Polícia

“Xandão” nega liberdade à membros do CV em Mato Grosso

O Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), recusou o pedido de habeas corpus de dois indivíduos de Mato Grosso, acusados de pertencerem à organização criminosa Comando Vermelho e de envolvimento em lavagem de dinheiro. M.L.C.M. e M.O.M. buscavam reverter uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que havia confirmado as determinações do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

As prisões ocorreram no contexto da Operação Jumbo, conduzida pela Polícia Federal em maio de 2022, visando desmantelar uma extensa organização criminosa dedicada ao tráfico de drogas e à lavagem de dinheiro, que movimentou cerca de R$ 350 milhões em um período de quatro anos.A decisão de Moraes destacou as circunstâncias particulares do caso e a gravidade excepcional das atividades ilícitas envolvidas. A ré M.L.C.M. alegou ter se mudado para Portugal em fevereiro de 2022, três meses antes da ordem de prisão, argumentando que isso não constituía uma fuga das autoridades policiais.No entanto, Moraes rejeitou o pedido, visto que a decisão do STJ foi respaldada por fundamentação jurídica sólida, em conformidade com a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal. Não foi identificado nenhum constrangimento ilegal que justificasse a concessão do habeas corpus.”Portanto, com base no art. 21, § 1º, do Regimento Interno do STF, nego a ordem de habeas corpus”, concluiu o Ministro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *