Policial

Polícia faz buscas sobre recebimento indevido de verbas por funcionários públicos

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Barra do Garças (509 km a Leste de Cuiabá), em parceria com o Poder Legislativo do município, deflagrou na manhã desta quinta-feira (14.03), a Operação Transparência, para cumprimento de mandados de busca e apreensão dentro de investigações para apurar possíveis recebimentos indevidos de verbas praticados por servidores da gestão anterior.

Os mandados são cumpridos em quatro setores da Câmara Municipal de Barra do Garças (Contábil, Jurídico, Arquivo e Recursos Humanos) e em duas residências no município.

Os trabalhos são realizados pela equipe da Polícia Civil com apoio da Câmara Municipal, que por meio da denúncia e colaboração, demonstrou interesse na persecução e esclarecimento dos fatos envolvendo funcionários e dinheiro público.

Os fatos foram identificados pelo presidente da Câmara no biênio 2021/2022, sendo verificado que em gestões anteriores, servidores receberam indevidamente verbas que eram garantidas a servidores concursados. Com a descoberta, foi realizado o desligamento de parte dos servidores que já estavam aposentados pelo INSS e comunicado os fatos para o Ministério Público, Tribunal de Contas e Polícia Civil.

Com a implantação da digitalização do acervo de documentos na Câmara Municipal de Barra do Garças, os documentos que estavam no arquivo físico foram remetidos à 1ª Delegacia de Polícia de Barra do Garças, sendo confirmado após a análise dos documentos os fatos denunciados.

Com base na análise do material, o delegado Pablo Borges Rigo representou por três mandados de busca e apreensão com o fim de aprofundar as investigações, tendo os documentos servido de elementos de informação utilizados nos pareceres do Ministério Público e Poder Judiciário para expedição dos mandados para buscas dos indícios de autoria.

As ordens judiciais têm o objetivo de apreender elementos que possam auxiliar o aprofundamento das investigações como computadores (ou outros eletrônicos) e documentos (físicos ou virtuais), que possam estar ocultos em setores da instituição pública. O material apreendido será analisado e periciado, no intuito de encontrar possíveis provas documentais que venham a instruir os autos de investigação em curso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *