Polícia

Empresária de Cuiabá agride vizinha por vaga de estacionamento e ameaça de morte

No último sábado (30), a proprietária de uma loja, localizada na entrada do bairro Planalto, em Cuiabá, protagonizou um episódio alarmante de agressão física e ameaças, revelando um histórico de conflitos com comerciantes vizinhos e desrespeito às leis de trânsito.

Há anos, a comerciante tem sido alvo de críticas por parte dos demais empresários locais devido à sua postura em relação ao estacionamento nas proximidades de seu estabelecimento. Ignorando as leis de trânsito e as recomendações do Conselho Nacional do Trânsito (Contran), a proprietária do Bazar Planalto tem reclamado constantemente sobre veículos estacionados na via, calçada e no recuo de seu estabelecimento.

A situação chegou a um ponto crítico quando a empresária, irritada com o veículo estacionado em frente à sua loja desativada, foi confrontar a esposa do vizinho. O desentendimento escalou para agressões físicas, resultando em um soco no olho direito da vítima, que, além de abalada emocionalmente, teve lesões físicas documentadas em exame de corpo de delito na Perícia Oficial e Identificação Técnica (POLITEC).

O conflito não se limitou à agressão. Familiares da agressora se aglomeraram em frente ao estabelecimento do esposo da vítima, ameaçando-o e exigindo que nenhum Boletim de Ocorrência fosse registrado. Além disso, um dos envolvidos estava armado, insinuando uma ameaça iminente.

O incidente expõe não apenas a violência física, mas também a falta de civilidade e respeito pela lei por parte da comerciante. A comunidade local, agora, aguarda as devidas providências das autoridades para garantir a segurança e a ordem na região.

Boletim de Ocorrência da acusadora:

Em resposta a matéria publicada, a acusada entrou em contato com nossa equipe através do e-mail alegando que as informações da matéria são “totalmente distorcidas”, porém no próprio Boletim de Ocorrência registrado pela dona do Bazar Planalto consta a agressão e ela acrescenta que foi agredida também, comprovando a verdade da veiculação do MT de Fato.

Veja na íntegra o Boletim de Ocorrência registrado pela acusada:

O MT de Fato está a disposição para ouvir o outro lado da história através do e-mail:

mtdefato@gmail.com

por Paulo Ricardo – MT de Fato

7 thoughts on “Empresária de Cuiabá agride vizinha por vaga de estacionamento e ameaça de morte

  • Lenise

    Sou irmã da vítima, e o mais interessante desse episódio, é que os vizinhos já reclamavam dela,mas por certo nunca a enfrentaram de fato,nem tão pouco denunciaram sua falta de civilidade e respeito às leis de trânsito ,cabe às autoridades garantirem a integridade da vítima, assim como punir devidamente os agressores,porque sendo do lado oposto quem sabe seria diferente.

    Resposta
  • Katarina

    Tava passando por perto na ora vi q a Muié do bazar tava dentro da loja da outra, essa Muié ta acostumada a maltratar quem chega até na calçada
    Se diz q apanhou mereceu kkkkkkkkkkk

    Resposta
  • Vitoria

    Coitado do moço da loja de informática e sua mulher não merecem isso, são boa gente atendi a genti muito bem

    Resposta
  • Juliana

    A galinha e seus ovos dando mais um show na Av Parecis
    Vai vender ovoooooooooooo

    Resposta
  • Margarete

    O site tem q dar espaço praa 2 partes mas pelo vídeo q circula a Muié do bazar dentro da loja da outra já dá pra perceber quem tá errada na estoria

    Resposta
  • Marina

    Eu acho engraçado esse pessoal q n sabe o contexto total da história e acha q a matéria esclarece tudo, o erro começa quando a notícia está totalmente tendenciosa fznd com a mulher do Bazar saia como a errada sendo q quem começou com tudo foi a própria “vítima” do caso, e outra a mulher q diz ser a vítima é uma surtada, louca, neurótica, procurem saber mais sobre antes de saírem falando oq n sabem, beijosss

    Resposta
    • Que bom ter seu comentário Marina. Um dos pontos que são ressaltados na matéria é o direito da dona do Bazar se defender, nos propusemos a escutá-la, porém ela não quis se posicionar, mesmo assim, tudo o que ela nos falou, foi anexado na matéria como o lado dela da história. Como uma matéria pode ser tão tendenciosa se escutou os dois lados e ainda colocou o outro lado?

      Se tem uma sugestão melhor, espero que nos envie! Pois a matéria expõe fatos: agressões, brigas por estacionamento e posicionamento das duas partes, sendo registrado o BO.

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *