Cidades

Parceria entre Seduc e HCan garante que crianças com câncer continue estudos

Parceria da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) com o Hospital de Câncer de Mato Grosso (HCanMT), por meio do projeto Classe Hospitalar, possibilita a continuidade da formação escolar das crianças que estão em tratamento na unidade hospitalar. 

O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, explica que a iniciativa visa garantir que as crianças e adolescentes não parem seus estudos em função do tratamento oncológico. 

“Um dos primeiros impactos sentidos quando a criança é diagnosticada com câncer é na limitação da frequência escolar porque esses pacientes passam um período no hospital, sem condições de ir à escola. Então, para garantir a continuidade da formação, a Classe Hospitalar visa atender essas crianças, auxiliando não apenas com a formação, mas servindo até como estímulo social”, destaca o secretário. 

A Classe Hospitalar do HCan conta com as pedagogas Aline Fabiane Rodrigues da Silva e Nadia Turequi Silva, ambas pós-graduadas em Atendimento Educacional Especializado e Classe Hospitalar, cedidas pela Seduc.

As professoras atendem alunos que estão no ambulatório, internação, enfermaria, isolamento e até mesmo a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ministrando aulas para estudantes dos Ensinos Médio e Fundamental dentro da própria unidade. 

No processo de adaptação, as professoras  buscam criar uma relação de confiança com a criança e a família e realizam um estudo de caso para identificar o que o aluno gosta ou não, em qual ambiente social está inserido e qual o seu nível de aprendizagem. Depois, elaboram o Plano de Atendimento de acordo com o nível de aprendizado de cada um, definindo quais recursos pedagógicos devem ser usados e quais os aspectos de acessibilidade.

Então, as crianças passam a ter aulas especiais, como o dia do acolhimento, educação socioemocional e saúde mental, dia da leitura, alfabetização computadorizada, pintura e diversas atividades lúdico-pedagógicas. As professoras ainda atuam com os processos afetivos de diálogo e escuta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *