Cuiabá

Femina realiza microcirurgia de tumor cerebral com neuronavegação

A tecnologia tem sido amplamente utilizada na Medicina para auxiliar os médicos na execução de cirurgias complexas. Uma das principais aplicações tem sido o uso de sistemas de imagem avançados, que fornecem informações detalhadas sobre a anatomia do paciente, permitindo um planejamento preciso antes da cirurgia.

Uma equipe médica do Hospital e Maternidade Femina, em Cuiabá, liderada pelo neurocirurgião Felipe Guardini, realizou com sucesso, na última semana, uma microcirurgia de tumor cerebral, utilizando o equipamento de neuronavegação. A tecnologia de última geração permite ao neurocirurgião localizar e operar áreas profundas do cérebro com um risco mínimo de lesões para o paciente. A bióloga Thays Marçal Nogueira Matusin, de 30 anos, que passou pelo procedimento cirúrgico apresenta boa recuperação.

De acordo com o neurocirurgião Felipe Guardini, o equipamento proporciona uma precisão milimétrica ao atingir o alvo intracraniano, o que é crucial para evitar lesões graves nos pacientes, especialmente quando se trata de tumores próximos a áreas nobres do cérebro. No caso da paciente, o tumor estava localizado na região responsável pelo controle dos movimentos das mãos, mais precisamente na área que comanda o braço esquerdo de Thays.

“Devido a essa localização específica, tivemos que utilizar tecnologias suplementares para realizar a cirurgia de forma segura e minimizar o risco de perda de força, que é um dos sintomas que ela apresentava”, informou Guardini.

O neurocirurgião destaca também que o neuronavegador permite registrar imagens antes da cirurgia e planejar a intervenção sem a necessidade de realizar uma abertura no crânio previamente.

“Funciona de forma semelhante a uma realidade aumentada, utilizando inteligência artificial. Com esse aparelho, combinamos imagens de ressonância magnética e tomografia para mostrar em tempo real a localização das estruturas cerebrais enquanto realizamos a cirurgia”, ressaltou o médico.

Além da importância técnica, a utilização do neuronavegador é crucial para preservar a qualidade de vida da paciente, uma jovem mãe de um bebê com apenas 6 meses de idade, que precisa de uma recuperação adequada após a cirurgia.

“Ao combinarmos essas tecnologias suplementares, reduzimos os riscos associados à cirurgia cerebral, que é um procedimento arriscado. No caso dessa paciente, suspeitamos que a lesão seja vascular, presente desde o nascimento, e que ao longo do tempo possa causar sangramento ou complicações”, enfatizou o neurocirurgião, justificando que a intervenção cirúrgica em Thays foi fundamental para remover o tumor e prevenir futuros sangramentos.

Confiante

Tranquila e confiante na equipe médica, a bióloga Thays Marçal Nogueira Matusin revelou que descobriu o tumor cerebral durante a gestação de sua filha, atualmente com seis meses, e optou pelo procedimento pela família.

“Minha prioridade é ver minha bebê crescer e construir uma família. Estou grata pela minha família e motivada por ela. Tenho plena confiança no Dr. Felipe, minha melhor escolha”, compartilhou Thays, enquanto ainda se recupera da cirurgia.

Integraram a equipe do Dr. Felipe Guardini durante a microcirurgia com neuronavegador, o auxiliar Bruno Reginato Gumiero, a anestesista Paula Fabris e a equipe de enfermagem supervisionada pela coordenadora do Centro Cirúrgico da Femina, Thaianny Almeida Passarelli.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *