Policial

Várzea Grande implantará oito radares a partir de julho

A partir do dia 01 de julho deste ano, oito radares semafóricos começam a funcionar ao longo da Avenida Filinto Müller, em Várzea Grande e as demais vias que cruzam a mesma e que está entre as de maior volume de trânsito.

Além de controlar o excesso de velocidade dos veículos, que será no máximo de 50 km/h, os radares irão também verificar desrespeito à sinalização dos semáforos e preservar principalmente o direito do pedestre em atravessar as ruas em segurança.

“Várzea Grande está trabalhando por um trânsito mais humano e educado”, frisou o secretário de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana, Breno Gomes, sinalizando que o prefeito Kalil Baracat tem defendido que o trânsito seja utilizado de forma racional e preservando vidas, não tirando as mesmas.

De acordo com o coordenador de Mobilidade Urbana de Várzea Grande, Cidomar de Arruda Velo, o funcionamento do radar semafórico é bastante simples e acontece sem qualquer intervenção urbana. “São três laços detectores em cada faixa de uma via, distantes 3 metros um do outro. Quando um veículo passa, os laços calculam sua velocidade. Este tipo de radar controla a velocidade dos veículos e os que desrespeitam a sinalização nos semáforos, ou seja, quem avançar um sinal vermelho será multado, assim como os veículos que ultrapassarem o limite de velocidade que é de 50km/h também”, explica o coordenador.

Cidomar Velo informa ainda que será ajustado o funcionamento dos semáforos da Avenida Filinto Müller para que após às 23h, funcionem de forma intermitente durante toda a madrugada, evitando que condutores de veículos fiquem parados em semáforos correndo o risco de ser abordada ou assaltada. “Nos próximos dias também estaremos ajustando os semáforos para que como as demais cidades brasileiras que já utilizam o radar semafórico, a partir das 23h e durante a madrugada, o motorista possa avançar o sinal vermelho desde que dentro do limite de velocidade”, pondera o técnico.

Somados aos 14 pontos de radares fixos e de barreiras eletrônicas já implantados, Várzea Grande totaliza 22 pontos de monitoramento que auxiliam no controle e fiscalização da velocidade dos veículos, bem como na preservação de vidas.

Ainda de acordo com Cidomar Velo, os equipamentos já foram aferidos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), e os locais de instalação estão devidamente sinalizados e seu funcionamento também já passou por período educativo para condutores e pedestres, itens previstos na legislação de trânsito brasileira.

“Nosso objetivo é de resguardar a vida de condutores e pedestres. A administração não tem interesse em esconder os pontos ou de arrecadar dinheiro com multas. Pelo contrário, todos os equipamentos são bem-sinalizados. Importante dizer que todas as ruas e avenidas escolhidas são infelizmente campeãs de acidentes e queremos diminuir esses índices. Além do mais, todas as cidades brasileiras com grande fluxo de veículos e de pessoas utilizam esses equipamentos, é inevitável que uma das cidades que mais cresce em Mato Grosso tenha que se organizar nesse sentido também. Monitorando em tempo real coíbe acidentes, evita prejuízo material e emocional para as pessoas, identifica veículos roubados, auxilia no controle de velocidade e na fiscalização dos avanços de sinal em diversos cruzamentos”, disse o secretário de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana, Breno Gomes.

“Esses novos oito pontos que começam a funcionar coibindo o excesso de velocidade e o avanço de sinal, fazem parte de etapas já cumpridas de 14 pontos implantados e testados e agora outros oito pontos, somando 22. Ao final de toda a implantação, teremos 54 pontos de fiscalização pela cidade, além de uma central de monitoramento instalada na Secretaria de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana que será responsável por operar com transparência e visibilidade o trânsito da cidade e em conjunto com outros órgãos públicos estaduais a exemplo do Detran e de Segurança Pública”, explica o arquiteto e urbanista, Enodes Soares Ferreira, elaborador do estudo técnico de instalação de equipamentos de controle viário da cidade.

Quanto a aplicação de multas, Enodes lembra que a fiscalização eletrônica opera com base no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), onde as multas são baseadas na gravidade da infração como aplicado em todo o país e variam de R$ 130,16 (infrações médias) até R$ 880,41 para infrações graves, além das pontuações na carteira do motorista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *