Polícia

Médium causa revolta em facção e populares após ter estuprado fiéis

A prisão de Luiz Antônio Rodrigues da Silva, de 49 anos, na última terça-feira (5), por suspeita de abusar sexualmente de pelo menos sete mulheres, incluindo uma adolescente, abalou a comunidade de Cuiabá. O indivíduo, que se apresentava como médium e utilizava a plataforma TikTok para atrair suas vítimas para uma suposta ‘tenda religiosa’, foi solto um dia após a prisão e anunciou o retorno de suas atividades. O advogado do suspeito afirmou que seu cliente é inocente e que a verdade será esclarecida durante a investigação.

Uma das vítimas, que optou por não se identificar, compartilhou seu doloroso relato. Ela começou a frequentar o local em maio de 2022 e mudou-se para o interior de Mato Grosso em dezembro do mesmo ano, indo ao local mensalmente. O incidente ocorreu em abril deste ano, quando ela buscou ajuda direta do suposto médium, acreditando que ele a ajudaria através de um processo de transmissão de energias por imposição das mãos, conhecido como ‘passe’.

Porém, o que ela experimentou foi um pesadelo de manipulação e abuso. O suposto médium alegou que ela estava tentando salvar outras pessoas, que ela era fraca e que tinha vivido uma vida passada com ele, na qual perdeu um filho. Essas afirmações emocionais foram seguidas por toques inadequados e não consentidos, deixando a vítima em estado de choque.

O relato da vítima revela que o suspeito também questionava sua orientação sexual e a pressionava com insinuações sobre seu relacionamento, criando um ambiente de intimidação e controle.

A prisão de Luiz Antônio ocorreu após denúncias de diversas vítimas, todas relatando situações semelhantes de abuso durante atendimentos particulares na suposta ‘tenda religiosa’. O suspeito alegava que esses atos eram realizados por um ‘espírito encarnado’.

A delegada titular da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) da capital, Judá Marcondes, revelou que o suspeito usava o TikTok para promover seu trabalho como líder religioso e, em seguida, marcava encontros com suas vítimas em um local onde afirmava praticar sua religiosidade.

Com a prisão de Luiz Antônio, a delegada acredita que novas vítimas podem se manifestar. Este caso ressalta a importância da denúncia de crimes de abuso e destaca os desafios enfrentados pelas vítimas para superar o medo e relatar essas experiências traumáticas. As autoridades devem continuar investigando a fundo para assegurar que a justiça seja feita e que outras possíveis vítimas encontrem coragem para se pronunciar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *