“Joguinhos”: Como os jogos online podem viciar o cérebro?

No domingo (17), o “Fantástico” gerou polêmica na internet após expor influenciadores que divulgavam jogos online de apostas. O programa noticiou investigações contra a casa de apostas online “Blaze”, por suposta falta de pagamento de altos prêmios. A plataforma enfrenta acusações de estelionato, resultando em bloqueio de mais de R$ 100 milhões pela Justiça.

O programa expôs a participação de personalidades como Viih Tube, Mel Maia, Juju Ferrari, Jon Vlogs, Rico Melquiades, MC Kauan e Juju Salimeni na promoção de uma casa de apostas online. Todos estão sob investigação devido a essa divulgação.

Como jogos online viciam o cérebro?

Os vícios podem ser formados principalmente pelo cérebro após exposições constantes, explica o Pós PhD em neurociências e membro da Royal Society of Biology no Reino Unido, Dr. Fabiano de Abreu Agrela.

Os vícios são condições bastante complexas que são formadas por múltiplos fatores, mas a maioria afetam predominantemente o cérebro. Eles ocorrem quando há uma exposição a um agente causador de dependência e podem variar bastante como drogas, comida, sexo, videogames e jogos de azar”.

Existem sim pessoas mais suscetíveis ao vício, nesses casos, a exposição contínua a esses fatores viciantes induz mudanças no cérebro. Essa predisposição genética pode ser transmitida na família. Estudos de adoção e gêmeos destacam a influência genética no desenvolvimento de vícios, incluindo dependência de substâncias e jogos de azar”.

Na formação do vício, o cérebro sofre alterações anatômicas e no seu funcionamento químico, principalmente em neurotransmissores como a dopamina, relacionada a sensações de prazer, fatores que, em parceria com a neuroplasticidade cerebral ajuda a formatar o cérebro em torno do vício tornando ainda bastante difícil deixá-los”, explica Dr. Fabiano de Abreu Agrela.

por Dr. Fabiano de Abreu Agrela (MF Press Global) 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *