(TCE) alertou para o “risco de mortes” devido aos pagamentos atrasados de servidores no (HMC)

O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) anunciou que atuará como mediador em um acordo para o pagamento de dívidas da Prefeitura de Cuiabá com empresas que oferecem serviços de ortopedia, anestesiologia e neurologia ao Hospital Municipal de Cuiabá (HMC). O objetivo é evitar a interrupção desses serviços essenciais à população.

A proposta foi apresentada pelo presidente da Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social do TCE-MT, conselheiro Guilherme Antonio Maluf. Maluf enfatizou a urgência em encontrar uma solução para garantir a continuidade dos serviços médicos, destacando que a interrupção desses atendimentos pode resultar em graves consequências para os pacientes.

A discussão sobre a dívida da Prefeitura com as empresas de saúde avançou durante uma reunião que contou com a participação do presidente do TCE-MT, conselheiro Sérgio Ricardo, do relator das contas da Capital, conselheiro José Carlos Novelli, médicos das áreas mais afetadas pelos débitos, representantes das empresas de saúde e do vereador Luiz Fernando.

Maluf ressaltou que o foco principal do TCE-MT é assegurar a continuidade dos atendimentos no HMC e que uma nova intervenção na saúde municipal não seria suficiente para resolver o problema. Ele enfatizou a importância de construir uma solução conjunta entre a Prefeitura e as empresas de saúde.

O médico Victor Spalatti, representante dos ortopedistas, expressou preocupação com os salários atrasados devido à falta de pagamento e buscou garantias de que os pagamentos seriam realizados. O vereador Luís Fernando também destacou a relevância da mediação promovida pelo TCE-MT, visando resolver a situação e garantir o atendimento adequado à população.

A iniciativa do TCE-MT de mediar o acordo é vista como uma tentativa de solucionar um problema urgente que afeta não apenas os profissionais de saúde, mas também os pacientes que dependem dos serviços oferecidos pelo Hospital Municipal de Cuiabá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *