Juiz manda periciar câmeras de conveniência que cabo da PM foi morto

Juiz da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, Wladymir Perri, determinou que seja feita perícia nas câmeras de segurança interna da conveniência em que o cabo da Polícia Militar Thiago de Souza Ruiz, 36, foi morto em abril deste ano. Objetivo é que a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) identifique se os vídeos foram editados. 

Policial militar foi morto com 9 tiros pelo investigador da Polícia Civil, Mário Wilson Vieira Gonçalves, no dia 27 de abril, no bairro Consil, em Cuiabá. Agentes estavam sentados em uma conveniência com um terceiro amigo, quando Mário e Thiago começaram a discutir. 

Magistrado determinou que os vídeos sejam anexados em até 45 dias no processo, inclusive com o diálogo entre os envolvidos no fato.

Além da perícia, o juiz determinou que sejam identificados os policiais militares que atenderam a ocorrência, bem com uma pessoa de camisa cor de rosa, que aparece no vídeo em vários momentos. Isso porque, segundo Wladymir Perri, as funcionárias da loja estariam omitindo informações do ocorrido, sendo que a todo momento a câmera de segurança mostra elas atrás do balcão, ou seja, presenciaram todo o fato.

“(…) tenho que esses policiais militares haverão de serem inquiridos também como testemunha do juízo e se necessário a realização da acareação, eis que, do depoimento dessas funcionárias da loja de conveniência à autoridade policial, ao que tudo indica estão omitindo relatos do fato ocorrido, eis que, do vídeo, em todo momento observo que ficaram atrás do balcão ouvindo as manifestações de bebedeira até o momento da ausência de inteligência cujo culminou no fato delituoso ( Homicídio)”, cita o juiz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *