Polícia

Ex-policial militar condenado por agressão reverte demissão e será reintegrado à PM

Soldado R.P.A. de Brasnorte conseguiu anulação administrativa após agredir morador durante abordagem em 2011

Brasnorte, Mato Grosso – O soldado da Polícia Militar, R.P.A., que havia sido condenado por agredir um morador durante uma abordagem de rotina em 2011, conseguiu reverter administrativamente sua demissão da corporação. A decisão de reintegrar o ex-policial militar foi publicada no Diário Oficial em 19 de dezembro pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Alexandre Corrêa Mendes.

O caso remonta a 2011, quando o policial, em patrulhamento para localizar um suspeito de furto, abordou um homem na rodoviária de Brasnorte e interpretou que este estava debochando do trabalho da PM. A condenação, que ocorreu em segunda instância em 2017, detalha que o PM desferiu chutes na canela, tapas no pescoço e forçou a cabeça da vítima contra um tambor de lixo.

A denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) descreve a reação do policial diante do suposto deboche, afirmando que ele “passou a desferir chutes em sua canela, tapas em sua nuca, determinando-o que se ajoelhasse para, na sequência, forçar a cabeça contra um tambor de lixo”.

A revogação da demissão, conforme a portaria, foi embasada em um laudo médico, embora não tenha sido especificado qual doença teria influenciado na decisão. O comandante geral da PM concedeu um prazo de cinco dias para que o ex-policial se apresente para ser reintegrado à corporação.

A medida tem gerado críticas e questionamentos sobre a justiça do sistema, levantando debates sobre a necessidade de revisão de processos disciplinares e avaliação mais rigorosa em casos de violência policial. A reintegração do soldado R.P.A. destaca-se como mais um episódio controverso no cenário atual da segurança pública.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *