Cuiabá

Vereadores derrubam cassação de Emanuel por rombo de R$ 230 mi; Veja os nomes

Na sessão ordinária desta quinta-feira (21), o pedido de abertura de uma Comissão Processante contra o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), devido a uma dívida de cerca de R$ 230 milhões com a União, foi rejeitado por 13 votos a 8. A ausência da vereadora Maysa Leão (Republicanos) e a abstenção da vereadora Edna Sampaio (PT) foram decisivas para o resultado.

Esse é o 12º requerimento de investigação que poderia resultar na cassação do prefeito, sendo rejeitado pelo parlamento municipal. O pedido foi proposto pelo vereador Fellipe Corrêa (Cidadania), fundamentado nas investigações da Operação Capistrum que afastou o prefeito em 2021 e no envio de um projeto de parcelamento à Câmara Municipal referente à dívida de R$ 165.798.193,93 milhões, apelidada de ‘lei do calote’.

Vereadores que votaram a favor da instauração da CPI:

  1. Sargento Joelson (PSB)
  2. Michelly Alencar (União)
  3. Dr. Luiz Fernando (Republicanos)
  4. Eduardo Magalhães (Republicanos)
  5. Rodrigo Arruda e Sá (Cidadania)
  6. Demilson Nogueira (Progressistas)
  7. Dilemário Alencar (Podemos)
  8. Eleus Amorim (Cidadania)

Vereadores que votaram contra a instauração da CPI:

  1. Adevair Cabral (PTB)
  2. Dídimo Vovô (PSB)
  3. Jefferson Siqueira (PSD)
  4. Kássio Coelho (Patriota)
  5. Lilo Pinheiro (PDT)
  6. Luis Claudio (PP)
  7. Marcus Brito Junior (PV)
  8. Paulo Henrique (PV)
  9. Ricardo Saad (PSDB)
  10. Rogério Varanda (MDB)
  11. Sargento Vidal (MDB)
  12. Wilson Kero Kero (Podemos)

por Paulo Ricardo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *