Policial

PM que quebrou braço de advogado em Cuiabá é investigado

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) anunciou nesta segunda-feira (18) que abrirá um procedimento para investigar a conduta de um policial militar envolvido na prisão de um advogado de 33 anos durante uma blitz da Lei Seca em Cuiabá. Durante a prisão, o advogado teve um dos braços quebrados ao ser imobilizado pelo policial.

Em uma declaração à imprensa, a Sesp informou que “determinou instauração de um procedimento para apurar a conduta do policial militar que efetuou a prisão de um motorista durante a Operação Lei Seca.”

A Operação Lei Seca foi realizada no sábado (16) na Avenida do CPA, e o advogado foi flagrado em visível estado de embriaguez enquanto conduzia um veículo com sua esposa e filhos. Ele se recusou a realizar o teste de alcoolemia e se exaltou quando informado de que seria conduzido à delegacia por se recusar ao teste.

A situação escalou quando o advogado começou a causar confusão e desobedeceu aos agentes. Um policial militar tentou algemá-lo, e ele reagiu, resultando em uma queda que levou à quebra de seu braço.

O advogado ferido foi encaminhado ao hospital pelo Corpo de Bombeiros, e seu atual estado de saúde não foi divulgado.

A Sesp enfatizou em sua nota que “não coaduna com nenhum tipo de violência ou ato que configure abuso de autoridade.” A investigação será conduzida para esclarecer os eventos ocorridos durante a prisão e determinar se houve má conduta por parte do policial militar envolvido.

One thought on “PM que quebrou braço de advogado em Cuiabá é investigado

  • JEOVA APARECIDO LEAO

    Infelizmente o Brasil está perdido – pois ao meu ver quando os agentes da lei perdem a noção , e acabam por praticar covardias . De fato e direito do condutor indicar outro para retirar o veículo . Evitando assim o recolhimento ao pátio e consequentemente as despesas e transtornos no dia seguinte.
    Todavia, sabemos que a polícia , agentes trânsito amarelinhos , agente trânsito Detran – ficam impolvoros quando o cidadão exige este simples e assegurado direito.
    Daí surge o start para a barbari !!!!
    Vamos acompanhar o desfecho deste caso , que certamente não será o último .

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *