Policial

Homem suspeito de roubo e tortura contra ex-esposa e filhos é preso em Mato Grosso

A Polícia Civil de Mato Grosso cumpriu na segunda-feira (25.09) um mandado de prisão temporária contra um homem investigado por sua suposta participação em um crime de roubo qualificado e tortura envolvendo sua ex-esposa e seus filhos. As investigações conduzidas pela Delegacia de Diamantino, a 208 km de Cuiabá, revelaram evidências alarmantes relacionadas ao caso.

O crime ocorreu na madrugada de 6 de setembro, por volta das 03 horas, quando dois homens mascarados e armados invadiram a residência enquanto todos estavam dormindo, fazendo reféns a mulher e seus dois filhos.

Durante o terrível incidente, os criminosos alegavam estar em busca de uma herança que a vítima teria recebido e a confundiram com outra pessoa, chamando-a pelo nome errado. Mesmo após a vítima negar a posse de qualquer herança e oferecer mostrar seus documentos, os suspeitos continuaram a insistir que ela era o alvo que procuravam.

Os agressores, depois de verificar os telefones celulares da vítima, começaram a torturá-la com uma machadinha encontrada na residência, causando fraturas no tornozelo e infligindo diversos outros ferimentos. Além disso, roubaram joias da vítima e tentaram levar a TV, impressora e outros aparelhos, que foram encontrados em seu veículo. No entanto, durante a fuga, o veículo ficou preso na rampa de acesso à residência, fazendo com que os criminosos fugissem apenas com os telefones da vítima.

As investigações conduzidas pela equipe da Delegacia de Diamantino apontaram fortes suspeitas de envolvimento do ex-marido da vítima no crime. O suspeito já tinha um histórico de violência doméstica contra a ex-companheira, além de demonstrar dificuldade em aceitar o fim do relacionamento e afirmar que investigaria a vida da vítima para verificar se ela estava em um novo relacionamento.

Outros elementos também chamaram a atenção dos investigadores. Logo após o crime, o filho da vítima procurou ajuda do pai, encontrando o portão aberto e o suspeito ausente de sua casa. Além disso, o suspeito, que deveria estar trabalhando no período noturno, estava de folga no dia do crime, conforme registrou o cartão de ponto de sua empresa empregadora.

Outras evidências apuradas durante a investigação incluíram a morte do cachorro da vítima, possivelmente por envenenamento, e um incêndio que consumiu o veículo da família logo após ser colocado na garagem. O suspeito teria estado presente na residência momentos antes do incêndio e ficou responsável pelas chaves do veículo.

O delegado titular de Diamantino, Marcos Martins Bruzzi, representou o mandado de prisão temporária, com duração de 30 dias, contra o investigado. O suspeito foi detido e interrogado, negando qualquer participação no crime.

O objetivo da prisão é aprofundar as investigações e identificar todos os envolvidos no crime. O delegado enfatizou que as investigações continuam em andamento para esclarecer totalmente os fatos e responsabilizar os culpados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *