteriores sobre a presença do crime organizado na esfera política de Mato Grosso. No ano passado, o deputado Wilson Santos levantou a questão, afirmando que há parlamentares eleitos com apoio e financiamento de facções criminosas. Embora o Ministério Público Estadual tenha aberto uma investigação sobre o assunto, ainda não houve resposta oficial sobre o caso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *