Política

Vereadora Edna Sampaio não participa de sessão que pode cassar seu mandato

Nesta quarta-feira (11), a vereadora Edna Sampaio (PT) chegou à Câmara de Cuiabá, mas declarou que não participaria da sessão que poderia resultar na cassação de seu mandato. Segundo a vereadora, sua ausência na sessão se deve à recusa em “fazer palco para a ilegalidade e atrocidade”.

Edna Sampaio expressou sua confiança de que a história registrará o verdadeiro motivo por trás da tentativa de cassação de seu mandato e a caracterização da Câmara como a “Casa dos Horrores” para aqueles que se opõem à cassação. Ela agradeceu aqueles que não apoiaram a cassação de seu mandato e expressou seus sentimentos a eles.

A vereadora enfatizou a dificuldade de estar em um ambiente onde, em sua opinião, as regras da política são desrespeitadas, inclusive tratando colegas como inimigos e imputando a ela um crime que ela afirma não ter cometido e estar disposta a provar, caso a comissão tivesse lhe dado a oportunidade.

Ela criticou a comissão por supostamente criar uma narrativa falsa ao afirmar que não conseguiu notificá-la de sua defesa. Segundo Edna, o processo já dura mais de 100 dias, e a comissão não demonstrou a capacidade de conduzir o processo de acordo com as expectativas de legalidade da Câmara, que é representante do povo.

Edna Sampaio está sob investigação devido a alegações de operar um esquema de “rachadinha” em seu gabinete, supostamente envolvendo seu marido, Willian Sampaio (PT), um servidor público do Estado, e sua ex-chefe de gabinete, Laura Natasha Oliveira Abreu. Laura teria transferido R$ 20 mil para a conta da vereadora, referentes a quatro parcelas da verba indenizatória destinada à chefe de gabinete. O caso está sendo investigado pela Comissão de Ética.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *