Líder da “gangue do chicote” é solto em menos de 24h após ser preso por tortura

Getting your Trinity Audio player ready...

O empresário R.G.S., apontado como mandante da sessão de tortura com chicote para cobrar uma dívida, foi liberado em audiência de custódia após menos de 24 horas de prisão. Ele foi alvo da Operação Piraim, realizada na última quarta-feira (20), por ser o líder da “gangue do chicote”, um grupo que utilizava métodos violentos para cobrar dívidas de agiotas.

Na audiência de custódia, o juiz João Bosco Soares da Silva determinou a soltura do empresário com a imposição de medidas cautelares. Entre essas medidas, ele está proibido de sair da cidade sem autorização judicial e não pode manter contato com a vítima e os demais investigados.

A ação do grupo criminoso veio à tona em maio deste ano, quando um vídeo nas redes sociais viralizou, mostrando um homem sendo chicoteado devido ao atraso no pagamento de um empréstimo. O crime havia ocorrido em fevereiro, mas a vítima, com medo dos agressores, não registrou boletim de ocorrência na época.

Além das agressões, o grupo se recusou a liberar o devedor, mesmo quando o pai da vítima tentou intervir oferecendo um carro avaliado em R$ 80 mil. Como a dívida era superior a esse valor, o homem não foi libertado. A intervenção da Polícia Militar foi necessária para dispersar o grupo.

Na operação, seis homens foram presos, enquanto o sétimo integrante da quadrilha, conhecido como “Alex Bafo”, faleceu em julho deste ano em um acidente de moto na rodovia que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães (MT-251).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *