Hospital Central será 100% gratuito para população mato-grossense

Uma luz de esperança brilha no horizonte da saúde pública de Mato Grosso, à medida que o Hospital Central, atualmente em fase final de construção, promete trazer mudanças significativas ao atendimento médico no estado. Com uma missão clara e nobre, o Hospital Central se destina a ser uma instituição totalmente gratuita, dedicada a oferecer serviços de alta complexidade aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

O impacto desse projeto não se restringirá apenas às suas paredes imponentes; seu objetivo é elevar a qualidade do cuidado médico oferecido aos cidadãos mato-grossenses. A referência em alta complexidade, combinada com a gratuidade dos serviços, reforça o compromisso do governo em oferecer tratamento acessível e de qualidade à população.

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, reforça o empenho do governo nesse empreendimento visionário. Ele enfatiza que a unidade não apenas visa à excelência estrutural, mas também se esforça para proporcionar tratamento de alta qualidade, contando com profissionais de renome nacional para realizar procedimentos complexos.

A colaboração com o Hospital Albert Einstein na concepção e planejamento da unidade reforça o compromisso de entregar o melhor atendimento possível. Essa parceria estratégica visa garantir que o Hospital Central se destaque não apenas pela infraestrutura moderna, mas também pela qualidade das intervenções médicas e cuidados.

A transparência é fundamental, e o secretário Figueiredo esclarece que a preocupação é assegurar que o hospital permaneça um serviço público acessível. Ele destaca que o foco não é a privatização, mas sim o compromisso em proporcionar um atendimento médico de alta complexidade de forma totalmente gratuita.

O novo Hospital Central não é apenas uma estrutura física imponente; é um símbolo de dedicação ao bem-estar dos cidadãos mato-grossenses. Com investimentos na ordem de R$ 184,5 milhões em obras, sua expansão é impressionante, refletindo um aumento significativo na capacidade de atendimento. Seus números são impressionantes: 1.990 internações, 652 cirurgias, 3.000 consultas especializadas e 1.400 exames por mês. Com 10 salas cirúrgicas, 60 leitos de UTI e 230 leitos de enfermaria, o Hospital Central está se preparando para enfrentar os desafios da saúde de alta complexidade.

Nesse empreendimento de alto impacto, as especialidades médicas abrangem cardiologia, neurologia, vascular, ortopedia, otorrinolaringologia, urologia, ginecologia, infectologia e cirurgia geral. O foco é abranger uma gama diversificada de necessidades médicas, garantindo que a população mato-grossense tenha acesso a um atendimento abrangente e de qualidade.

O novo Hospital Central é uma promessa de progresso na saúde pública, uma manifestação tangível do compromisso do governo em proporcionar cuidados de saúde de alta qualidade, acessíveis a todos. Ele carrega consigo a esperança de um futuro mais saudável e de uma população mais bem cuidada, servindo como um farol de esperança para Mato Grosso.

por Paulo Ricardo – MT de Fato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *