Polícia cumpre 33 mandados contra organização criminosa que executou homem em MT

Getting your Trinity Audio player ready...

A Polícia Civil cumpriu 33 ordens judiciais, dentro da Operação Persecutus, contra integrantes de uma organização criminosa que determinou a execução de um homicídio em Cáceres, ocorrido no início deste ano.

Entre os dias 22 e 26 de setembro, a 1ª Delegacia de Cáceres, com apoio da Delegacia de Campos de Júlio e da Polícia Penal, cumpriu os mandados que incluíram bloqueios de valores, busca e apreensão domiciliar e quebra do sigilo de dados dos investigados.

A investigação resultou na prisão de um dos executores do homicídio que vitimou Felipe do Prado Leite, de 21 anos, em janeiro deste ano. Outros dois participantes ativos da ação criminosa também foram presos e apreendidos dois veículos utilizados pela facção.

As informações que respaldaram a operação foram extraídas de um celular encontrado no local do homicídio, quando o executor deixou cair acidentalmente o aparelho. “O que permitiu aos investigadores traçarem conexões entre os membros da organização criminosa, identificando seus integrantes e ainda comprovar que o homicídio foi orquestrado de dentro da prisão”, comentou o delegado Marlon Nogueira.

Um dos mandados foi cumprido na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, contra um líder da facção criminosa. Na cela onde ele está detido foram localizados seis aparelhos celulares e 16 porções de maconha.

As investigações continuam a fim de identificar outros envolvidos e esclarecer totalmente os fatos relacionados ao homicídio.

O homicídio

Felipe Leite foi alvejado por disparos de arma de fogo, no dia 24 de janeiro, no Jardim Marajoara, em Cáceres. A vítima chegou a ser encaminhada com vida ao hospital regional, mas não resistiu aos ferimentos.

No local foi encontrado um aparelho celular, deixado cair por um dos suspeitos. Conforme a apuração, dois suspeitos chegaram à residência e fizeram os disparos contra a vítima, que ainda correu para o fundo da residência e caiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *